segunda-feira, 13 de abril de 2009

Contra a Unificação do Vestibular

O Ministério da Educação está a frente de um projeto potencialmente nocivo à sociedade: unificar os vestibulares de várias universidades brasileiras. À primeira vista a idéia é boa: se os vestibulares forem unificados fica mais fácil ao aluno se preparar para a prova. Além disso, o aluno poderia aplicar para várias universidades ao mesmo tempo.

Infelizmente a idéia de unificar o vestibular esconde um truque: dá poderes demais para quem elabora as questões do vestibular. Dada a tremenda influência ideológica que tem caracterizado diversos livros de história e geografia, creio que unificar o vestibular irá apenas potencializar o efeito nocivo da ideologia na educação. Com um vestibular unificado um professor honesto será obrigado a ensinar ERRADO a seus alunos. Afinal, ele deverá ensinar a seus alunos a passarem no vestibular. Se quem elabora o vestibular tem um viés ideológico, então um professor honesto (que tenta maximizar a chance de seus alunos serem aprovados no vestibular) deverá levar em conta esse viés ao preparar seus alunos para o vestibular. Esse é o verdadeiro ardil 22: o professor que ensinar de maneira correta induzirá seus alunos ao erro no vestibular, já o professor que ensinar a ideologia (e não a disciplina) estará levando seus alunos ao sucesso.

Se a unificação do vestibular fosse semelhante ao sistema americano, então minha opinião seria outra. No sistema americano a prova unificada refere-se a RACIOCÍNIO LÓGICO, e não a matérias que podem ser impregnadas de ideologia. O vestibular unificado é um erro. Ele implica em dar poderes demais a quem organiza as questões da prova. O vestibular unificado sanciona a doutrinação marxista que vem ocorrendo nas escolas brasileiras, deixando os professores honestos ainda mais reféns da ideologia dominante nos órgãos que organizam as questões do vestibular.

Unificar o vestibular significa doutrinar nossos filhos e as novas gerações na ideologia marxista. Não concorda comigo? Tudo bem, dê uma olhada na última prova do IPEA. Quem organizou a prova do IPEA foi o CESPE. O CESPE é o mesmo órgão que organiza as provas de vestibular da Universidade de Brasília.

11 comentários:

Anônimo disse...

Enquanto não acabarem com as universidades federais e o IPEA, que a meu ver não há razão do governo manter um orgão desses, a palhaçada continuará. Até o próprio ministério da educação é um erro.

Anônimo disse...

Professor, ao que me parece o CESPE e um dos melhores centros de seleção do país. Pelo menos as provas de concurso e vestibular muito elogiadas e estão acima da média nacional.

Marcos

Anônimo disse...

É totalmente ao contrario. Hoje em dia os professores mostram o tudo o que o aluno vai precisar para o vestibular, com a unificação as questões exigirão menos conteúdo aprendido nas escola e mais interpretação de texto. A interpretação não é faz com que os professores tenham que ser máquinas. :D

Anônimo disse...

apoiado totalmente

Pedro disse...

Adolfo, Vejo desta forma.Alem de historia e geografia um vestibular deve considerar materias como fisica, quimica, biologia, portugues e matemática... Por mais que haja viés ideologico nas duas primeiras disciplinas acho dificil encontrar viés nests outras (fisica, quimica e matematica então quase impossivel). Acho que apesar desta influencia há possibilidade. Me lembra muito o modelo da Anpec.
Provas de micro, macro, econometria e estatistica, economia brasileira, inlges e matematica... e economica brasileira que teria um vies mais forte tem peso 0 ou tinha em algumas escolas... Acho que a medida tem potencial se der liberdade para as universidade ponderarem os pesos das provas na seleção de seus cursos.
Sds
Pedro Griese

lelê disse...

Toda forma de concentração seja de poder/conhecimento é ruim. Mas os alunos não querem saber disso, e sim passar no vestibular entrar na universidade e quanto mais "fácil" um sistema de prova melhor para quem está fazendo.

alessandra Santos

Anônimo disse...

Concordo plenamente! De que maneira unificaremos uma prova para o Brasil inteiro, se temos particularidades e uma diversidade cultural! Unificando, farão com que a corrupção dentro das universidades aumente, e eu como vestibulanda estou completamente decepcionada!

gleidsom disse...

essa hidtoria de unificar vestibular
sò vai trazer complicaçõespra região norte do paìs ( amapa ) e os professores daqui não vão abrir mão da " grana preta "" que lels ganham sò para elaborar umas questãosinhas..
aki no amapa não existe nenhuma reserva chamada de "araxá"
e olha que caiu na prova da unifap

Anônimo disse...

Sem dúvida essa história de unificar o vestibular pode ter seus lados positivos. Porém, não passa de medida populista do governo. A falta de educação de base vai ser o primeiro reflexo visível, se apoiada a unificação. Conforme afasta-se dos grandes centros, fica evidente a distância não apenas em termos físicos, mas em termos educacionais também. A oportunidade de estudantes destas regiões (em especial de escolas públicas) entrarem nas federais será reduzida pelo acesso de outros, que habitam em lugares cujo nível de instrução se mostra mais bem construído. Temos o direito de ir e vir, e prestar o vestibular em qualquer instituição. Mas a transformação tem que ocorrer na base, e essa mudança não será tão benéfica, afinal, muitos trabalhos que são de grande importância regional, entrarão em esquecimento em detrimento da elaboração de uma prova unificada.

Anônimo disse...

A proposta da unificação do vestibular,é ruim,pois a prova do enem é muito complexa e mal elaborada exige memorizações e seu conteúdo é muito vasto.
Ao contrário da atual seleção que busca mais o raciocínio lógico e as provas são bem mais elaboradas.

BLOG DO MARCOS GARCIA disse...

Adolfo, acho melhor parar de ser tão liberal. Os EUA quebraram, o mercado financeiro sem regulamentação estatal acabou com o país. abraços marcos

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email