segunda-feira, 16 de julho de 2012

Entrevista com Irineu de Carvalho: a década de 1970 está de volta?

Neste post, entrevistamos nosso oitavo convidado: Irineu Evangelista de Carvalho Filho. Além de seus méritos acadêmicos, ele também mantém um excelente blog. O Sachsida só tem a agradecer pela gentileza da entrevista.

1) O Brasil está revivendo o final da década de 1970? Será que em breve estaremos revivendo a década de 1980 (apelidada de década perdida)? Por quê?

Resposta) Existem alguns erros que cometemos nos anos 1970 que têm sido reeditados. Por exemplo, o enfraquecimento da liberalização comercial é muito custoso em termos de bem-estar, principalmente à medida que as políticas de incentivo à produção nacional se estendem a setores de bens intermediários e de capital, como a indústria que fornece à Petrobrás. Existem poucas intervenções mais destruidoras do crescimento que o subsídio e proteção à indústria de bens de capital, pois tal encarece o preço do investimento, reduzindo os incentivos para formação de capital.

Outro problema de conseqüências graves é a escolha de campeões nacionais. A mera existência de tal política tem o efeito de desestimular o investimento. Afinal qualquer empresário que não tem certeza que vai ser o ungido em seu setor vai limitar seus planos de expansão. Eu acredito que já estamos colhendo o que plantamos: apesar de taxas de juros reais historicamente baixas e abundância de crédito subsidiado, nossa taxa de investimento ainda é baixíssima e inconsistente com o aumento da taxa de crescimento. Não é coincidência que o Brasil tem uma das taxas de investimento mais baixas entre países emergentes e também um dos maiores bancos nacionais de desenvolvimento do mundo.


2) Qual o maior risco do cenário externo para a economia brasileira?

Resposta) Se eu tenho que escolher um risco apenas, eu realçaria o risco de uma queda nos preços de commodities. Tanto história quanto teoria econômica nos informam que quedas no preço de commodities podem ter conseqüências sérias para a economia brasileira. Na conjuntura atual, uma queda persistente certamente causaria um ajuste no nível da taxa real de câmbio, com conseqüente aumento da inflação ou necessidade de aperto da política monetária. Com o real mais fraco, o custo real dos encargos de dívida externa do setor privado tornar-se-ia mais oneroso, restringiria o investimento, e seria custoso em termos de atividade econômica.


3) O governo parece estar usando política tributária para controlar a inflação. Você acredita que isso seja verdade? Se for verdade, concorda com isso? Por quê?

Resposta) Usar política tributária para conter inflação me parece uma das idéias mais estúpidas que podem ser concebidas em política econômica, portanto eu não acredito que o governo brasileiro esteja fazendo isso.


Nenhum comentário:

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email