quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

O pior da crise americana ainda está em fase de incubação


Abaixo segue meu artigo publicado no Ordem Livre hoje.

Tenho notado alguns analistas noticiando que a crise nos Estados Unidos se aproxima do fim. Sim, pode ser verdade. Ao menos no que se refere ao problema atual. Contudo, uma crise muito mais severa, vai se propagando e tomando forma em silêncio: a crise fiscal dos estados e cidades americanas.

Vários estados já se encontram em situação delicada, com destaque para a Califórnia e a Flórida. A nível municipal a situação é, no mínimo, tão grave quanto a nível estadual. Várias cidades apresentam problemas sérios de equilíbrio em seus orçamentos. A crise fiscal das cidades e dos estados será o verdadeiro teste de força para a sociedade americana.

Mas, se essa crise é tão séria, por que ninguém fala sobre ela? Não falam porque a esmagadora maioria dos analistas brasileiros não conhece questões mais detalhadas da economia americana. Aqui presta-se muita atenção as decisões tomadas pelo presidente americano, mas quase nada é discutido fora da esfera federal. Talvez essa estratégia de cobertura da mídia faça sentido no Brasil, onde o governo federal tem um poder desproporcionalmente alto em relação aos demais entes federados. Contudo, nos Estados Unidos, onde uma forma de federação mais descentralizada funciona, é um grave equívoco não dar a devida atenção a estados e municípios.

A própria resposta que as cidades e estados americanos deram à crise é solenemente ignorada no Brasil. Aqui poucos sabem dos inúmeros absurdos que legislações estaduais e municipais, aprovadas para tentar minimizar os efeitos da crise subprime, fazem na dinâmica de longo prazo da economia dos Estados Unidos. Por exemplo, em determinada localidade as autoridades municipais decidiram proibir o aluguel de imóveis (para tentar aquecer o mercado de vendas de casas). É evidente que esses tipos de medidas conduzem a enormes desajustes microeconômicos. Desajustes esses que cedo ou tarde irão se expandir para o restante da economia.

Claro que a nível federal a situação americana também não é boa. Mas, não se enganem, a verdadeira bomba relógio está armada, e se refere ao futuro fiscal das cidades e estados americanos.

Um comentário:

Henrique disse...

Ou não...

http://www.economist.com/news/united-states/21569723-laughing-stock-america-gets-serious-about-its-budget-back-black

Enfim, só para enriquecer o debate.

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email