domingo, 28 de setembro de 2008

Trabalhar no Brasil é Crime

“Não se deixa o pobre mais rico empobrecendo o rico” (Abraham Lincoln).

As explicações sugeridas para o péssimo nível de desenvolvimento da sociedade brasileira são muitas. Alguns adoram dizer que o brasileiro não é patriota, outros dizem que falta mais intervenção do Estado. Em minha opinião, o problema brasileiro é mais simples: aqui trabalhar é crime.

Quer ser punido? Basta trabalhar duro. Quer punição ainda maior? Então abra um negócio. Não acredita em mim, então leia essa notícia: governo vai cobrar COFINS dos profissionais liberais retroativa a 12 anos!!!! Isso mesmo: 12 ANOS!!! Como alguém pode abrir uma empresa num ambiente de tamanha insegurança jurídica???

Um país cresce com trabalho duro e honesto, limitar a capacidade de trabalho das pessoas equivale a impedir o crescimento, e desenvolvimento, econômico e social de uma nação. Como o governo quer gerar desenvolvimento econômico impedindo que os melhores trabalhem?

O governo acredita que limitando a capacidade de trabalho dos melhores haverá emprego para os piores. ERRADO. Impedir que os melhores trabalhem só gera pobreza. A escolha das empresas pelos funcionários não é aleatória; as empresas escolhem os melhores. Quando os melhores são impedidos de trabalhar essa vaga de emprego NÃO vai para os piores, elas simplesmente deixam de existir.

Um país não pode punir sua mão de obra qualificada, um país não pode punir seus empresários. Limitar a capacidade destes de ganhar dinheiro não gera riqueza para o pobre, pelo contrário gera apenas pobreza. Quando todos ficam mais pobres a desigualdade de renda diminui, mas é difícil dizer que a população melhorou de vida.

5 comentários:

Anônimo disse...

"A única condição para o triunfo do mal é que os homens de bem não façam nada." (Edmund Burke).

Anônimo disse...

Pois é professor, veja como esta a cabeça dos nossos ministros do STF, afinal foram eles que bateram o martelo.

Marcos
Ps.: Gostaria de sugerir um post sobre o conceito de liberdade.

Fábio Mayer disse...

Não é bem isso, Adolfo, me desculpe discordar assim, nesse tom que eu não gosto de usar, de querer corrigir alguém.

Acontece que o COFINS foi criado e em certo momento, alterado para ser cobrado sobre empresas que prestavam serviços de profissionais liberais, tais como as de contabilidade e advocacia, que por sua vez, passaram a discutir a obrigatoriedade, e agora chegou a decisão final, que levou LONGOS 12 anos.

Portanto, a insegurança jurídica não está na decisão, mas no tempo que ela levou.

E mesmo com a decisão, a receita só conseguirá cobrar 12 anos das empresas que não pagaram e tiveram essa dívida inscrita na dívida ativa, os demais, tiveram prescrição.

Meus clientes dessa natureza pagaram o COFINS, instrui a eles não discutir, porque era caso perdido...

Richard_UnB_Arof disse...

Infelizmente a evolução dos homens de visão...Está condicionada a mera estagnação por parte daqueles que se contentam com qualquer coisa.

Reginaldo Almeida disse...

Como bem disse Fabio Mayer, a insegurança jurídica está no tempo que o processo tramitou, mas também, segundo o link que você colocou, a uma súmula do STJ.

Na verdade o que acontece é que no Brasil o governo não é sério e trata de arrancar dinheiro onde e como possa.

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email