sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Economia não é contabilidade

A inflação medida pelo IPCA fechou 2010 em 5,91%. Adivinha quem os "especialistas" estão culpando? Não, parece que ninguém se lembrou de culpar a farra fiscal do governo Lula. Não, parece que ninguém se lembrou de culpar o aumento da oferta de moeda e expansão do crédito (amplamente noticiado nesse blog). Culparam os alimentos...

Economia não é contabilidade. Os "especialistas" olham o IPCA e dizem que 23% do IPCA deve-se ao item "alimentação e bebidas". Daí concluem: dado que o preço dos alimentos subiu, a inflação subiu. Raciocínio correto em se tratando de um contador, mas insuficiente para um economista. Inflação em qualquer lugar do mundo só tem um nome: perda do poder de compra da moeda. E a moeda só perde valor se sua demanda cai ou se sua oferta aumenta. Em palavras bem simples: inflação é um fenômeno monetário.

38 comentários:

Eduardo disse...

pura e simplesmente um fenômeno monetário. estes "epecialistas" esquecem que o aumento no preço dos alimentos é reflexo do fenômeno da inflação, e não explicação.

Anônimo disse...

Perfeito. Enquanto os preços dos alimentos forem dados em reais e o BACEN tiver o monopólio de emitir reais a inflação deve ser debitada na conta do BACEN (com a possivel ressalva da política fiscal, caso em que podemos perguntar sobre a tão falada autonomia operacional do BACEN).

Choques setoriais ocorrem o tempo todo, o que não faz sentido é argumentar que este aumento de um determinado preço seja causa de inflação. Se a política monetária for bem feita ocorrerá um ajuste de preços relativos (resposta absolutamente normal a, por exemplo, um choque de oferta) sem o aumento do nível geral de preços. Simples assim.

Abraço,

Roberto

Anônimo disse...

Saber que a inflação é um fenômeno de demanda, eu até acho que eles sabem. É só ouvir os discursos da "presidenta". O problema é que eles acreditam que podem revogar as leis de mercado. Aí, todos nos ferramos.

Anônimo disse...

Meu vale-alimentação teve reajuste de 6,78%. O IBGE diz que a inflação dos alimentos foi de 10,39%. Isto é, perdi poder de compra, vou comer mal por causa do decantado governo Lula.

Anônimo disse...

Adolfo,

De fato, economia não é contabilidade.

"Raciocínio correto em se tratando de um contador, mas insuficiente para um economista"

Vejo que o senhor não tem a mínima noção do que é contabilidade. Vocês economistas acham que contabilidade é débito e crédito. Se os contadores não soubessem o que é inflação e a entendessem de forma equivocada, não teríamos desenvolvido, no Brasil, o sitema de correção integral, que vigorou até 1995. Todo contador deve saber os conceitos básicos de economia, assim como todo economista deveria conhecer de contabilidade, pois assim como a economia a contabilidade também é ciência.

O que foi escrito pelo senhor é muito temerário.O raciocnio que o senhor se refere é feito por jornalistas e não por contadores.

Anônimo disse...

Adolfo,

De fato, economia não é contabilidade.

"Raciocínio correto em se tratando de um contador, mas insuficiente para um economista"

Vejo que o senhor não tem a mínima noção do que é contabilidade. Vocês economistas acham que contabilidade é débito e crédito. Se os contadores não soubessem o que é inflação e a entendessem de forma equivocada, não teríamos desenvolvido, no Brasil, o sitema de correção integral, que vigorou até 1995. Todo contador deve saber os conceitos básicos de economia, assim como todo economista deveria conhecer de contabilidade, pois assim como a economia a contabilidade também é ciência.

O que foi escrito pelo senhor é muito temerário.O raciocnio que o senhor se refere é feito por jornalistas e não por contadores.

Blog do Adolfo disse...

Caro Anonimo,

Meu post nada tem que desmereca os contadores. Contudo, economia e contabilidade sao coisas distintas, e no que se refere a inflacao espera-se um conhecimento superior dos economistas. Apenas isso.

Adolfo

Anônimo disse...

Fala Adolfo.

Comenta a intromissão do Estado na Internet aí!

http://blogs.estadao.com.br/link/por-uma-internet-mais-livre/

Karl Marx

Anônimo disse...

De uns tempos para cál, tudo é ciência. Ouvi um advogado pronunciar a expressão "a boa ciência jurídica". Agora transformaram Luca Paciolo em cientista.

Anônimo disse...

Anônimo de 9 de janeiro de 2011 16:29. Por aqui, apesar da grita de quem quer maior participação do Estado em tudo, mas não diz-se estatista, a intervenção na net deve ir para as calendas. Aliás, ninguém, quase, utiliza o termo intervenção estatal. Deve ficar engavetada para periodicamente ser tirada da cartola para ameaçar incautos.
Dawran Numida

Anônimo disse...

Adolfo, mas não é possível haver inflação inercial? Uma economia 100% indexada vai ter inflação todo ano sem respectivo aumento da oferta de moeda. Claro que é preciso haver um pecado original, mas depois disso a inflação será completamente dissociada da variação na quantidade de moeda.
Paulo

Blog do Adolfo disse...

Caro Paulo,

Inflação inercial SÓ OCORRE porque o governo aumenta a oferta de moeda.

Adolfo

Anônimo disse...

Caro Paulo,

Imagine uma economia sem moeda, as pessoas trocam bens diretamente. Neste tipo de economia é impossível ocorrer inflação, todo aumento de um preço significa imediatamente a redução de outro preço. Se eu troco um cavalo por duas cabras e o cavalo fica mais caro, suponha que passe a valer 3 cabras, imediatamente a cabra fica mais barata, ao invés de 1/2 cavalo a cabra passa a valer 1/3 de cavalo.

A inrodução da moeda permite que o cavalo, a cabra e todos os outros bens e serviços fiquem mais caros simultaneamente, ou seja, permite que exista inflação. Mas para que isto ocorra é necessário que a moeda tenha uma perda de valor. Ora, se o BACEN não aumenta a oferta de moeda não haverá perda de valor da moeda, portanto não haverá inflação.

Para ficar claro o argumento suponha que a moeda seja de ouro e que não exista mais ouro para fazer moeda. Daí os preços começam a subir, será preciso encontrar mais ouro para fazer as transações. Como não existe mais ouro o aumento da demanda por ouro causará uma valorização do ouro, ou seja, uma redução do nível de preços medidos em ouro.

No parágrafo acima substitua a palavra ouro por moeda, simples assim, a lógica é a mesma. A pegadinha é que moeda pode ser criada sem custo a qualquer momento, mas, se o BACEN, não criar moeda a lógica usada para o ouro se repete e a inflação, seja qual for sua causa originial, não se sustenta.

Isto que falei é conhecimento comum entre os economistas, Friedman nos ensinou na década de 50. Por algum motivo alguns economistas inventam teorias complexas para explicar a inflação e tais teorias implicam em souluções complexas para evitar ou acabar com a inflação. Entre 1960 e 1994 tentamos todas elas, nunhuma funcionou. Em 1994 tentamos usar os princípios descritos acima e, como se esperava funcionou (a estrutura básica do Plano Real segue a receita do Sargent em "O Fim de Quatro Grandes Hiperinflações"), por motivos que eu não entendo alguns colegas querem voltar ao passado e tratar a inflação com teorias que não funcionam, os mesmos velhos argumento e etc. O pior é que parece que eles estão convencendo a sociedade.

Abraço,

Roberto

Anônimo disse...

Bela explicação, assim não tem como não entender.

Parabens Roberto.



Ginno

Sérgio Ricardo disse...

Roberto,

Parabéns pela explicação.
Realmente, foi bastante feliz na explanação de sua ideia.

Abraço!
Sérgio Ricardo

Anônimo disse...

De uns tempos para cál, tudo é ciência. Ouvi um advogado pronunciar a expressão "a boa ciência jurídica". Agora transformaram Luca Paciolo em cientista.


Caro amigo,

percebo que você não conhece quem foi luca paccioli. Graças a ele leonardo da vinci aprendeu matemática. As ciencias contabeis, chamada de contabilidade, é uma das ciências mais antigas do mundo. Estude mais meu caro a contabildade é de fundamental importancia. Vou repetir todo economista deveria saber contabilidade. Warren BUffet já disse isso.

Anônimo disse...

De uns tempos para cál, tudo é ciência. Ouvi um advogado pronunciar a expressão "a boa ciência jurídica". Agora transformaram Luca Paciolo em cientista.


Caro amigo,

percebo que você não conhece quem foi luca paccioli. Graças a ele leonardo da vinci aprendeu matemática. As ciencias contabeis, chamada de contabilidade, é uma das ciências mais antigas do mundo. Estude mais meu caro a contabildade é de fundamental importancia. Vou repetir todo economista deveria saber contabilidade. Warren BUffet já disse isso.

Chutando a Lata disse...

Eu que sempre achei que a contabilidade tivesse apenas um lei: tudo que entra, sai. Aproveito para perguntar ao nobre contador, para que mesmo é que serve a contabilidade de custos.

Leo disse...

Roberto,

Você tem que considerar flutuações na produção também.

Suponha oferta de moeda constante. Uma redução na produção da economia aumenta os preços de todos os bens em relação à moeda.

Preços são dados por oferta e demanda, o aumento de moeda afeta preço porque aumenta a demanda. Mas também tem o lado da oferta, se a oferta se reduz, os preços também aumentam.


Abs,

Leo

samuel disse...

O anônimo Paulo de 10 de janeiro de 2011 12:30 se referiu a uma economia 100% indexada. NENHUMA DAS EXPLICAÇÕES LEVOU EM CONTA O 100% indexada. Este é uma conta matemática à margem da ciência econômica: Influencia da indexação sobre a inércia da inflação. As explicações aqui postadas querem dizer que se o BACEN emitir moeda na proporção da indexação HAVERÁ INFLAÇÃO. Se o BACEN não acreditar nos índices e não emitir moeda, NÃO HAVERÁ INFLAÇÃO? Neste caso acho que há inflação inercial. Alguém pode me responder?

Anônimo disse...

Leo,

Variação no nível de preços não é exatamente inflação. Caso tenha um choque de oferta que reduza a oferta agregada haverá sim um aumento do nível de preços, e pronto. A inflação ocorrerá em apenas um período, depois o nível de preços ficará mais alto mas não ocorrerá inflação. Não é este o tipo de problema que tratamos quando falamos de inflação.

A única maneira de ocorrer o que você falou, inflação com moeda constante em decorrência de choque de oferta, é se ocorrerem seguidos choques de oferta negativos de forma que a oferta agregada se desloque constantemente. Não conheço um caso relevante onde isto tenha acontecido. Mesmo teoricamente tenho dificuldades para ver como justificar este tipo de movimento da oferta agregada.

Abraço,

Roberto

Anônimo disse...

Anônimo,

Se você quis dizer que Da Vinci aprendeu matemática com Paciolo e que, por isso, Paciolo foi um cientista, saiba que matemática também não é ciência.

Leo disse...

Anônimo,

Matemática é ciência até por etimologia...


Roberto,

O que queria chamar a atenção é para a possibilidade de haver variação no nível de preços sem variação da oferta de moeda. Pode ser tanto deflação quanto inflação. Pois seu texto deu a entender que a única fonte seria a variação da oferta de moeda.

Um caso de aumento de custos generalizados foi o choque do petróleo na década de 70.

Abs

Leo

Anônimo disse...

Matemática é linguagem.

Anônimo disse...

Josiah Willard Gibbs, físico, químico e matemático americano, conforme citado no Foundations of Economic Analysis, de Samuelson afirmou:

"Mathematics is a Language"

Chutando a Lata disse...

Tem neguinho que tem que aprender que aumento do nivel gera de preços não é inflação, conforme os economistas compreendem. Inflação tem que necessariamente envolver todos os preços e ser um processo alimentado pela moeda - do seu país ou dos outros, interferindo no cambio flutuante e por aí vai.

Chutando a Lata disse...

Só um adendo, para nào deixar duvidas: mesmo o cambio flutuante ele não interfere com inflação e sim com o nível de preços. No caso do Brasil que se diga de passagem que o cambo balança daqui pra ali mas está já tem bastante tempo em torno de 1,7.

Leo disse...

Anônimo,

Os signos utilizados no portugês formam uma linguagem, mas os conceitos abstratos utilizados para estudar a linguagem é uma ciência.

Cerot, existem os signos utilizados pela matemática, a linguagem que ela utiliza. Mas a Matemática pura, como campo de estudo, é uma ciência. É estupidez ignorar isso. Pegue a própria etimologia da palavra!

Ou você acha que todas as abstrações, conceitos e teoremas desenvolvidos em teoria de sistemas dinâmicos é apenas um dialeto da linguagem matemática!? hahaha

Chutando a lata,

MV = PY

Se MV é constante e Y cai necessariamente P aumenta.

MV = PY

Se Y e V são constantes e M aumenta, necessariamente P aumenta.

Não me importo se você chama um de inflação e o outro de variação de nível de preços.

Abs

Chutando a Lata disse...

Leo. Nota zero!

Anônimo disse...

Não há como formular uma hipótese acerca da matemática e falseá-la. Logo, aceitando o argumento popperiano, a matemática não é ciência. A mim não parece estupidez aceitar isso, embora alguns matemáticos, talvez por amor próprio ou algo parecido, considerem a matemática como uma ciência. Entre eles Gauss é o expoente. Mas há cientistas que consideram o contrário. Por exemplo, um gigante escreveu:

"A filosofia está escrita nesse grande livro - ou seja, o Universo - que se encontra aberto continuamente ante nossos olhos, mas ele não pode ser entendido a menos que se aprenda, primeiro, a ler sua linguagem e interpretar as letras com as quais o compuseram. Ele foi escrito no idioma da matemática e seus símbolos são os triângulos, círculos e outras figuras, sem as quais é humanamente impossível entender uma única palavra de seu texto"

- Galileu Galilei, IL SAGGIATORE (1623).

Outra citação que enaltece a matemática como linguagem é conhecida como Lema dos Pitagóricos:

"O número governa o universo."

Finalmente, Carl Boyer em História da Matemática, ao discutir a origem da metemática, cita Heródoto:

"Sesórtis... repartiu o solo do Egito entre seus habitantes... Se o rio levava qualquer parte do lote de um homem... o rei mandava pessoas para examinar, e determinadr por medida a extensão exata da perda... Por esse costume, eu creio, é que a gemometria vio a ser conhecida no Egito, de onde passou para a Grécia".

Enfim, a menos que os conceitos de ciência sejam diferentes, matemática não é ciência. Nesse caso, é necessário explicitar tal conceito.

Leo disse...

Anônimo,

Eu não estou falando da linguagem utilizada pela matemática e sim dos campos de estudo da matemática. Qualquer teorema matemático pode ser descrito de qualquer outra forma, como o português ou inglês. As citações que você utiliza são no sentido figurado, na idéia de que o universo é regido por relações matemáticas, não tem nada a ver com a confusão com que você está fazendo.

Mais ainda, não sei de onde você tirou que uma hipótese matemática não pode ser refutada. É óbvio que pode. A conjectura de Poincaré, por exemplo, foi provada correta. Já a conjectura de Goldbach ainda é uma conjectura, e pode ser refutada.

Chutando a lata,

Eu te daria zero por escrever isso:

"aumento do nivel gera de preços não é inflação"

Aumento do nível geral de preços é a definição usual de inflação.

A não ser que você queira definir inflação como aumento do nível geral de preços decorrente apenas da variação da oferta monetária.

Abs

Chutando a Lata disse...

Leo. Nota zero again e fim de papo.

Anônimo disse...

A leitura de um diagrama do tipo oferta x procura, quem sabe?, é útil na explicação da inflação como um fenômeno eminentemente monetário. Um aumento de demanda (sem aumento correspondente na oferta) faz os preços subirem. Se isso persistir, teremos inflação. Como a demanda resulta do aumento da renda (nominal), diz-se que a inflação é um fenômeno monetário. É interessante tudo é que todos os estudos (sérios) sobre demanda por moeda, mostram exatamente isso: a velocidade-renda da moeda é aproximadamente 1. Se isso é assim, não há o que discutir: a inflação é um fenômeno monetário.

Anônimo disse...

Resposta para o questionamento :

Eu que sempre achei que a contabilidade tivesse apenas um lei: tudo que entra, sai. Aproveito para perguntar ao nobre contador, para que mesmo é que serve a contabilidade de custos.


A contabilidade de custos pode ser aplicado de diversas maneiras, principalmnete para fins gerencias de indústrias.

Se os senhores economistas valorizam-se as ciências contábeis poderiam enteder a quebra do Lehman Brothers, devido à utilização da REPO 105.

Segue excelente frase de Robert Luz, ex-executivo da BMW :

"A culpa da crise é dos homens da contabilidade, que estragaram a indústria. No início dos anos 70, a palavra de ordem dos diplomados em Harvard era cortar custos. Poucos resistiram à tentação de aumentar as margens de lucro e a qualidade caiu."

Contabilidade é ciência, segue artigo de Antonio Lopes de Sá:

http://www2.masterdirect.com.br/448892/index.asp?opcao=7&cliente=448892&avulsa=4947

"Assim, por exemplo, a escrituração, limita-se a informar que se gastou $1.000 em despesas financeiras, mas, só a ciência tem condições de determinar se tal gasto foi ou não eficaz e ainda até que limite pode ser feito, sem o prejuízo da vitalidade da empresa.

Somente os recursos superiores do raciocínio contábil, podem, de fato, oferecer meios para que se produzam modelos de comportamentos da riqueza.

O contador, portanto, deixou de ser apenas um «informante» para transformar-se em um «orientador», um autentico médico da empresa e das instituições, orientando e opinando sobre os destinos dos empreendimentos."

Currículo do Doutor Lopes de Sá, que era economista, contador e administrador.

Curriculum Vitae
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá

Títulos acadêmicos e prerrogativas culturais:
Nível Superior Máximo:
Doutor em Letras, honoris causa, pela Samuel Benjamin Thomas University, de Londres , Inglaterra, 1999
Doutor em Ciências Contábeis pela Faculdade Nacional de Ciências Econômicas da Universidade do Brasil, Rio de Janeiro, 1964.

Registros Profissionais:
- Administrador - Conselho Regional de Administração - n.º 3 - 6ª região
- Contador - Conselho Regional de Contabilidade de Minas Gerais e do Rio de Janeiro - n.º 1086 MG, registro em 1947
- Economista - Conselho Regional de Economia - n.º 750 - 1ª região

Leo disse...

Meu Deus...

Chutando a Lata disse...

Para não deixar o assunto perdido. Existe uma série de questiunculas em relação inflaçao e que até hoje despertam paixoes. Mas o ponto essencial é que, tal qual velocidade é diferente de aceleraçao, quando falamos em mudar a inflação estamos no mundo da aceleraçao. Muitos acreditam que isso, se persiste no tempo, tem que ver apenas com moeda.bye bye

Anônimo disse...

Contabilidade veio da economia
contabilidade eh mais centrado e exato e economia eh muito mais vago, contabilidade tem a ver com economia e adm, e econmia tem a ver com quase tudo.

Anônimo disse...

Ai, carái!

Agora danou-se tudo.

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email