quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Aviso de utilidade pública

Meus caros,

Há um bom tempo eu critiquei a medida do governo que possibilitava o uso do FGTS para a compra de ações APENAS da Petrobras (basta procurar no blog que você encontra meus argumentos).

Pois bem, o tempo passou e para variar mostrou que eu estava certo. Mas escrevo agora para alertar TODOS que compraram ações da petrobrás com recursos do FGTS. Por favor, vá imediatamente procurar alguém que entende do assunto ou você corre o risco de perder muito dinheiro. Motivo: com o advento do pré-sal a Petrobras irá lançar ações para se capitalizar.

A operação de capitalização da Petrobras ainda esta confusa, mas pode apostar: se o minoritário bobear vai perder MUITO dinheiro. Aliás, já estava na hora da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) dar o ar da graça e se manifestar sobre esse assunto.

9 comentários:

D. disse...

Bem, a PETR4 tá subindo. Subiu ontem e hoje. Mas também acumulou uns 25% de queda nesse ano. Apesar que essa tese de fundo do poço não funciona.

A petrobrás me parece mais volátil do que deveria ser. Causado, lógico, pela ingerência direta do governo e suas negociatas pra ganhar dinheiro a custa dos pobres poupadores.

Demetrio Carneiro disse...

Os minoritários já estão perdendo e o pior é que o governo federal simplesmente ignora a Lei das SAs e a CVM faz cara de paisagem...

Anônimo disse...

Professor Adolfo,

Em uma palestra ministrada pelo economista Mauro Halfeld, na UCB em 2003, eu o questionei sobre o uso do FGTS para compra de ações da Petrobras e Vale e ele me deu um conselho parecido com o seu.

Resultado: em cinco anos se eu aplicasse os R$ 10.000,00 que tinha disponível ele teriam se transformado em R$ 100.000,00 já descontado os impostos. Duvidam? Pondem fazer as contas.

Pergunto: por que agora seria diferente?

Ricardo disse...

Oi, Adolfo. Muito bom seu texto.
Em especial o de 1/9, sobre as eleições.
Infelizmente estamos em situação semelhante aos dos alemães. Veja só: um partido de esquerda usando de artimanhas e disfunções capitalistas para, novamente, corroer o erário. Comparar o MST com a Schutzstaffel (SS), também foi muito ilustrativo.
Será que daqui a 60 anos, tal como os alemães, os brasileiros terão vergonha de ter apoiado este lixo de governo?

D. disse...

O Mauro Halfeld não é economista. Ele é administrador, se não me engano.

Economista que é economista não se submete a responder perguntas do público.

Economista de verdade fica 50% do tempo fazendo modelos e os outrs 50% do tempo explicando porque esses modelos não funcionaram na prática.
haha

Ângelo disse...

Adolfo, o minoritário deveria ter rifado as ações de Petrobrás, imediatamente após o anúncio da capitalização.
Sair agora, pode não ser a melhor opção.
Não possuo ações da Petrobrás e, no curto prazo, também não pretendo possuí-las. Com uma taxa de juros tão alta como a brasileira, são poucas as alternativas de investimento que possam, vis-á-vis, serem mais atrativas.
Quanto à CVM, ela é boa em deixar as ações de terceira e quarta linha em leilão por horas, após o lançamento de uma mísera ordem de compra ou venda; nisto, ela é "uótima".

José Carneiro da Cunha disse...

A Petrobrás aderiu a CAM em junho de 2002, qualquer minoritário que se sinta prejudicado pode apelar para lá. É claro que é melhor simplesmente deixar a empresa, como vários dos minoritários relevantes já fizeram (talvez eles não entendam tanto da empresa quanto o D).
Só em 2009 a Petro acumulou 28,2% de perdas em sua capitalização de mercado, o que equivaleu a 56 bilhões. Esse ano a empresa perdeu ainda mais valor, então a idéia “ela tá subindo” não passa de torcida.
O pré sal é um buraco sem fundo (opinião)! Há boas chances de grande parte do petróleo de lá não passar de piche (ou similar), além dos vários riscos tecnológicos que envolvem a exploração (fato). Não vale dizer que o petróleo da lá é bom, a Petro ainda NÃO SABE se é ou não (fato)!
Há severas incertezas quanto à segurança na exploração dos poços, o caso BP aumentou ainda mais essas incertezas. Pouco depois da crise da BP duas plataformas da Petro foram interditadas por falta de condições de segurança, vele lembrar que alguns dias antes disso a Petro afirmava que as plataformas dela eram muito mais seguras que as da BP, e que havia forte fiscalização (as falhas só foram descobertas após denúncia do sindicato dos trabalhadores, a Petro e o governo tentaram abafar o caso).
Sobre a volatilidade da Petro, o Beta da Petro foi estimado por Rodrigues e Ramos em 0,734 para a janela 2000-2004. O Bradesco havia estimado um mínimo de 0,88 para maio de 1997, chegando a cerca de 1,18 em 1999. As estimativas para o período 2004-2009 então dentro de janela semelhante. Há baixa consistência temporal nessas estimações, mas afirmar que a Petro é volátil demais é forçar a barra.
Toda estatal tem desconto adicional, é fato que a ingerência do governo aumenta o risco da empresa.
Conheço vários economistas que respondem perguntas em público, e muitos ganham bastante dinheiro com seus modelos. Aliás, se os modelos de economistas não funcionam, qual será a relevância da volatilidade citada pelo D no primeiro post? Volatilidade só é relevante por causa de um modelo que diz que ela é relevante, e também diz que a distribuição dos retornos é assintoticamente normal. Caso contrário, não vale muita coisa, ou precisamos de muitos outros dados para usá-la.
O ponto de equilíbrio do pré sal é na janela 40-60 dólares. Se os custos aumentarem em uns 50% (provável que seja mais), essa janela deverá mudar para algo como 50 – 80 dólares. Os otimistas (Lula) dizem que o ponto de equilíbrio em quantidade seria alcançado em 2016-2017. Coloquemos uma nova margem de erro ligada a eventuais aumentos de custos e teríamos o BEP apenas por volta de 2025-2030.
Outro ponto é o valor periciado em USD 8,51, um verdadeiro “chute no saco” daqueles que esperavam boa fé.
Antes que algum bocó traga a cotação do Brent, WTI ou Dubai, o da Petro não é da mesma qualidade! E não há marcação a mercado para o dela.
Sobre o conselho do Mauro... quem vive de passado é museu. É evidente que o Mauro soube aplicar muito bem o dinheiro dele, assim como o nome, questionar o conselho é coisa de bocoió. O futuro é incerto, vários conselhos sobre mercado estão errados, outro estão certos, o que é chute e o que é análise é que são os quinhentos.
O fundamental é tentar perceber os riscos e avaliar as incertezas (são coisas diferentes) que certas aplicações possuem. No caso do pré-sal, segundo a Petro e o governo, é quase renda fixa... vários projetos de prospecção e transporte menos complexos tecnologicamente e que comprometiam menos o capital da empresa já falharam tragicamente, no caso da relação pré-sal x Petro, o fato que temos é que se der certo e realmente houver petróleo bom com custo de prospecção competitivo a empresa bomba, se não ela quebre (é 8 ou 80). Caso bombe, há risco do governo meter a mão, aí o minoritário se lasca.
De qualquer forma, há mais cenários onde o minoritário se lasca do que onde ele se dá bem. Como risco (e incerteza) e retorno estão ligados, pode ser um bom investimento, mas eu não poria meu FGTS ou minha aposentadoria nele, metade do meu 13 talvez, mas só metade.
Abs

Anônimo disse...

"Conheço vários economistas que respondem perguntas em público, e muitos ganham bastante dinheiro com seus modelos. Aliás, se os modelos de economistas não funcionam, qual será a relevância da volatilidade citada pelo D no primeiro post?"

Boa Carneiro!

...

"Economista que é economista não se submete a responder perguntas do público."

Caro D.,

O cara que escreveu este post é um baita de um economista e praticamente todo dia emite sua opinião aos leitores do blog.

Cê falou besteira...

D. disse...

Caro anônimo e professor José,

a parte de economista não se submeter à perguntas popular era, claro, uma piada. Assim como é piada que economista fica 50% do tempo fazendo modelo e os outros 50% explicando por que o modelo não funcionou. Não se levem tão a sério.

Sobre a Petrobras, eu tava lendo na folha dinheiro sobre os betas de algumas empresas e a petrobras tinha um beta maior que outras empresas "similares" eu não fiz uma pesquisa, não li no journal of finances, nem nada, por isso disse, que me parece, não afirmando nada.

Eu não entendo de nada mais que ninguém e nem é esse meu interesse, mas o do que eu SEI é o seguinte: Tem ingerência política no movimento acionário da petrobrás. O melhor amigo do meu pai trabalha no mercado financeiro e SEMPRE que vai ter lançamento, divulgaçao de balanço, etc, o Ministro Lobão liga no dia anterior e manda comprar ou vender. Isso trás ou não um risco a mais no papel da empresa?

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email