domingo, 20 de maio de 2012

Entrevista com Miguel Leon Ledesma, o desafio Europeu

Essa é a segunda entrevista que faço com o Professor Miguel Leon-Ledesma. Aqui está o link para a primeira entrevista. O Professor Ledesma é um dos mais destacados pesquisadores europeus. Além de professor na Universidade de Kent, ele é consultor regular do Banco Central Europeu, e tem publicações na American Economic Review, European Economic Review, Journal of Money Credit and Banking, entre outras diversas importantes publicações acadêmicas.

O professor Ledesma não é fluente em português. Assim, pede-se que os leitores desculpem os erros gramaticais.

1) Na sua opiniao, faz sentido manter uma moeda única para a Comunidade Econômica Européia?


Depende do desenho. E claro que o desenho atual da moeda unica nao funciona. Esta e a oportunidade para trocar o sistema. Devemos ir para um sistema com maior uniao de politica fiscal, coordenacao de "real side reforms", e sistema bancario unico com regulacao e supervisao comum. O problema agora jah nao eh se faz sentido manter a moeda unica. O problema eh qual seria a consequencia de abandonar o projeto. Eh bem provavel que se a moeda unica cair, o projeto intero da uniao europeia vai com ela. De ai para frente seria todo problemas.


2) Qual é o caminho para a Grécia sair da crise?

Tem duas partes: o que os gregos tem que fazer, e o que o resto da UE tem que fazer. O resto da UE tem um incentivo muito grande para isolar o problema grego criando alguma garantia para divida publica comum. Nao estou falando de garantir a divida tuda. Tem varias propostas interessantes de como desenhar o sistema sem criar muito moral hazard. Tambem tem que admitir abertamente que a grecia nao pode sair do buraco do geito que esta agora. Com uma populacao de 11 milloes, eh facil fazer um Marshal Plan para a Grecia. Mais notem que a Europa e a comunidade internacional jah deram muitas oportunidades para a Grecia com dois bailouts. O problema na Grecia e de lideranca politica. A clase politica na Grecia mostrou-se totalmente inutil. A sociedade tambem nao gosta de admitir que os problemas foram principalmente criados por eles. Ate essa "iluminacao" nao chegar a eles, vai ser dificil ter um consenso social. A Grecia tem que asumir que a economia deles sera pelomenos 1/3 menor do que era em 2008, e que voltar a esses niveis vai levar decadas. A Grecia foi o unico pais na crise Europea que teve, ate durante periodo do boom, um problema fiscal enorme. Por tanto, tem que se ajustar. Outra coisa eh o ritmo do ajuste. Tentar o ajuste em 2-3 anos seria ridiculo. Soh ia levar a maior inestabilidade politica e social e, como consequencia, o abandono do objetivo. O ajuste levara 10 anos. Finalmente, para acabar com a incerteca, eu estaria de acordo com chamar um referendum de permanencia no Euro. Eles decidem, mais continuar nessa incerteca esta tendo muito custo para outros paises. Ai eu estou de acordo com a Merkel.


3) Espanha e Portugal irão seguir a tragédia grega?

Honestamente, nao da para saber. O problema desses dois paises eh bem diferente da Grecia. No caso do Portugal foi um problema de crescimento. Durante mais de uma decada, Portugal nao cresceu ao ritmo que era de esperar dada sua renda per capita. Mais Portugal nao teve uma bolha de immoveis do tamanho da Irlanda, o RU ou a Espanha. Quando o choque da crise chegou, pegou a Portugal num estado jah debilitado e as contas publicas sufriram. No caso da Espanha, nao teve um problema fiscal durante o periodo da expansao. Foi um problema de credito barato e incentivos fiscais que levaram a uma bolha enorme do mercado de casas. Agora todo esse credito falido esta no sistema bancario, especialmente as caixas locais. Eh um problema de divida privada (que, obviamente, apos da crise se convirtiou em divida publica).

Portugal jah foi concedido um bailout, e na Espanha eh possivel que o sistema bancario precisse fazer uso do fundo de garantia Europeu. O problema com a Espanha, sendo a quarta economia do Euro, eh que o custo da saida poderia ser enorme e levar na frente a Italia. Por esso acho que, alem da Grecia, a probabilidade de outros paises sair do Euro eh bem mais baixa. Mais a tragedia jah esta ali em qualquer caso, em forma de altisimas tasas de desemprego. Esses paises (e incluindo a Franca) vao ter uma "decada perdida".


4) O Reino Unido vai escapar dessa crise européia?

Nao, o Reino Unido nao esta escapando da crise. O comercio exterior do Ru esta muito concentrado na Europa, alem de ser um centro financiero para muitas operacoes de cambio. O sistema bancario britanico tambem sofriria muito pois tem muita interdependencia entre os bancos que leva a um alto nivel de risco sistemico. O fato do Reino Unido ter entrado em recessao de novo refleite duas coisas: a crise na Europa, e o efeito dos cortes de gasto publico. Achar que o RU pode escapar da crise por ficar fora do Euro eh como achar que o Brasil nao sofriria duma queda dos precos das commodities pois nao tem cambio fixo com o dolar.


5) Quais os desafios que devem ser vencidos para manter a Comunidade Econômica Européia? Vale a pena manter a CEE?

A CEE, ou melhor falado, a Uniao Europeia, eh um conjunto de acordos que vao alem do Euro, mais a sobrevivenca do Euro eh a chave para a UE. A racao eh que se o Euro quebra, pode ser que algums paises comecem a renegar dos acordos da UE como mobilidade de pessoas e capital, o qual levaria a retaliacao e uma espiral feia de guerra economica. A segunda parte da questao nao tem nem que pensar: vale muito a pena manter a UE. Foi uma fonte de estabilidade enorme no continente. A sua destruccao nos levaria 50 anos atrais.


6) É verdade que a Espanha vai vender o Real Madrid para a Alemanha?

Olha, toh cancado de ter que desmentir esse rumor. Esso ai sao coisas dos torcedores do Barcelona, que sao uma banda de chorao. Eu jah falei que eu nao vou jogar na Alemanha nao. Nao gosto da comida la. Por tanto, o Real fica na Espanha. Vou falar soh mais essa vez aqui no Blog do Adolfo, pois sei que tem mais impacto do que a BBC e a CNN.

3 comentários:

Anônimo disse...

O Miguel é show de bola. Caracas, que ótimo economista ele é!.
Está escrevendo um livro sobre open economy macroeconomics que pode se tornar o sucessor do Foundations, de Obstfeld-Rogoff.

Anônimo disse...

"Achar que o RU pode escapar da crise por ficar fora do Euro eh como achar que o Brasil nao sofriria duma queda dos precos das commodities pois nao tem cambio fixo com o dolar."

Essa parte deveria ser enviada ao Ministério da Fazenda!

abs

José Carneiro

Vladimir disse...

Oi Adolfo,

Muito boa a entrevista.

abraço,

Vladimir

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email