segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Bolha Imobiliária: Assunto de Risco

O preço dos imóveis no Brasil deu um grande salto nos últimos anos. Em determinadas localidades o preço dos imóveis chegou a subir incríveis 130% em 3 anos (para uma inflação inferior a 20%). Em situações assim, seria de se esperar uma grande atenção da imprensa sobre este assunto.

Apesar da imprensa vincular notícias referentes a bolha imobiliária, essas veiculações ainda são poucas dada a magnitude do problema. Por que a imprensa não está dedicando mais atenção a esse assunto? Minha resposta: esse é um assunto de risco. Envolvendo inclusive a possibilidade de perda de anúncios por parte dos jornais.

Esse post relata minha experiência com entrevistas a respeito da bolha imobiliária. Desde 2008 estudo esse mercado, e desde essa época dou entrevistas sobre o assunto. Minha opiniao permanece a mesma, existem indícios de formação de uma bolha imobiliária no Brasil. Posso estar errado? Sim, claro que posso estar errado. Mas minha opinião é baseada em estudos e análises, não em levianismos ou ganhos pessoais.

O que mais chama atenção nas entrevistas que dou sobre a bolha imobiliária é a agressividade com que sou tratado. Parece que sou bandido. Em determinada entrevista tive que interromper o repórter e perguntar quem estava sendo entrevistado (dado que eu não tinha oportunidade de dar as respostas). Em outra entrevista, o jornalista me escreveu IN-OFF pedindo desculpas pela matéria que tinha saído e que aquilo não era culpa dele. Em outro jornal, a repórter me ligou dizendo que não podia mais fazer matérias comigo (pois havia a ameaça da retirada de anúncios do jornal caso este insistisse em tratar desse assunto). Conheço uma pessoa que foi ameaçada de receber processo judicial caso abrisse um curso sobre “Bolha Imobiliária”.

Outra curiosidade é como meu trabalho técnico é desqualificado por pessoas que no linguajar delas “não são doutores, mas tem a experiência da vida”. Não menos absurdo é o número de pessoas que criticam meu trabalho técnico sem ao menos serem capazes de entender o que está lá escrito. Em determinada entrevista perguntei a jornalista “Você entendeu a parte estatística do trabalho”, e ela respondeu “Eu não li”.

Não sou o dono da verdade, talvez esteja errado. Talvez não haja bolha no mercado imobiliário. Mas, caso exista bolha, esconder esse assunto não vai ajudar em nada a resolver o problema. Caso não exista bolha, discutir tal assunto não fará mal algum.

18 comentários:

nilo disse...

Certa vez um doutorando da UNB me disse que estava investindo tudo que podia e não podia em imóveis. Quando dei minha opinião contrária a sua atitude (por experiência própria em outro setor), fui desqualificado de várias formas como se eu fosse uma ameaça a seu investimento.
Achei muito estranho, mas agora vejo que tal fato não é isolado.

Anônimo disse...

A bolha existe e vai estourar quando as empresas de captiral aberto não conseguir mais maquear os balanços, que os auditores já não mais assinam. O valor dos imóveis não é mais compatível com a renda. Não tem mistério.

Anônimo disse...

Caro Adolfo, sugiro visitar www.bolhaimobiliaria.com - Já tem muita gente compartilhando os mesmos pensamentos que os seus.

Anônimo disse...

Parabéns por debater de forma aberta o assunto...a mídia parece não querer noticiar os fatos...

enfim, vamos aguardar o tempo trará a verdade.
abs

Rogerio Merhy disse...

Caro Sachsida,

Você poderia citar algum trabalho seu nesta área, ou estudos de outros autores? Gostaria de começar a estudar o tema e não está muito facil conseguir achar material, pelos motivos que você expos no seu texto...

Thyago Américo Schio disse...

Pois é Sachsida...

Tu deveria fazer um comparativo da situação atual do BR com a dos EUA...

E mostrar pra essas pessoas 'treinadas na vida' que os preços caem.

Que digam os americanos, até então entusiastas dessa ideia de que preços de imóveis só subiam.

Anônimo disse...

Estão discutindo o seu post em
www.bolhaimobiliaria.com/2012/10/30/bolha-imobiliaria-assunto-de-risco-adolfo-sachsida/#comments

Anônimo disse...

Imagino a pressão que as construtoras fazem, é muito dinheiro envolvido. Quando liberam alguma materia logo ao final coloca alguem do Secovi falando besteira, sem apresentar um dado plausivel.

Anônimo disse...

Parabéns pelo seu artigo, os especuladores bagunçaram o mercado com seu dinheiro fácil e abundante, tornando os preços absurdos. Agora que os preços estão "patinando" no topo, e não valorizam mais, eles estão caindo ou tentando cair fora. O engraçado é que o mercado agora está tentando passar uma idéia de "normalidade", para que as pessoas comuns (os Consumidores Finais) se interessem em comprar esses imóveis pagando os preços de especulação, aí eu acho que estão querendo demais, mesmo que o governo acene com quedas nos juros e prazos maiores só psra as parcelas caberem no bolso por muitas décadas. (35 anos, hoje) Eu prefiro aguardar, deixar meu $$$$$ rendendo e ver quanto temp esse mercado e essas empresas aguentem ficar com vendas fracas, é melhor esperar 2-5 anos que ficar 35 depois num financiamento que vai esgotrar 1/3 de minha renda.

Anônimo disse...

O mercado transformou-se numa verdadeira pirâmide e como era de se esperar chegamos a um momento em que os preços estão tão absurdos que não tem mais gente nova interessada em entrar nesse esquema, pois não rende nada e só dá gastos. Já percebendo isso as Construtoras reduziram drásticamente os lançamentos, isso vai gerar desemprego desse pessoal todo que migrou para aproveitar o oba-oba (2008-2010) e vão sobrar imóveis encalhados por todo canto. É mais ou menos o que aconteceu na Espanha, eu acho que a bolha brasileira está mais para a espanhola que para a americana e é claro que os meios de comunicação vão vão passar uma idéia de normalidade, para que a situação se resolva no longo prazo, com esses preços sendo comidos pela inflação, o chamado softlanding.

Anônimo disse...

Adolfo, parabéns pela coragem em abordar tal assunto. A maior parte das pessoas que converso não sabe o que signifca bolha imobiliária, mas defende que imóvel só valoriza, e que esta valorização é eterna. Cansei de tentar convencer as pessoas sobre o assunto; Às vezes tenho vontade de falar para elas gastarem tudo que tem em imóveis.

Luciano Nakabashi disse...

Grande Adolfo, eu acho que os preços subiram mais do que o "preço de equilíbrio" desse mercado, mas não apostaria em uma bolha. Talvez a agressividade de alguns jornalistas e outras pessoas seja uma evidência de que "as pessoas" tenham medo de que uma bolha de fato exista e que falar sobre isso teria um grande impacto no preço dos imóveis (estouro da bolha).

Como qualquer agente econômico, a mídia também é capturada por certos interesses, em alguns momentos, ou seja, ela também representa interesses de certos grupos. No entanto, no geral, acho que ela tem um papel muito relevante no Brasil para aumentar a transparência e melhorar a democracia.

Eu, particularmente, tenho a impressão que os preços dos imóveis estagnaram nesse ano. Por outro lado, vejo alguns fundamentos no aumento dos preços dos imóveis até o início do ano. Os seus preços estavam defasados em 2005/2006, ocorreu um aumento da demanda pela mudança em leis e elevação do financiamento, e a mão-de-obra pouco qualificada tem ficado mais cara (lembrar que o setor é intensivo em mão de obra). Se as condições de financiamento melhorarem ainda mais e o preço da mão-de-obra pouco qualificada continuar se elevando (o que é uma tendência em qualquer país que se desenvolva ao longo do tempo e espero que isso continue acontecendo, pois indica que o país está se desenvolvendo e melhorando a distribuição de renda), o preço tende a ficar ainda mais caro, pelo menos daqui a uns vinte ou trinta anos.

Um grande abraço, Luciano

Anônimo disse...

Eu concordo com os sinais de bolha imobiliária. Também concordo que é um tema polêmico, pois alguns utilizam como base de dados diferentes períodos.
Você poderia disponibilizar o link para os dados estatísticos utilizados?

Anônimo disse...

essa é uma forte evidência de que a corrupção também grassa no setor privado. Você conseguiu publicar seu estudo pelo IPEA, que é sempre acusado de aparelhado, mas os jornais privados se recusam a publicar entrevistas com você.

Observador disse...

Prezado Adolfo:

O blog do Observador do Mercado parabeniza você pela lucidez das análises e, acima de tudo, pela coragem, pois conhecemos de perto a força que o mercado imobiliário exerce sobre os meios de comunicação, e suas reiteradas tentativas de mascarar e desqualificar todas as informações sobre a bolha imobiliária.

Nosso espaço estará sempre à sua disposição.

Um grande abraço,

Observador

Nilton Rondon disse...

Os Imóveis valorizam de uma forma rápida, até que chega uma hora que a tendência é diminuirem os preços mesmo.

Anônimo disse...

Parabéns pelo texto, notamos que em vários locais do mundo os preços subiram assustadoramente e depois despencaram, creio que a bola da vez seja o Brasil, muita gente ganhou dinheiro com essa pirâmide especulatória mas tem muita gente que entrou no final dela, não consegue interessado para comprar dele e está com medo de morrer no prejuízo, com o mico na mão. Eu mesmo evito esse assunto com amigos e colegas, principalmente quando eles vêm oferecendo os imóveis que compraram, dizendo que "vão subir ainda mais" (se vão "subir ainda mais", então por que querem vender ?). A verdade pode demorar, mas ela aparece, os agentes do mercado (SECOVI, CRECI, imobiliárias, corretores, contrutoras, a parte vendedora em geral) já estão gastando demais para manter essa idéia de "mercado sólido" e que "imóveis nunca desvalorizam", creio que daqui a 1 ano e meio os preços voltem a patamares até abaixo dos de 2008, quando começou a valorização regada a $$$ fácil e farto dos especuladores, pois temos que analisar que temos muito mais imóveis à venda que naquele ano, as construtoras construiram demais para dar conta dessa falsa demanda, pois se o camarada compra visando vender ele gera "Shadow Inventory" e isso é um negócio complicado, o imóvel vai voltar e vai competir com os da construtora. Notei que 2012 já foi um ano ruim para eles, com corretores caçando a pessoas até em boates noturnas, creio que depois da Copa, a coisa desande. O engraçado é ver especialistas sérios e conceituados como o Sr. sendo marginalizados, já os que criam fantásticas e incríveis hipóteses desprovidas de qualquer lógica para tentar justificar os preços caros, esses são endeusados pelo mercado (vendedor, claro). É por isso que eu gosto muito do vídeo "Peter Schift tinha razão", pseudo-especialistas chegaram a rir dele em cadeia nacional, agora creio que não os chamem essas criaturas nem para dar palpite em jogos de futebol de botão.

Anônimo disse...

Acabei de assitir no Canal 26, seus comentários sobre a realidade brasileira.Isso sim que é programa para a população assistir e deixar de ser tão passiva/inocente em relação ao problemas do nosso país.Concordo plemanente que o Brasil não tem condições de fazer uma copa do mundo, enquanto o povo morre nas filas dos hospitais e pais passam noites em filas para matricularem seus filhos nas escolas. Você foi brilhante qdo. falou que o Governo tem que fazer(na minha opinião-URGENTE),reforna tributária,previdenciária e administrativa. O Brasil precisa de brasileiros assim como você, que tem uma linguagem clara e simples.
Parabéns!!!!

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email