terça-feira, 12 de outubro de 2010

Por que a Petrobras não pode ser privatizada?

Vendo o debate presidencial temos a falsa impressão de que a Petrobras é dos brasileiros. Não, não é. Quem ganha com a Petrobras não é o povo brasileiro, quem ganha com a Petrobras são os acionistas da empresa e seus funcionários (que muitas vezes recebem salários muito acima do que seria de se esperar em empresas privadas).

A fala dos candidatos à presidência dá a falsa impressão de que se a Petrobras não pertencer ao governo então a riqueza simplesmente desaparece. Isso está completamente errado. A riqueza não é criada ou desaparece dependendo do status de uma empresa ser pública ou privada.

Privatizar a Petrobras não faz com que a riqueza desapareça, faz sim com que desapareçam os cabides de emprego que são usados como moeda de troca pelo partido no poder.

19 comentários:

Anônimo disse...

Boa Adolfo!

Fico cada vez mais desesperançoso vendo esses debates e as pessoas acreditando de fato que privatizar uma empresa é entregá-la de bandeja aos gringos.

Isso é idéia de socialista derrotado.

É uma pena que o Serra precise dizer que não vai privatizar nada.

Imaginou o salto de eficiência em se privatizar correios, infraero, petrobrás, etc?

Eu quero serviços de qualidade e menos cabide de empregos e corrupção!


Fabuloso

Anônimo disse...

Professor,

Quem vai pagar a conta?

10% INSS e o Mínimo de R$ 600,00??? Mais um ministério...

Anônimo disse...

O besteirol econômico do Serra não fica para trás não. E nesse percurso final da campanha ele tem aumentado exponencialmente. José, você sabe que salário mínimo mais alto também tem custos importantes? Você sabe que ele desemprega justamente as pessoas com menor capacitação, dado que a 600 reais/mês, algumas firmas não julgarão mais interessante empregar funcionários de baixa produtividade (justamente os mais pobres)? Isso está em qualquer livro introdutório de economia…falar isso para o povo nem pensar, né? Melhor aproveitar da onda populista que varre o país, certo?

Anônimo disse...

O Serra, como todos esses economistas que pararam de estudar nos anos 1970, tem essa mania de falar em política industrial e, principalmente, de achar que o câmbio é a chave de tudo: basta depreciá-lo para o crescimento sustentado se instaurar com raízes fundas! Não, não e não. Crescimento depende de capital humano, de boas instituições que preservem os direitos de propriedade e mediem conflitos de maneira eficiente, de governos que gastem com moderação e, sobretudo, com eficiência. Essas são as coisas que importam. O câmbio é endógeno Serra, é endógeno (não é variável de política econômica). Esqueça o exemplo da China, meu Deus, pois lá a poupança doméstica é muito alta e isso causa tanto mais crescimento como câmbio depreciado. Atribuir o crescimento chinês ao câmbio é um exemplo clássico de viés de variável omitida (nesse caso, a poupança). Serra, você já ouviu falar de viés de variável omitida??
À guisa de conclusão, me entristece e espanta como o debate sobre política econômica piorou recentemente, tanto no governo como nos partidos de oposição. Em realidade, nos últimos anos vi apenas um político defender com veemência os interesses da população no referente à questão fiscal. Mas num país onde os preceitos básicos da Economia ainda não fazem parte da formação básica das pessoas, sua bandeira não foi devidamente remunerada com votos. Obrigado, Arnaldo, pela sua perseverança no combate aos grupos de interesse e aos populistas.

Fonte:http://colunas.epoca.globo.com/sobalupadoeconomista/

Pedro H. Albuquerque disse...

Com certeza. O setor privado faria o serviço de forma muito mais eficiente que o governo. O governo poderia se concentrar em tarefas muito mais importantes como oferecer esgoto aos 35 milhões de brasileiros não servidos (IBGE). E o povo brasileiro seria o maior ganhador, evidentemente.
Triste o estado esclerótico da política brasileira.

Anônimo disse...

Um exemplo claro de como o setor público pode ganhar com a privatização, é o caso da Vale.

Depois de privatizada, os seus lucros e sua valorização em bolsa aumentou substancialmente.

O Tesouro, que ainda mantém uma parcela de ações da Vale se beneficiou dos ganhos de dividendos. Além disso, não necessitou de arcar com recursos públicos para sua capitalização.

A conta é simples, entrou dinheiro ao invés de sair...

Anônimo disse...

Um exemplo claro de como o setor público pode ganhar com a privatização, é o caso da Vale.

Depois de privatizada, os seus lucros e sua valorização em bolsa aumentou substancialmente.

O Tesouro, que ainda mantém uma parcela de ações da Vale se beneficiou dos ganhos de dividendos. Além disso, não necessitou de arcar com recursos públicos para sua capitalização.

A conta é simples, entrou dinheiro ao invés de sair...

Breno Lima disse...

Adolfo,

Não fico mais assustado com os debates, mas sim com a escalada de temas abordados sem a menor propriedade. A discussão sobre a Petrobrás é extensa e complexa, além de tudo, para mim compreende valores que envolvem o tipo de país que ousamos construir. Lembro o trabalho para desmantelar o império do Rockfeler pelos norte-americanos. A considerar que quase todos os conflitos do seculo XX tem um que de petróleo como motivador, acredito que esta discussão não pode ser levada assim ou não é séria. Realmente, só demonstra o grau de preparo dos nossos candidatos e talvez o despreparo da nossa sociedade para ir além do que já fizemos até hoje.

Luciano disse...

O que tem que se perguntar é quem vai pagar a conta do cabide de empregos que o Lula vem fazendo desse país, ou seja, como ele vem piorando as instituições e estimulando o rent-seeking... A Dilma vai tentar a mesma receita, mas sema a habilidade política de Lula, fazendo com que os gastos sejam ainda maiores? Quem paga? O povo brasileiro que não sentiu ainda devido ao bom crescimento da economia brasileira sustentado em uma política macroeconômica adotada na era FHC.

Sérgio Ricardo disse...

Professor,

Excelente artigo! Os presidenciáveis tem medo de mostrar o ganho que a sociedade terá se ela for privatizada. Podiam utilizar o exemplo da vale. O lance que brasileiro pensa apenas em curto prazo e não consegue ver um palmo dos benefícios futuros que terão com isso. Se privatizarmos, assim sim o resultado econômico que a Petrobrás gera será de todos os brasileiros, pois aumentará a oferta de emprego e elevará o nível de concorrência da iniciativa privada, reduzindo, por exemplo, no custo do combustível, ou seja, na gasolina.

Quero sua autorização para publicar trechos de seu artigo em meu blog.

Abraço!
Sérgio Ricardo

Zé luiz 20 disse...

Olá Adolfo
Concordo com você plenamente, privatização traria melhoria de qualidade e de custo para todos.Agora que tal uma pesquisa a sociedade igual um plebiscito para saber a opinião de cada, e claro, antes disso mostrar para sociedade através de propaganda e de acontecimentos no passado (privatizações da era Collor e FHC) que privatizar uma empresa não significa roubar ela dos brasileiros, e sim dá mais igualdade na distribuição de renda e emprego, e mais, elimina o interesse político por cargos de confiança nessas empresas.

Blog do Adolfo disse...

Grande Sergio,

Sera um prazer ter esse artigo reproduzido em seu blog.

Obrigado pela gentileza,

Adolfo

Sérgio Ricardo disse...

Meu mestre,

Publicado o artigo.
Se quiser depois lê-lo é só acessar o endereço: http://bdsergio.blogspot.com/2010/10/petrobras-do-povo-ou-ao-povo-brasileiro.html

Parabéns mais uma vez pelo artigo.

Abraço!
Sérgio Ricardo

Urban Demographics disse...

Aos olhos do PT, privatizar a Pretobras (reduzindo a zero a participação estatal nela) significa abrir mão de um "importante" instrumento de GASTO/Investimento.

Para o PT, os gastos da Petrobras devem ser utilzados como "indutores do desenvolvimento".

Se isso está correto ou não do ponto de vista da teoria econômica,..... isso "depende"

Anônimo disse...

Por que a Petrobrás não pode ser privatizada? Talvez porque, no governo do PT, ela mais pareça um um argentino: acha que vale um tanto, mas vale bem menos.

Anônimo disse...

Porque eles plantaram a falsa ideia de que sindicatos, ongs, associações, partidos políticos etc. aos quais a empresa foi loteada, são entes de direito público. Mas são privados. Ou seja, a Petrobras já está privatizada por entes privados apaniguados e apoiadores do governo. Então, a cada eleição levantam a questão da privatização para não ter de explicar o porque de não a estatizarem. É disso que se trata e que está sendo desmascarado a cada dia, a cada hora e a cada voto. Ou seja a privatização é um falso debate, enfiado goela adentro de todos. Impunemente, até agora.

Anônimo disse...

Leiam as paginas 112 a 115 da revista VEJA do mês de outubro, ela retrata um pouco dos benefícios.

Ginno

Anônimo disse...

Evidente que ela relatará os beneficios. desde de quando a Veja é imparcial? Faz-me rir.
Leu na veja? azar o seu! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...

Anônimo disse...

A VEJA publicou nessa matéria dados fornecidos pelo próprio governo. Pessoas que ainda acham que a imprensa deve ser imparcial não vão entender a matéria melhor nem ler. Aliais, qual meio de comunicação é imparcial no Brasil?

Ginno

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email