quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Capitão Nascimento para Ministro da Educação

Depois de mais um escândalo no ENEM só existe um homem capaz de moralizar o Ministério da Educação: capitão Nascimento.

Já posso até ouvir nosso nobre herói gritando com a comissão que baniu Monteiro Lobato das escolas:

"Vocês fizeram o que? Baniram o Lobato?? Putaqueopariu 01 tu ta de sacanagem comigo 01!!! 01 você é um fanfarrão!!!"

ou então o capitão dando um tabefe (também conhecido por pedala robinho) na testa do atual ministro e exclamando:

"Bota essa na conta do papa".

7 comentários:

Nilo disse...

Os caras não conseguem imprimir uma prova direito. Pelo menos agora sabemos que Dom Pedro chegou ao Brasil em 1810 e não em 1808, consequentemente fomos uma colônia francesa, já que a família real não escapou de Napoleão!
Como querem que os alunos estudem se nem quem fez a prova estudou.

Dedé Ramos disse...

Só tem um problema. Qual Nascimento contratar? O Capitão que apontava o dedo na cara do culpado ou o Subsecretário de Segurança Pública que virou militante do PSOL culpando o "sistema" e pedindo o fechamento da polícia militar?

Pra mim, o capitão deveria colocar o Ministro Haddad no saco e fazê-lo confessar o mandatário por trás do crime.

Marcelo disse...

Sensacional! Mas acho que no final, seria melhor, além de um "pedala robinho" no ministro, um...“pede pra sair, pede pra sair, pede pra sair”.

Abs

Anônimo disse...

E viva o Capitão Nascimento!!! Pela moralização do Brasil!!

lelê disse...

Mais uma vergonha nacional, esse exame do Enem. É inacreditável como o Brasil consegue fazer as coisas erradas seguidas. Se descentralizassem as empresas responsável pela impressão, acredito que minimizaria o problema. Se tivesse uma empresa em cada região do Brasil, seria mais fácil resolver. É inacreditável que uma empresa centralizou o serviço e bagunçou o cronograma estudantil de milhões de alunos.
É um absurdo! Perdeu totalmente a credibilidade esse exame. Fora que aqui em BsB os livros doados a fundação estão com informações erradas, por exemplo: no livro de ciências sociais diz que a França é um país novo, e no texto acima comenta que foi criado antes de cristo, ou seja, o aluno aprende errado!! Mas graças a Deus e aos professores que descobriram esse erro no final do ano levito, os livros estão sendo devolvido ao MEC...realmente acho que só o capitão nascimento para dá um jeito nessa situação ridícula do exame nacional e nessa de BsB.
Alessandra Santos

Anônimo disse...

Transformaram o Enem em mais um vestibular. Como várias vezes alertado o governo. E como constata o ex- Ministro Paulo Renato. Na época da implantação do Enem, o sistema objetivava a avaliação de escolas e não de alunos. Depois, na era Cristovam Buarque, foi criado o Enade, para avaliar alunos. Vem a era Haddad e coloca o Enem como pontuação para acesso ao ensino superior. Ou seja, virou avaliação de aluno e não de ensino e passou a ser mais um vestibular. Os equívocos saltaram aos olhos. Agora, pelo que defendem-se os responsáveis: o que são 2 mil frente aos 3 milhões de alunos? São exatamente o que são: alunos, famílias, deslocamentos, estudos, pressões, desespero, insegurança, desconfiança, incertezas.
Dawran Numida

Breno Lima disse...

Eu já chamaria de a "Soma de todos os Arremedos", alusão a uma possível paródia do filme de "A soma de todos os medos" e colocaria o Jack Ryan como conselheiro do Lula na tentativa de evitar o inevitável o eventual contra-ataque do MEC, numa tentativa fracassada de evitar o descrédito da população.

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email