terça-feira, 26 de agosto de 2008

Brasil, Quênia, Etiópia, Jamaica e Phelps

Sidnei 2000 (ouro – prata – bronze)
Brasil 0 – 6 – 6
Jamaica 0 – 4 – 3
Etiópia 4 – 1 – 3
Quênia 2 – 3 – 2
Phelps 0 – 0 – 0 (5º lugar nos 200m borboleta)

Atenas 2004
Brasil 4 – 3 – 3
Jamaica 2 – 1 – 2
Etiópia 2 – 3 – 2
Quênia 1 – 4 – 2
Phelps 6 – 0 – 2

Pequim 2008
Brasil 3 – 4 – 8
Jamaica 6 – 3 – 2
Etiópia 4 – 1 – 2
Quênia 5 – 5 – 4
Phelps 8 – 0 – 0

TOTAL 2000-08
Brasil 7 – 13 – 17
Jamaica 8 – 8 – 7
Etiópia 10 – 5 – 7
Quênia 8 – 12 – 8
Phelps 14 – 0 – 2

Por que insistir em dizer que estamos no caminho certo? Por que ficar com esse papo furado de que estamos evoluindo? Está na hora de enfrentarmos uma verdade inconveniente: na média de 3 olimpíadas fomos incapazes de superar Jamaica, Etiópia e Quênia. Phelps então nos dá uma surra.

Para melhorar temos primeiro que assumir nossas responsabilidades, nossas fraquezas e nossos fracassos. O Brasil fracassa nas olimpíadas porque é mal organizado, fracassa porque não aprendeu a lição do filme "Tropa de Elite": qualidade é melhor que quantidade. Não adianta levar para as olimpíadas um pelotão de atletas sem chances, o melhor é concentrar os recursos nos atletas de ponta.

Um último detalhe: quando um time vai mal, troca-se o comandante. Está na hora de trocarmos o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro. Quem não é capaz de consertar um problema em 12 anos, dificilmente será capaz de consertá-lo em 16.

8 comentários:

Nilo disse...

Não só o presidente do COB, mas também o de quase todas essas federações e confederações principalmente as de judô e futebol!!!

Diego Baldusco disse...

Politicagem brasileira rolando solta e prejudicando o esporte como um todo mesmo. Mas duas coisas:
i) Phelps tinha 15 ANOS em Sydney. Ele é um extra-terrestre, talvez nem é bom compará-lo com nada. Pelé? Jordan? Ali? Woods? Nada. Ta ai o maior fenômeno da história.

ii) As comparações dos países foram perfeitas. Jamaica insiste em atletismo (provas rápidas) e tem sucesso. Os africanos insistem em corridas longas, e têm resultados. O Brasil "investe" em tudo e tem um retorninho aqui, outro ali...Uns choram, uns favoritos ganham bronze, ficam sem medalha....

GAbiRu disse...

outro angulo: países pobres investem em atletas [ou entao protoditaduras, como a china]

nos ricos, os incentivos sao por conta de patrocínios, faculdades PRIVADAS. aqui, é tudo governo ou federacao, que tb depende de política. O Governo [contribuinte]nao se mete.


ou errei o 'angulo'?

GAbiRu disse...

http://gustibusgustibus.wordpress.com/2008/08/26/a-economia-politica-e-os-grupos-de-interesses-nas-olimpiadas/

Anônimo disse...

Mudar o presidente da CBF? Por conta de Olimpiada? Fala sério. A CBF não liga para Olimpiadas, nem a FIFA, estão até pensando em tirar o futebol da próxima Olimpiada.
Ricardo Teixeira pegou a CBF depois da Copa de 90, estavamos sem ganhar nada desde de 1970 (acho que só uma Copa América em 1989, mas não tenho certeza). Desde então ganhamos duas Copas do Mundo, só não chegamos na final em 2006, um monte de Copa América e por aí vai...

gabiru disse...

o brasil ganhou duas copas e ficou com um vice por causa do teixeira? nao foi APESAR do teixeira?



ahn, comentário acima falei em países ricos, mas acho que riqueza nao é bem o mote. talvez liberalismo, pois um país pode ser rico e seu governo intervir bastante na economia, né?

Richard_UnB_Arof disse...

concordo plenamente,o Brasil possui recursos e patrocinios para investir bem nos esportes e atletas, o que falta é organização e um planejamento sério,feito por uma pessoa competente.
Do jeito que está o Brsil não vai pra frente nunca,vai continuar sendo o país do bronze.

gabiru disse...

uma pessoa competente

eis o erro.


a parada tem que dar certo, nao importa quem...

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email