sábado, 18 de agosto de 2007

O Para-pan do Rio

Assistir as provas do para-pan do Rio é uma experiência fantástica e esclarecedora. Impressiona o desejo de superação desses atletas, nos dão uma lição moral fundamental: a realização está na superação, não na vitória.

Acho que se aprendêssemos mais com esses atletas, poderíamos até mudar nosso país para melhor. Claro que isso é difícil, claro que é um sonho distante. Contudo, vendo pessoas que poderiam ter desistido da vida optando por uma batalha de superação – optando por uma vida de desafios, onde as chances de vitória não são grandes, e escolhendo continuar lutando – é algo dignificante para o espírito humano.

Nesta vida ninguém pode ser cobrado por não ser um campeão; nós nascemos com determinadas características, e por mais que nos esforcemos nunca seremos capazes de ultrapassar determinados patamares. Poderemos melhorar com trabalho árduo e dedicação, mas existem certos limites a partir dos quais não conseguiremos seguir. Algumas pessoas têm limitação em matemática, outras em esportes, outras ainda em música. Todos nós temos nossas limitações, exigir que algum de nós seja melhor em física do que Einstein, ou melhor cantor que Frank Sinatra, é algo completamente desleal. Mas tenho para mim que cedo ou tarde, todos nós teremos que dar explicações sobre o que fizemos nesse mundo. Essa será nossa prova de fogo: será que fizemos o nosso melhor? Será que, dadas nossas restrições, fomos o mais longe possível? Creio que seremos julgados de acordo com essas respostas.

Para os que gostam de cinema, assitam Conan, o Bárbaro “Quando eu morrer, encontrarei com Crown e ele me perguntará: Qual é o segredo do aço?”. Meu entendimento sobre essa frase talvez seja incorreto, mas acredito que seu significado seja algo como “Você superou obstáculos? Você deu o seu melhor? Você fez tudo que estava a seu alcance?”. Acho que este é o segredo da vida. Já vi atletas vencedores vaiados; já vi atletas chegarem em último lugar e serem ovacionados por uma multidão.

Melhorar nosso país não é uma tarefa fácil. Civilizar uma nação, apontada por muitos como uma selva, é uma tarefa que talvez esteja além de nossas possibilidades. Mas quando chegar a nossa hora de responder “Qual o segredo do aço?”, espero sinceramente que não decepcionemos os tantos que confiaram em nós, pois o segredo da vida esta em nossa incrível capacidade de superação, é isso que dá sentido a nossas vidas. A Realização de um Homem está na superação, não na vitória. São poucos os méritos de uma vitória sem superação. São gigantes os méritos de uma superação sem vitória. Mas, naquele momento único, que poucos de nós irão experimentar na vida, há o encontro da superação com a vitória. Esse é o momento a que chamamos: evolução.

6 comentários:

Erik Figueiredo disse...

Um comentário que foge um pouco do tema, mas o Brasil está em primeiro no quadro de medalhas. Alguém tem uma explicação para isso?

Cláudio disse...

Muito bom post! Estava hoje comentando com minha esposa como esse pessoal da natação do Para-pan consegue fazer o que EU não: consigo nadar decentemente. Interessante é que no ambiente deles, a psicina, eu é que sou o carente de necessidades especiais.

Rodrigo disse...

Pequena correção: o deus do Conan é Crom.

Anônimo disse...

Adolfo,

"espero sinceramente que não decepcionemos os tantos que confiaram em nós?" E eu que achei que a palavra liberdade se aplicasse às ações individuais. Parece que terei de rever meus conceitos.

Anônimo disse...

Brilhante.

Rafael Ortiz disse...

Adolfo,

Se voce tivesse que colonizar uma nação, quais seriam os três livros que você levaria?

Abraço!

Rafael Ortiz Seabra

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email