segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Bush e a Sapatada

O mundo parece ter adorado o evento dos sapatos atirados no Presidente Americano George W. Bush. Eu interpreto o ocorrido sob um prisma diferente: nunca vi nenhum jornalista atirar sapatos em Saddam Hussein. Aliás, tivesse o nobre jornalista atirado sapatos em Saddam Hussein e já teria sido fuzilado. Mas agora, desfrutando da liberdade propiciada pela ação americana, atirar sapatos no Iraque já não é tão perigoso assim. Interessante notar como as pessoas, e a imprensa, deixaram esse fato passar despercebido.

Os sapatos atirados em Bush são a prova definitiva de que o Iraque está melhor hoje do que há 10 anos atrás. Dada a antiga força de Saddam Hussein, e as recentes altas nos preços do petróleo, seria de se esperar que a ditadura de Hussein durasse ainda muitos anos. Foi graças a interferência americana, liderada por Bush, que hoje o Iraque desfruta de liberdade. Liberdade até para atirar sapatos nos outros.

A maioria de nós é incapaz de compreender um fato histórico: liberdade não é o estado natural da humanidade. O normal é a ditadura, a opressão e a escravidão. Mesmo na antiguidade clássica a escravidão era a norma. Gregos e romanos escravizaram várias civilizações; no mundo oriental a escravidão também era fato corriqueiro. O novo mundo também não teve problema algum em aceitar escravos. Foi apenas ao final do século XIX que a palavra liberdade começou a ganhar o sentido pelo qual a conhecemos hoje.

Defender a liberdade não é isento de custos ou sacrifícios. Defender a liberdade é uma tarefa contínua e custosa. Defender a liberdade chega mesmo a ser uma tarefa ingrata em alguns momentos. Mas defender a liberdade é equivalente a defender o nosso direito à existência. Se permitirmos que nos usurpem esse direito, estamos desistindo também do nosso direito à vida. Hoje o Iraque é um lugar muito melhor de se viver do que há 10 anos atrás por um motivo simples: hoje o povo iraquiano tem mais liberdade, tem mais capacidade de exercer seu sagrado direito à liberdade de escolha. Gostem disso ou não, esse foi um bem gerado ao povo iraquiano por George W. Bush, pelas tropas americanas e por seus aliados no Iraque.

8 comentários:

Fábio Mayer disse...

Concordo plenamente!

Esquerdofrênicos e anti-americanos de um modo geral ficaram exultantes com o fato, mas esqueceram que ele encerra a vitória da democracia e das liberdades, contra uma ditadura sanguinária.

Bush fez um bem danado pelo Iraque, o tempo vai mostrar isso.

JOÃO MELO disse...

É por aí mesmo a análise da sapatada. Sempre que existe algo contra a presença dos Estados Unidos no Iraque, esqueçem da ditadura que lá existia. Claro que Bush tem seus interesses inconfessos. Porém, sem direito a Nobel pela Paz, não merece a sapatada democrática que quase levou.

Robert disse...

Será que é mais seguro mesmo? Há denúncias de que o jornalista está sendo espancado na prisão. E ele pode ser condenado a vários anos de cadeia...

Ricardo disse...

Concordo também com a opinião do blogueiro, entretanto acho que ele devia ter acertado a pontaria.. :-)

marco bittencourt disse...

QUe bom podermos divergir. Eu já encomendei o meu sapato iraquiano.

Joana disse...

Bush não tirou Saddam do poder, porque é um libertador, muito pelo contrario, se tivesse nascido no Iraque e Saddam nos Estados Unidos, ele seria o ditador e Saddam levado a sapatada.
E não creio, que haja uma real democrácia no Iraque.
Quanto a sapatada, magnífica, estou esperando a do Chaves, tomara que esta acerte.

MOVCC disse...

BUSH E A SAPATADA

Depois de ler centenas de matérias sobre o assunto, uma mais ridícula que a outra, eis que finalmente encontrei uma análise diferenciada, escrita por Adolfo Sachsida - doutor em Economia - e que reproduzimos abaixo. A Unanimidade é sempre aquilo mesmo!

Republicamos seu material em nosso blogue, Adolfo. Muito bom. Aliás, vários blogues estão republicando.

Abraço

Gaúcho

Rafael disse...

É bom ler opinioes contrarias. Mas para acertar a pontaria eu questionaria qual lado da balança que mais pesou nas verdadeiras intenções por detrás dos EUA e equipe do Bush em sua invasã ao Iraque: Levar a liberdade e a salvação da democracia ao povo iraquiano ou deter um ponto estrategico comercial, economica e militarmente?

tenho minhas duvidas quanto às boas intenções de Bush...

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email