quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Mensagem de Fim de Ano: O Fio da Navalha

Há alguns anos eu percorria as prateleiras de uma livraria quando me deparei com o interessante livro de Somerset Maugham: “O Fio da Navalha”. Enquanto me decidia se compraria o livro ou não, decidi ler o último parágrafo do mesmo. Foi o suficiente para me decidir pela compra do livro. Já não me lembro palavra por palavra, mas o último parágrafo era algo semelhante a isso:

Não sei se esse livro é bom ou ruim, mas relendo o mesmo pude verificar que ao longo de suas vidas todos os personagens encontraram o que procuravam. Os que procuraram a riqueza ficaram ricos, os que procuravam pela felicidade foram felizes e os que procuraram pela morte também a encontraram”.

Neste post de despedida de 2009, deixo registrado aqui o alerta de Somerset Maugham: neste mundo, cedo ou tarde, todos encontram o que procuram. Os que procuram pela felicidade a encontrarão, e os que procuram pelo mal e pela vingança também terão seu encontro. Dessa maneira, escolham bem seus objetivos e seus sonhos pois ao final de nossas vidas serão com eles que nos depararemos.

Um 2010 repleto de paz, saúde, felicidade e realizações são os votos do autor desse blog a todos.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

A Exagerada Punição aos Atletas que usam Cocaina

Em primeiro lugar, quero deixar claro que esse post não tem como finalidade defender a liberação das drogas. O ponto aqui é apenas explicitar o extremo exagero da punição aplicada a atletas profissionais que fazem uso de cocaina. Devemos lembrar que a cocaina não melhora o desempenho físico dos atletas, ou seja, o atleta que usa cocaina não está obtendo uma vantagem ilegal em relação a seus pares. Isso é importante, e tanto é verdade que a punição de atletas que fazem uso de cocaína se baseia no argumento de que “atletas devem dar o bom exemplo”, ou seja, a punição aplicada ao atleta que usou cocaína não se baseia no argumento de que este obteve vantagens físicas ilegais (como acontece quando atletas usam outros tipos de substâncias proibidas).

Quando um atleta é flagrado usando cocaína ele pode ser suspenso por 6 meses. Isto é, ele fica sem sua fonte de renda, sem o seu sustento e o sustento de sua família por 6 meses. Se ele for reincidente pode ser banido do esporte. Ou seja, ele perde permanentemente a sua princiapl fonte de renda. Meu ponto é apenas um: que tal aplicarmos a mesma punição dos atletas a outros usuários de cocaína? Me parece que um advogado é uma figura tão importante numa sociedade quanto um atleta, assim nada mais justo do que aplicar ao advogado a mesma punição que o atleta receberia (afinal o crime é o mesmo). Isto é, que tal banirmos do exercício do direito todos os advogados reincidentes no uso de cocaína? Mas por que pararmos nos advogados? Médicos, economistas, contadores, operadores de telemarketing, cantores de rock, artistas de TV, que tal todos receberam a mesma punição dos atletas?

Vamos agora finalizar meu argumento com a mais simples das colocações: quem fornece mais exemplo para as novas gerações: o professor que dá aulas para elas todos os dias ou os atletas (muitos dos quais nem famosos são)? Ora, creio que um professor seja extremamente importante na formação de uma criança e de um jovem. Sendo assim, os professores também deveriam dar o “bom exemplo”. Dessa maneira, nada mais justo do que professores tanto do ensino fundamental, como do ensino médio e do ensino superior serem banidos de suas profissões caso sejam flagrados duas vezes usando cocaína ou maconha. Que tal fazermos uma visita aos departamentos de sociologia, ciências políticas, antropologia, geografia, história, entre outros, das universidades? Que tal aplicarmos aos professores a mesma punição aplicada aos atletas?

Banir um atleta, tirar dele sua fonte de sustento, apenas porque ele fez uso de cocaína me parece uma punição extremamente alta.

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

A Questão da Migração Chinesa

Por princípio acredito que todos tenham o direito de buscar sua felicidade e realização. Assim, sou contrário a leis que limitem a migração. Migrar é uma das maneiras mais antigas usadas por pessoas descontentes em sua região de origem em busca de um futuro melhor. Contudo, acredito que um pouco mais de atenção deva ser dada a grande onda de migração chinesa.

De maneira alguma sou contrário a migração de chineses, mas algumas considerações devem ser feitas. A primeira delas refere-se a uma questão simples: como os chineses estão chegando ao Brasil? Quem está financiando essa viagem? E acima de tudo: o que há de ilegal nessa operação? Boa parte dos chineses não tem visto de trabalho no Brasil, isto por si só já é uma irregularidade. Mas estou mais interessado em saber qual tipo de contrato de trabalho está sendo feito entre os chineses que migram para o Brasil e os empregadores/financiadores dessa viagem. Tal contrato implica em algum vínculo ou pacto para participar em atividades ilícitas? De maneira direta: contrabando, venda de produtos falsificados ou pirateados, formação de gangues e atividades relacionadas a venda de drogas fazem parte desse contrato de trabalho?

Outro detalhe que me preocupa é a falta de interação entre chineses e não-chineses no Brasil. Um dos grandes méritos dos colonizadores portugueses foi tornar o Brasil um país que assimila culturas. Aqui, judeu come carne de porco, muçulmano toma caipirinha, alemão cai no samba e assim por diante. Ou seja, ocorre efetivamente uma mistura de raças e culturas. Tal interação parece não estar ocorrendo no caso dos chineses. Estes me parecem sempre fechados dentro de sua própria comunidade. Parece que os chineses não fazem amigos fora de sua comunidade e também parecem evitar relacionamentos íntimos com pessoas de outras etnias. Pior, ao contrário dos demais migrantes, parecem manter a língua nativa como meio principal de comunicação. Sem aprender a língua de um país, a assimilação dos migrantes chineses torna-se difícil e a formação de inimizades passa a ser um risco.

Está mais do que na hora de tentarmos inserir os chineses dentro da nossa sociedade, dando chances para que os mesmos possam progredir e realizar seus sonhos. Contudo, é fundamental conhecermos melhor a estrutura da migração chinesa e punirmos os eventuais desvios da legalidade.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Mensagem de Natal: “Papai não desista de mim”

O Natal está chegando e meu blog deixa aqui uma mensagem a todos os pais que estarão passando este Natal longe de seus filhos: não desistam. A frase acima, “Papai não desista de mim” foi escrita por uma criança, impedida de ver seu pai, e reflete o sentimento de várias crianças que todo dia são impedidas de verem seus pais.

A vida é cheia de mistérios e obstáculos, mas nós somos responsáveis por nossos atos. Na vida existem eventos que controlamos e eventos que estão fora de nosso controle. Quanto a estes últimos existe muito pouco o que fazer, mas no que se refere aos eventos que controlamos somos responsáveis por eles. A justiça é lenta, e o rancor de determinadas pessoas é profundo e amargo, mas é responsabilidade de todo pai não desistir de seus filhos. Infelizmente algumas pessoas colocam a vingança à frente da felicidade de seus próprios filhos. Este é um fato que está fora de nosso controle, mas está sob nosso controle nos levantarmos contra o mal, e enfrentarmos a maldade com todas nossas forças é a melhor resposta que podemos dar; é o exemplo que deixaremos na mémoria de nossos filhos: a lembrança de que nunca desistimos deles.

Não meu filho, eu não desistirei de você. Esse é o melhor presente que um pai pode dar a seus filhos. A certeza de que mesmo de longe estamos por perto é o que conforta e acalma o espírito de uma criança. O tempo passa e com ele nossos filhos crescem, a lembrança deles de que tudo fizemos para estarmos por perto é a garantia de que cedo ou tarde passaremos um Natal juntos.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Ninguém segura esse país!!!!!

O IBGE divulgou os resultados do PIB brasileiro em 16/11/2009... hoje, 16/12/2009 (ou seja, apenas 1 mês após a divulgação dos dados) o IBGE reviu os mesmos. Vamos a uma análise bem simples das mudanças que ocorreram em 1 mês:

Período Correção

janeiro-março 2007 2.26%
abril-junho 2007 2.59%
julho-setembro 2007 2.58%
outubro-dezembro 2007 2.37%
janeiro-março 2008 4.24%
abril-junho 2008 3.28%
julho-setembro 2008 4.26%
outubro-dezembro 2008 4.18%
janeiro-março 2009 4.79%
abril-junho 2009 3.01%

Sim, vocês leram corretamente. Em alguns casos as revisões chegam a incríveis 4,79% do PIB!!!! Por exemplo, o PIB revisto para abril-junho de 2009 se situou 3% acima do indicado anteriormente. De maneira semelhante o PIB revisto para janeiro-março de 2009 ficou 4,79% acima do anunciado anteriormente. Essas revisões começam em janeiro-marco de 1995 e vão até abril-junho de 2009, mas as mudanças significativas começam a partir de janeiro-março de 1999.

Gostaria de ver os resultados de papers acadêmicos refeitos com esses dados....

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

O Lado Triste da ANPEC e da SBE

O encontro da ANPEC e da SBE, em teoria, reúne os melhores pesquisadores em economia do Brasil. O nível das sessões está bom e melhorando a cada ano (o que confirma alguns estudos sobre os níveis de publicação internacional).

O lado triste do encontro da ANPEC e da SBE fica por parte do silêncio absoluto de vários pesquisadores ortodoxos sobre a taxa de câmbio. Os heterodoxos nadaram de braçada no encontro: sempre havia um deles disposto a defender algum mecanismo de ajustamento do preço do câmbio (claro que nenhum deles sugere o óbvio: abrir o mercado).

Digo que isso é triste, pois mostra uma falta de força, ou de vontade, de intervir no debate nacional num momento crítico. O conhecimento traz consigo responsabilidades, e os ortodoxos brasileiros estão se esquivando desse debate. Uma pena, pois cedo ou tarde o preço disso irá aparecer.

Gostaria de fazer um pedido aos alunos da EPGE e da PUC-RJ, no papel os centros mais ortodoxos do Brasil, para que cobrem participação de seus professores. Claro que para alguns professores da PUC-RJ é díficil pedir pela liberação do câmbio (uma vez que boa parte deles são contrários a isso). Mas as escolas devem ser consistentes com o que ensinam: se você ensina que preços devem ser flexíveis, então deve ensinar também que o câmbio deve ser flexível.

Câmbio é preço e do ponto de vista ortodoxo preços devem ser flexíveis. Se o câmbio está valorizado isso decorre de impedirmos que as importações aumentem (ou de estarmos estimulando artificialmente as exportações). A solução para o dilema cambial é simples: abertura comercial.

Eu entendo a UFRJ, a UNICAMP e mesmo alguns professores da UnB irem contra essa idéia. Afinal, como heterodoxos eles tem outro modelo em mente. Contudo, é difícil ser contra a liberação da taxa de câmbio sendo ortodoxo. Essa é uma contradição razoável.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

O Escandaloso Golpe de Estado nos Estados Unidos da América

Os fins não justificam os meios”.

Criminoso, para dizer o mínimo, o atentado ao Congresso Americano patrocinado pelo governo Obama. Dar a Agência de Proteção Ambiental (EPA, na sigla em inglês) o poder para legislar sobre a emissão de gases (com o argumento de que os mesmos são prejudiciais a saúde) é concentrar poder demais na mão de um único homem: o presidente dos Estados Unidos.

Vamos por partes: 1) Nos Estados Unidos, ao contrário do Brasil, o presidente não tem tanta força como parece. 2) Há anos determinados setores da sociedade americana querem impor sua visão (altamente viesada e questionável do ponto de vista científico) de que está ocorrendo o aquecimento da Terra (o que é questionável) e de que esse aquecimento foi provocado pelo homem (o que é mais questionável ainda). 3) Esse movimento conta com adeptos famosos, mas o grosso da sociedade americana nunca deu muita bola para isso. 4) Leis que limitem a emissão de poluentes devem OBRIGATORIAMENTE ser aprovadas pelo Congresso Americano. 5) Na ânsia de aprovar medidas contra o (suposto) aquecimento global o governo Obama usou de um ardil: argumentou que os gases emitidos por indústrias afetam a saúde da população. 6) Esse truque de semântica TIRA DO CONGRESSO AMERICANO o poder para legislar sobre esse tema, e transfere essa obrigação (e poder) a uma agência do governo (a EPA).

A medida descrita no parágrafo acima equivale a um golpe de Estado, pois tira do Congresso (e consequentemente dos representantes do povo) o direito a legislar sobre um tema altamente polêmico e de interesse público. Pior do que isso: concentra muito poder na mão do presidente americano. Vamos a um exemplo simples: o presidente americano não tem poder de declarar guerra a uma nação estrangeira. Para declarar guerra ele necessita da APROVAÇÃO DO CONGRESSO. Isso limita em muito o poder de um presidente, e fortalece muito uma instituição o Congresso. Contudo, a ardilosa medida elaborada por Obama pode perfeitamente ser usada para tirar do Congresso também a prerrogativa para declarar guerra. Basta a EPA dizer que a poluição na China esta causando danos a saúde dos americanos e pronto: tira-se o Congresso da jogada. Ou então a EPA pode argumentar que o deflorestamente na Amazônia esta causando prejuízo às gerações futuras de americanos e, novamente, o presidente americano terá mais prerrogativas do que deve.

Interessante notar que a imprensa e os analistas de plantão estão mais interessados nos aspectos práticos e imediatos dessa medida, do que nos potenciais efeitos danosos de longo prazo. Para eles parece que os fins justificam os meios.

sábado, 5 de dezembro de 2009

Panetonegate e o Financiamento Público de Campanhas Eleitorais

O governador do Distrito Federal, José Arruda, está envolto num escândalo semelhante ao de Lula há alguns anos atrás. Acredito que nada acontecerá com ele. Arruda não perderá seu cargo e, provavelmente, será reeleito governador do Distrito Federal. Essa foi a grande contribuição do PT para a jurisprudência nacional. O PT provou que verbas não contabilizadas de campanha, o popular caixa 2, não pode ser considerado um crime sério e nem deve ser motivo para maiores delongas. Afinal, de acordo com a jurisprudência propiciada pelos advogados petistas: “todo mundo faz caixa 2”. Arruda apenas confirmou o que a jurisprudência petista já previra.

Um fato que chama a atenção é o profundo desconhecimento dos magistrados brasileiros dos mecanismos econômicos que levam a corrupção. Recentemente, o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes se pronunciou favorável ao financiamento público de campanhas eleitorais. Em sua opinião, isso diminuiria a corrupção. Vamos por partes: o que é caixa 2? Caixa 2 é exatamente um dinheiro que não foi contabilizado como doação ao partido. Ou seja, deixar o financiamento das campanhas eleitorais a cargo do erário público em nada afeta esse problema. Talvez mesmo o piore. Afinal, agora ao invés de fazer doações legais aos partidos as empresas fariam doações ilegais (exatamente o caixa 2), tornando o problema ainda pior.

Usar dinheiro público para financiar campanhas eleitorais é um equivoco, é extremamente difícil justificar que devemos pagar mais impostos para que os políticos possam fazer campanhas eleitorais de “melhor” qualidade. É absurdo retirar verbas da saúde e da educação para que as mesmas sejam usadas para pagar panfletos e propagandas políticas (apesar de isso já acontecer em parte). O financiamento público de campanhas eleitorais não diminui o problema da corrupção, pelo contrário pode perfeitamente agravar tal problema ao estimular o aumento de doações ilegais para partidos.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Educação e qualidade do voto

"Uma população bem educada vota melhor". "Educação melhora a qualidade do voto".

Quantas vezes você já ouviu os argumentos acima?

Educação é muito importante, contudo leva mais fama do que merece. Parece até que educação é remédio para tudo, não é.

Educação, por si só, não melhore a habilidade de uma população em votar. Vamos a um exemplo simples: o Distrito Federal esta certamente entre os estados com o maior nível de escolaridade do Brasil. Além da quantidade, a qualidade do ensino no DF é melhor do que na maioria dos outros estados.

Que tal olharmos agora as últimas escolhas dos eleitores do DF para o Senado Federal: Arruda (cassado), Estevão (cassado) e Roriz (cassado). Agora o governo do DF esta mergulhado em uma crise com probabilidade de levar a mais desastres. Arruda, dessa vez governador do DF, está no centro da crise.

Para garantir a qualidade do voto dois são os requisitos necessários: 1) opções de candidatos (ou seja, é necessário que existam candidatos decentes); e 2) vergonha na cara por parte da população (em não votar em bandidos comprovados). Infelizmente, sem essas condições educação ajuda muita pouco.

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email