sexta-feira, 11 de maio de 2012

Um dia na vida de Madalena C. Sachsida, uma homenagem ao dia das mães

A madrugada já ia avançada, e era aquele o período mais frio do dia. Aquele momento onde as estrelas iam aos poucos sumindo, mas o sol ainda não dava indícios de surgir. Na escuridão já se podia ouvir o barulho no quarto dela. Depois outro barulho descendo as escadas, e mais outro do lado de fora da casa. Então o som da água e das roupas sendo lavadas. O silêncio no tanque prenunciava o barulho na cozinha, quando o café começava a ser preparado.

Apesar da pobreza, o uniforme da escola dos filhos encontrava-se impecável, o material escolar em ordem, e o desjejum pronto na mesa. Com a saída dos filhos para o estudo começava outra rotina: vestir e cuidar do marido doente. Depois disso limpar a casa e preparar o almoço. Então limpar a cozinha, e pensar como fazer para o pouco dinheiro ser suficiente para mais um almoço. Esse era seu momento mais difícil no dia, mas não havia tempo para lamentações. O que estava dado estava dado, não poderia ser mudado enquanto os filhos não crescessem, e fossem capazes de ajudar no orçamento. Ela sabia disso, se calava e voltava aos afazeres do lar. Um pão feito em casa e uma blusa de lã feita durante a noite, coisas simples mas que tinham um significado enorme: eram a garantia dos filhos não passarem fome e terem com o que se aquecer.

Naquele dia o filho mais novo fez uma prova e se saiu bem, a filha mais velha conseguiu uma carona e economizou o dinheiro do ônibus, o filho do meio contou uma boa piada que alegrou ao pai. E o pai sorriu. Sim, aquele foi um bom dia para ela. Os filhos estavam seguros e alimentados, o marido não havia passado mal, e assim mais um dia se terminava. Sim, esse foi um bom dia. Igual a este outros 5 mil se passariam até que a situação melhorasse.

Uma homenagem do Sachsida a sua mãe, e as mães de todo o mundo. Uma homenagem a essas mulheres maravilhosas que suportam todas as privações do mundo em troca da felicidade de seus filhos. Feliz dia das mães e muito obrigado!!!

*: o título é uma homenagem ao livro de Alexander Soljenítsin “Um Dia na Vida de Ivan Denisovich”.

5 comentários:

Pedro Erik disse...

Grande Adolfo,

Sua mãe realmente merece, você deve ter dado muito trabalho, hehe.

Grande abraço e feliz dia das mães para ela.

Pedro Erik

Anônimo disse...

Sacanagem, Adolfo! Está querendo me fazer chorar? Brincadeira, véi! É uma mensagem linda. Parabéns à Dona Madalena pelo Dia das Mães e pelo grande filho que ela gerou e criou.

J. Coelho

Anônimo disse...

Isso sim émuma homenagem!

Anônimo disse...

Que bonito professor!

Bem que vc podia contar mais um pouco dessa história, estava muito interessante...

Parabéns a sua a minha e a todas as mães do mundo!

Anônimo disse...

Parabéns, embora retrate o dia-a-dia difícil de uma guerreira, o resultado é visível através dos filhos hoje! O caçula continua um cabeção de inteligência, a mais velha é a mais perfeita (rss) e o do meio até hoje é um piadista, mas ilumina a todos ao seu redor.
Que bela homenagem! Ela merece!!!
[]'s
Niéliton

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email