segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Economia e ditados populares

Gostaria de fazer um convite aos leitores desse blog: que tal escrevermos um livro sobre economia e ditados populares? A idéia desse livro foi COPIADA da idéia do Shikida de escrever um livro com aplicações práticas de teoria econômica (para obter uma cópia gratuita do livro acesse: http://shikida.net).

Muitas pessoas leram o post do Shikida e perguntaram se eu não toparia fazer o mesmo. Então eu topei a parada. A idéia é simples: cada um escolhe um ditado popular e usa o instrumental econômico para explicar o ditado. Você não precisa ser economista para participar, basta ser capaz de usar a lógica econômica para conseguir explicar algum ditado popular. Não há problema algum caso duas ou mais pessoas escolham explicar o mesmo ditado. Neste caso teríamos duas ou mais explicações concorrente para explicar o mesmo ditado. Caberia ao leitor escolher qual considerou mais ou menos interessante.

Eu pensei no seguinte título para o livro: "Quem gosta de homem é gay, mulher gosta é de dinheiro: Usando Teoria Econômica para explicar Ditados Populares". Claro que podemos repensar o titulo. Aqueles que quiserem participar do livro, por favor envie um e-mail para esse blog. Lembre-se de incluir no seu e-mail as seguintes observações: seu nome, seu e-mail, e o ditado que você irá explicar. Essas informações irão ser disponibilizadas nesse blog.

Por fim, eu irei editar o livro e tentarei que alguma editora o publique. Se não der certo, publicamos de graça na internet mesmo.

Aguardo o contato de vocês.

19 comentários:

Erik Figueiredo disse...

Adolfo,

Tenho interesse em participar. Entretanto, devo alertá-lo que o Brasil é um "mundo", logo alguns ditados populares podem ter um caráter regional. Pensei no seguinte "Quem dá aos pobres empresta a Deus". Estabeleça algumas regras, tipo: prazo de entrega, tamanho máximo, entre outras. Meu email é:

eafigueiredo@gmail.com

Abraços,

Philipe Berman disse...

Oi Prof.,

Gostei da sua idéia! Vou pensar em um ditado e te escrevo, ok? O e-mail é o que está no seu site da UCB?

Philipe

Anônimo disse...

Adolfo,

Aqui está um ditado popular que descreve com fidelidade a ação do estado basileiro: "Farinha pouca? Meu pirão primeiro!"

Abraço,

J. Coelho

Sidney Vida disse...

Eu acho uma boa idéia, Adolfo. Se eu tivesse tempo tentaria ajudá-lo. Gostei do seu blog. Um abração,

Anônimo disse...

Ditado: Agora é tarde, Inês é morta.

Marcelo Caetano.

Erik Figueiredo disse...

Adolfo,
Achei o título bacana. As feministas farão a divulgação do livro de graça (risos). Agora, se o ditado é mesmo popular, deveria substituir "gay" por "Veado", não acha?
Abraços,
Erik

Guilherme Stein disse...

Ótima idéia professor!

O meu ditado vai ser:

"Quando a esmola é demais, o santo desconfia.".

GAbiRu disse...

e quanto a ditados que NÃO são economicamente viáveis? tb não poderiam ter seu capítulo? gostaria de tentar algo nessa linha. exs.:erva ruim a geada não mata;burro velho não perde a mania/ não toma ensino;avô rico, filho nobre e neto pobre;

cesarxereu@hotmail.com

renata disse...

Oi, proessor, o meu ditado vai ser: "O corno sempre é o último a saber".

Blog do Adolfo disse...

Caro Gabiru,

Gostei de sua idéia. Se você quiser escrever sobre ditados NÃO economicamente viáveis vá em frente. Teremos espaço para isso também.

Abraco

Philipe Berman disse...

O comentário da Renata, escrito acima, é meu. Não vi que tinha uma outra conta logada e apareceu o nome da Renata. Pois bem, com dito antes, o meu ditado vai ser "O corno é sempre o último a saber", e meu e-mail é philipe.berman@gmail.com

Abraço a todos!

Diego Baldusco disse...

Ótima idéia, já até escrevi e publiquei no meu blog.
POsso te mandar via e-mail, quando eu souber qual é!

Blog do Adolfo disse...

Oi Diego,
Meu e-mail: sachsida@hotmail.com

Adolfo

luizhbatistuta disse...

Ola professor,

acho que o meu ditado seria: Não existe mulher feia, voce que nao bebeu demais: Uma analise da libertinagem nas noites de Brasília.

Eu imagino que deva ter alguma dificuldade na coleta de dados, mas seria um trabalho interessante

fabio disse...

Olá Adolfo!!!
Meu ditado é...
"Em casa de ferrero espeto de pau"
Fabbiosantanna@gmail.com

Claudio disse...

o outro aluno do pensando escreveu um post hoje. ah sim, o meu é "nao adianta dar murro em ponta de faca"

Claudio Shikida

Pedro Henrique C.G. de Sant'Anna disse...

Olá professor.

O meu ditado é : "de graça até injeção na testa".


Assim que terminar, te mando por e-mail.
Abraço

Pedro Castro disse...

Olá Adolfo.
O meu ditado é: "depois da tempestade bem a bonança"
Já terminei e vou enviar para o email que você passou para o Diego em um comentário anterior.

meu email: pedrosilvacastro@gmail.com

Mário disse...

A agua sempre corre para o mar.
-O dinheiro sempre aumenta para quem tem mais, pela perspicácia ou inteligencia, como agua, talvez o dinhiero siga um ciclo que talvez não tenha destino, mas que sempre se acumula em algum lugar.

Google+ Followers

Share It

Follow by Email