terça-feira, 27 de agosto de 2013

Manobras Cambiais e um Grotesco Erro de Coordenação da Equipe Econômica

Qual é o câmbio de equilíbrio? Em minha opinião a resposta é simples: dadas as restrições de mercado, a taxa de câmbio de equilíbrio é aquela que aparece nos jornais, isto é, é a taxa cambial de mercado. Contudo, muitos discordam de mim e procuram estimar outra taxa cambial. Tais taxas como não são as de mercado, inevitavelmente, levam seus postulantes a pedir por intervenções governamentais no mercado de câmbio.

Não vou entrar aqui no mérito de ser correto o governo intervir no câmbio ou não. Vou discorrer apenas sobre a operacionalização adotada pelo governo para influenciar o mercado cambial. Por um lado o Banco Central utilizou mecanismos de swap cambial para interferir no câmbio. Por outro lado o Ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o Ministro da Indústria e Comércio, Fernando Pimentel, fizeram anúncios públicos de que a taxa de câmbio havia efetivamente mudado de patamar.

A idéia de uma operação de swap, tal como a realizada pelo BACEN, é a seguinte: o BACEN aposta que o dólar irá se desvalorizar no futuro, se isso acontecer, o BACEN ganha dinheiro. Se isso não ocorrer, o BACEN perde dinheiro. O mercado então vê que o BACEN esta apostando na desvalorização do dólar, se o BACEN tem credibilidade, e reservas suficientes, o mercado o segue e o dólar efetivamente se desvaloriza. Contudo, parte significativa desse esforço do BACEN vai por água abaixo quando dois ministros importantes vêm a público dizer que o dólar não irá se desvalorizar, e que este será seu novo patamar.

Resumindo, enquanto o BACEN manobrou para tentar DESVALORIZAR o dólar frente ao real, a outra ponta do governo manobrou para fazer exatamente o contrário. Agora o mercado olha para a atitude do BACEN mas não sabe como interpretá-la. Será mesmo que o BACEN é sério ou será que irá se curvar a Fazenda? Será que o governo está tentendo mesmo desvalorizar o dólar ou será que quer mesmo é o patamar atual? Essa confusão só tende a tornar a intervenção do BACEN menos eficiente, aumentando assim os custos de tal intervenção.

Independentemente de concordar ou não com intervenções na taxa de câmbio, resta evidente que a maneira adotada pela equipe econômica foi desastrosa, e mostrou uma vez mais a pouca sintonia entre seus diversos representantes. O resultado foi o aumento da instabilidade cambial. O dólar vai subir? Vai cair? Ninguém sabe, mas mais difícil do que isso é prever em que direção o governo brasileiro vai efetivamente atuar.

9 comentários:

Paulo Simões Diniz disse...

Desde o início do governo Dilma a Fazenda e o BC vem agindo em direções contrárias em todos os assuntos econômicos: inflação, contas governamentais, câmbio. É um cabo de guerra onde um puxa para um lado e o outro para o lado oposto. E, pelo jeito, o comportamento vai continuar assim até o final do governo. Isto dá a medida da confusão que gera no setor privado, da instabilidade que se gera. Parece que a tia Dilma gosta de ver a casa bagunçada com a filharada disputando espaço e ela tentando mandar sozinha na confusão que acontece.

Anônimo disse...

numa boa, mas vai estudar. ve se eh isso mesmo que eles queriam, ganhar dinheiro no mercado cambial?!?!?!

Adolfo Sachsida disse...

Caro Anonimo,

Aprenda a ler, vai te fazer bem.

Adolfo

Anônimo disse...

sachsida, você confundiu swap com swap reverso.

Swap é um instrumento em que o BC está forçando uma apreciação do REAL.

Sério, o que você escreveu está errado. Confere com algum colega que entenda de finaças. É um erro grave.

Adolfo Sachsida disse...

Caro Anonimo,

Sei bem a diferença entre swap e swap reverso. No texto quis apenas mostrar a logica da operação, por isso evitei de usar o termo swap reverso (que eh o correto nesse caso).

Obrigado pela dica, mas escrevi de maneira proposital para deixar o texto mais enxuto, acredito que nesse caso particular eh mais importante transmitir a ideia do que a tecnicalidade.

Adolfo

Anônimo disse...

Mas o BC está oferecendo Swap e não Swap reverso!

Faz toda a diferença. O BC não está tentando depreciar o real, mas sim apreciá-lo.

Isso é exatamente o oposto do que você disse.

Anônimo disse...

so tem contradiçao pra quem nao entendeu o objetivo.
pede pra um medico brasileiro te explicar.

Adolfo Sachsida disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Adolfo Sachsida disse...

Caro Anonimo,

Tal como eu disse no texto, o BACEN esta tentando valorizar o real frente ao dólar. Enquanto a fazenda faz o contrario. Foi isso que tentei passar no texto, e eh isso que me parece estar ocorrendo.

Adolfo

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email