quinta-feira, 30 de maio de 2013

VideoCast do Sachsida: Sachsida é DEMOCRATAS


Neste vídeo explico minhas razões para me filiar ao DEMOCRATAS. Clique aqui para ver o videocast.

Sachsida é DEMOCRATAS


Caros Amigos,

Depois de refletir muito decidi me filiar ao DEMOCRATAS.

Com o apoio de todos, e com a graça de Deus, espero fazer valer nossas crenças nesse novo desafio.

Adolfo

quarta-feira, 29 de maio de 2013

terça-feira, 28 de maio de 2013

VideoCast do Sachsida: Caridade com Chapéu Alheio: o Caso da Regulação Estatal dos Planos de Saúde


Este videocast é baseado nessa notícia: "ANS vai obrigar planos de saúde a oferecer remédios orais contra câncer".

Neste vídeo demonstro que as regulações impostas pelo governo aos planos de saúde privados tem como consequência o aumento do preço destes, implicando que menos pessoas serão capazes de pagar por eles. Clique aqui para assistir ao videocast.

VideoCast do Sachsida: Inflação na Teoria e na Prática


Esse vídeo demonstra a origem da inflação nos modelos teóricos e no dia a dia das pessoas. Clique aqui para ver o vídeo.

Endividamento alto, juros baixos, desemprego baixo, renda alta... será que alguém notou a combinação?

Caros Amigos,

Prestem atenção para o desastre:

1) A taxa de desemprego está num mínimo histórico
2) A renda está num patamar elevado (basta verificar o salário dos funcionários públicos, o salário mínimo, e o salário real médio da economia)
3) A taxa de juros está num dos menores níveis de que se tem notícia.

Pergunto: se tiver que arriscar você diria que o cenário acima iria melhorar ainda mais??? É evidente que o cenário acima só tende a piorar. Mas notem agora a notícia que está no O Globo: "Endividamento das famílias bate recorde: 43,99% da renda".

Resumindo: o mercado de trabalho está aquecido, os juros estão baixos, e o endividamento das famílias bate recorde. Ou seja, quando a taxa de juros subir, e o mercado de trabalho desaquecer, o estrago vai ser feio...

Em 2005 as famílias deviam às instituições financeiras 18,4% do que ganhavam durante o ano; em março de 2013 este valor foi de 44%. Alguém acha esse tipo de crescimento (numa época que inclui períodos em que a economia brasileira patinou) normal? Isso aponta para uma taxa de crescimento dessa variável próximo de 10% ao ano!!!

Se retirarmos o endividamento referente a compra da casa própria, temos que em março de 2013 as famílias brasileiras deviam às instituições financeiras 30,5% de sua renda anual. Isso numa época em que tudo são flores na economia brasileira, numa época em que nossa taxa de poupança (e não nosso endividamento) deveria estar subindo. Afinal, economizasse na bonanza para se gastar nos tempos difíceis... acreditem ou não, estamos torrando o dinheiro durante a bonanza, o que irá acontecer quando os tempos difíceis chegarem?

domingo, 26 de maio de 2013

VideoCast do Sachsida: Previsões do Brasileirão: Fluzão Campeão e Atrético-PR rebaixado


Seguem as previsões do Sachsida para o Brasileirão 2013:

1) Fluminense
2) Corinthians
3) São Paulo
4) Atlético-MG

Rebaixados:

17) Santos
18) Atretico-PR
19) Nautico
20) Portuguesa

Aqui segue o VideoCast do Sachsida com a análise completa!!! Acesse e de sua opinião!!! Quem serão os 4 primeiros do Brasileirão? E os 4 rebaixados???

sábado, 25 de maio de 2013

Crédito teve expansão de "apenas" 11%!!!!!

Parece piada, mas leiam a manchete do Estadão: "Crédito tem a menor expansão em três anos, aponta Banco Central".

Um leitor desavisado acreditaria que o mercado de crédito está em baixa..... mas olhem só para os dados: o crescimento do crédito livre em 12 meses, encerrado em abril, foi de 11,1%!!! Esse foi o MENOR crescimento em três anos!!! A economia brasileira esta patinando e o crédito cresce ACIMA de 10% ao ano!!!! E a manchete do jornal dá a entender que isso é pouco!!!!

Se incluirmos o crédito direcionado, teremos que a expansão do crédito nesse período foi de incríveis 16,4%!!!! Isso para uma economia que no ano passado cresceu MENOS de 1%!!!! Será que alguém acredita que esse volume de crescimento é normal?!!??!!??

Pra encerrar, nada melhor do que ouvir a sabedoria do Chefe do Departamento Econômico do BACEN, Túlio Maciel: "Eu tenho mencionado que um crescimento de 14% (no crédito) continua contribuindo para que haja expansão da atividade econômica", afirmou. Talvez alguém devesse lembrar a ele que a economia brasileira não está crescendo...

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Quietinho quietinho o BACEN AUMENTA ainda mais a liquidez do mercado.... Quando a Bolha Imobiliária estourar podem culpar o BACEN


Em março o Banco Central alterou (REDUZIU) as exigências de capital dos bancos em operações referentes a crédito imobiliário, crédito consignado, e empréstimos a grandes empresas. O jornal VALOR ECONÔMICO noticiou isso no dia 21 de maio.

Na prática, a decisão do BACEN reduz as exigências de capital dos bancos, isto é, AUMENTA a capacidade de empréstimos nessas operações. Os recursos para o financimento imobiliário estão cada vez mais escassoz, o que faz o BACEN? Estimula a poupança? Não! Em vez disso, o BACEN REDUZ AS EXIGÊNCIAS!!!!! Isto é, na prática o BACEN aumenta a capacidade de financiamento dos bancos sem aumentar a poupança da economia.

O BACEN justificou sua decisão com base em critérios técnicos: as operações listadas acima tem pouco risco, logo os requisitos de capital poderiam ser diminuídos. Além disso, os bancos brasileiros já operam em patamares bem melhores do que os exigidos pelo acordo de Basiléia. Sim, isso está correto. CONTUDO, se houver bolha no mercado imobiliário uma crise na economia terá duas consequências: a) aumento do desemprego com consequente aumento da inadimplência; e b) queda no preço real do imóvel (que é a garantia do banco).

Quando a crise estourar, não adianta dizer que foi culpa do mercado. As políticas monetária e fiscal ERRADAS do governo é que estão nos levando para o abismo.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Café da Tarde: Ciclo de Palestras de Direito e Economia - Programação

Em mais um evento do Café da Tarde, convidamos a todos para o Ciclo de Palestras de Direito e Economia.

Tema: A Constitucionalização do Direito Civil e seus Efeitos sobre a Economia Brasileira

Data: Sexta-feira, 24 de maio de 2013

Horário: 17:30 as 19:00 horas

Local: Centro Universitário de Brasília (UniCeub), no Auditório do Bloco 1.

Preço: de graça (não é necessário se inscrever antes, basta ir diretamente ao evento)

Programação

17:30 horas - A Constitucionalização do Direito Civil: Questões para Reflexão
Palestrante: Rogério Araújo (Procurador do DF, Advogado e Professor do Uniceub)

18:00 horas - Questões sobre o Crescimento de Longo Prazo da Economia Brasileira
Palestrante: Roberto Ellery Jr (Doutor em Economia e Professor da UnB)

18:30 horas: Debate e perguntas da platéia

Informações: sachsida@hotmail.com

terça-feira, 21 de maio de 2013

Bolha Imobiliária: O que fazer?

Existe uma bolha no mercado imobiliário brasileiro? Em minha opinião, e de acordo com meus estudos, a resposta é afirmativa. Talvez eu esteja errado, essa sempre é uma opção.

Supondo que exista mesmo uma bolha no setor imobiliário, o que fazer? Minha resposta a essa pergunta sugere duas estratégias: a) economizar dinheiro, pois quando a bolha estourar ótimas oportunidades de negócio irão aparecer para quem tiver liquidez; ou b) se endividar ao máximo na Caixa Econômica Federal (CEF), e financiar um imóvel. Essa segunda estratégia tem suscitado dúvidas e críticas, e merece mais atenção.

Acredito que quando a crise eclodir, vários mutuários da CEF irão ficar inadimplentes, ou em situação delicada. Isto imporá ao governo uma séria limitação sobre a Taxa Referencial (TR). Sem poder ajustar livremente a TR, ocorrerá uma transferência líquida de recursos para os mutuários da CEF. Daí minha sugestão fazer sentido: o governo (isto é, a sociedade) irá subsidiar os devedores que compraram casa própria.

Algumas pessoas dizem que minha sugestão é imoral, então pergunto a eles: imoral por quê? Em primeiro lugar, eu não faço uso de informações privilegiadas. Em segundo lugar, estou apenas mostrando que toda a sociedade irá ter prejuízo devido a política econômica equivocada do governo. Sendo assim, o melhor a fazer é minimizar esse prejuízo. Já que teremos que pagar a conta, vamos ao menos usar parte desses recursos. Em terceiro lugar, desde quando fazer investimentos de risco é imoral? Por acaso existe 100% de certeza de que eu esteja certo? Claro que não, estou apenas sugerindo uma estratégia (que pode muito bem dar errada). Por fim, quando um analista diz "Comprem ações da empresa Y, os acionistas estão vendendo barato, em 2 anos essas ações valerão 3 vezes mais", por acaso ele está sendo imoral?

Acredito que se endividar para comprar um imóvel pela CEF seja uma estratégia válida. Afinal, em nossa história recente, o Banco Nacional de Habitação (BNH) é um exemplo claro do que estou falando. Minha sugestão nao é imoral, é apenas resultado de uma análise que está disponível a todos. Infelizmente, algumas pessoas preferiam que eu me calasse, que escondesse do público minhas análises. Segundo elas, esse sim seria um comportamento moralmente defensável.

VideoCast do Sachsida: Boatos sobre o Bolsa Familia e Proposta de Mudança


Este video desmente uma mentira, e apresenta uma sugestão de mudança no Programa Bolsa Família.

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Café da Tarde: Ciclo de Palestras de Direito e Economia


Em mais um evento do Café da Tarde, convidamos a todos para o Ciclo de Palestras de Direito e Economia.

Tema: A Constitucionalização do Direito Civil e seus Efeitos sobre a Economia Brasileira

Data: Sexta-feira, 24 de maio de 2013

Horário: 17:30 as 19:00 horas

Local: Centro Universitário de Brasília (UniCeub), no Auditório do Bloco 1.

Preço: de graça (não é necessário se inscrever antes, basta ir diretamente ao evento)

Palestrantes: Roberto Ellery Jr (UnB) e Rogério Araújo (UniCeub)

Informações: sachsida@hotmail.com

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Novas Cotas?

Como eu sempre avisei, políticas de cotas começam sempre localizadas e transitórias, apenas para se espalharem por todas as atividades e virarem permanentes.

O CNPQ passou a EXIGIR que os pesquisadores respondam a questão RAÇA no cv Lattes. Qual a razão disso? É evidente que o CNPQ planeja estudos para verificar a proporção de brancos, negros, índios, amarelos, e outros, entre os que recebem bolsas, ou preenchem o cv lattes. Claro que estudos que verificam a presença de discriminação demandam esse tipo de informação. Então, a priori, pode-se argumentar que o CNPQ estaria apenas cumprindo com sua função de garantir a não ocorrência de discriminação na distribuiçao de suas bolsas. O que certamente é positivo.

Infelizmente, a maior parte dos estudos sobre discriminação são tecnicamente mal feitos. Uma série enorme de procedimentos estatísticos são desprezados, desde que o resultado aponte o que é politicamente correto, isto é, a ocorrência de discriminação contra negros. Interessante notar que nunca se encontra discriminação contra amarelos. Mesmo estudos de ponta, com procedimentos estatísticos sofisticados, são incapazes de afirmar a existência de discriminação. No máximo são capazes de apontar a ocorrência de diferenciais não-explicados pelo modelo.

As políticas de ação afirmativa (cotas entre elas), procuram resolver um problema sério: discriminação contra minorias. Infelizmente, toda vez que seu fracasso fica evidente não se abandona a idéia, pelo contrário, atribui-se o fracasso a falta de intensidade da mesma. Ou seja, ao fracasso de uma ação afrimativa segue-se outra mais ampla e mais duradoura. Parece que dessa vez chegou a hora do CNPQ. Mas em breve chegará a vez dos concursos públicos, dos cargos políticos, e, como besteira pouca é bobagem, cotas para conselhos de administração de empresas estatais e Sociedades Anônimas.

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Oposição no Brasil consegue o que parecia impossível: conseguiu piorar!!!!


Meus amigos, já disse que sou um otimista incorrigível: sempre acho que as coisas podem piorar. Contudo, era pessimista em relação a oposição: não acreditava que ela poderia piorar... ledo engano meu....

A MP dos portos é a única coisa decente que o governo Dilma fez até o momento. Existem bilhões de motivos para a oposição pressionar o atual governo: incompetência, corrupção, má gestão da política econômica, criminalidade em alta, entre outros absurdos que tem ocorrido por aqui. Mas não!!!! Nenhuma palavra da oposição... qual foi o tema que a oposição decidiu fazer oposição????? Sim, justamente na MP dos Portos!!!!!

Agora, nas próximas eleições, teremos o governo Dilma acusando, justamente, os partidos de oposição por terem tentado derrubar a modernização dos portos. Digam pra mim: exatamente por que a oposição, discreta nesses últimos anos, foi querer arrumar confusão justamente contra a única medida decente desse governo????????

Ahhh já ia me esquecendo: não bastou a oposição tentar derrubar a MP dos Portos no Congresso. Tentaram derrubá-la também no STF..... por que o PSDB, que pretende disputar a Presidência em 2014, tentou derrubar essa proposta???

VideoCast do Sachsida: Por que tão poucas mulheres defendem o Liberalismo?


Nesse videocast faço uma pergunta óbvia e importante: por que tão poucas mulheres defendem a doutrina Liberal?

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Será que os liberais se odeiam?

Uma piada antiga diz que um comunista só odeia verdadeiramente outro comunista. A história do comunismo provou isso: toda vez que um dos grupos sobe ao poder procura exterminar o grupo comunista rival. Trotsky é o exemplo mais óbvio, mas certamente não o único.

Para minha desagradável surpresa, já há algum tempo, tenho notado que entre os diversos grupos liberais ocorre o mesmo. Um verdadeiro festival de ofensas entre grupos liberais distintos, às vezes um querendo se demonstrar "mais puro" do que o outro. As críticas feitas por libertários ao Partido Novo são apenas um desses exemplos. Outro foi o volume enorme, e ofensivo, de críticas que recebi de liberais quando comecei a formular o "Café da Tarde". Quando fiz uma passeata em favor do liberalismo, também não notei nenhum apoio. Parecia até que alguns grupos liberais torciam pelo fracasso da passeata (que foi um sucesso parando o Pier 21).

Parece que os diversos grupos liberais lutam pelo monopólio "do verdadeiro" liberalismo, buscam o domínio desse feudo, se sentindo ameaçados por iniciativas mais concretas de grupos rivais. Esse não é o caminho, o liberalismo não é uma religião, nossos livros não são bíblias. Existe amplo espaço para o debate, e os que discordam de nós não são bandidos ou mau caráteres!!! No liberalismo existe espaço para a divergência.

Em vez de nos destruirmos uns aos outros, deveríamos estar usando essa energia para combater os inimigos da sociedade aberta. Para combater o petismo, o comunismo, e o socialismo. Deveríamos nos apoiar, nos auxiliar no combate nessa luta que por si só já é dificílima. Infelizmente, toda vez que algum de nós tenta uma iniciativa mais concreta - seja um livro, um movimento popular, ou um partido político -, as piores críticas, e as mais ofensivas, partem justamente de dentro do movimento liberal.

Atitudes concretas são fundamentais para o sucesso da divulgação das idéias liberais. Quanto mais dessas iniciativas ocorrerem, mais as idéias liberais serão difundidas. Deixemos aos nossos poderosos inimigos a tarefa de nos combater, e concentremos nossas energias no apoio a causa liberal: liberdade individual, propriedade privada, e sistema de preços via mercado.

Considerações sobre a Maldade e Maquiavel

Em sua obra mais famosa, "O Príncipe", Nicolau Maquiavel deixa claro que o mal deve ser feito de uma única vez, e o bem deve ser feito aos poucos. Afinal, a população teria memória curta, se esquecendo rapidamente do mal realizado, mas lembrando do bem que continuaria sendo feito (em doses pequenas e contínuas).

Apesar do conceito acima ser amplamente difundido, ele está nitidamente errado. O mal NUNCA é feito de uma única vez. Pelo contrário, o mal SEMPRE é feito aos poucos. Nenhuma mulher se casaria com um homem que, na primeira briga, a espancasse até quase matá-la. Nenhum eleitor votaria num político que prometesse torná-lo escravo. Nenhuma vítima deixaria de oferecer resistência a um bandido se soubesse que ele pretende matá-la. No mundo real, as agressões vão subindo de intensidade gradativamente.

Se em 2003 Lula tivesse abandonado o regime de metas de inflação, abandonado a austeridade fiscal, e instaurado a comissão da verdade, é pouquíssimo provável que ele teria escapado ileso ao escândalo do mensalão. O mal sempre é feito em pequenas doses, para que a população vá, gradativamente, se acostumando a nova situação.

A situação do Brasil hoje reflete muito nossa acomodação frente à atos bárbaros que teriam nos chocado há 15 ou 20 anos atrás. A destruição de nosso modo de vida nunca é feita de uma única vez, é feita aos poucos. Se Hitler tivesse começado o extermínio de judeus em 1933, ele nunca teria conseguido ir tão longe. Mas em 1933 Hitler exigiu "apenas" que os judeus fossem claramente identificados. Em 1934, criou algumas proibições extras para judeus. Em 1935 outras restrições. Nesse ritmo lento, Hitler quase exterminou uma população inteira.

Hoje nosso modo de vida, nossos direitos, estão minados numa amplitude que nunca teríamos aceitado 30 anos atrás. Estamos sendo cozinhados em "banho maria". Nossa liberdade está cada vez mais em risco. A liberdade de imprensa já está sob ataque. A propriedade privada agora precisa cumprir uma "função social". Definição essa tão ampla que pode englobar absolutamente qualquer coisa. Já passou da hora de darmos um basta nos inimigos da sociedade aberta.


terça-feira, 14 de maio de 2013

VideoCast do Sachsida: O que é Neoliberalismo? O que é ser Neoliberal?


Neste videocast explico o que é neoliberalismo, e o que é ser neoliberal.

Este videocast esta baseado no texto abaixo, escrito em 07 de maio de 2013.


O que é ser Neoliberal? Quem são os Neoliberais? Aliás, o que é Neoliberalismo?

Marxista, liberal, conservador, entre outros, são rótulos aplicados a determinadas pessoas para exprimirem um conjunto de valores por elas defendidos. Por exemplo, marxistas são indivíduos que, seguindo as idéias de Marx, são contrários a propriedade privada dos meios de produção, defendem a luta de classes, e argumentam contra a exploração do trabalho pelo capital. Já os liberais são os adeptos da idéia de que deve ser o indivíduo, e não o Estado, o centro da análise, defendem a propriedade privada, e a liberdade individual.

Rotular alguém de neoliberal significa dizer que ele é um defensor do neoliberalismo. Mas, afinal de contas, o que é neoliberalismo? Para definirmos neoliberalismo, devemos necessariamente definir um conjunto de idéias que o representam. De acordo com alguns intelectuais, neoliberal é um canalha. Infelizmente, ser canalha não pode ser critério para definir a afinidade ideológica de alguém. Afinal, Marx era um canalha notório (além de ser racista e odiar judeus, deixou sua própria família em situação bem difícil), mas me parece improvável que alguém aceite rotular Marx de Neoliberal. Sendo assim, a definição padrão de vários intelectuais (de que neoliberal é um canalha), parece não funcionar bem.

Podemos argumentar que neoliberais são os seguidores da doutrina clássica. Assim, diríamos que os neoliberais defendem a liberdade individual e a propriedade privada. Infelizmente, esse espaço já está ocupado. Afinal, liberdade individual e propriedade privada são bandeiras dos pensadores liberais. Talvez neoliberais sejam os seguidores de Adam Smith que refutam a idéia do valor trabalho. Pode ser. Contudo, Hayek, Mises, Friedman, entre outros, mantinham com Smith o apreço pela liberdade. Sendo assim, parece muito mais razoável classificá-los como autores liberais do que neoliberais.

Ao fim e ao cabo, neoliberalismo não existe. Foi uma invenção da esquerda que, incapaz de vencer as idéias liberais, criou uma figura fictícia (o “neoliberalismo”) atribuindo a essa figura uma série de absurdos facilmente refutáveis. Assim, a esquerda criou um mito, o mito do neoliberalismo, atribuindo a essa invenção uma série de absurdos. A vantagem óbvia dessa manobra é que os marxistas, socialistas e demais esquerdistas, não precisavam mais se debater contra a doutrina liberal. Em seu lugar, passaram a atacar o neoliberalismo, figura que as próprias esquerdas criaram.

Quando você lê algum autor escrevendo que “fulano” é neoliberal, isso não torna “fulano” um neoliberal!!!! “Fulano” só se enquadrará como neoliberal se defender abertamente as idéias básicas do neoliberalismo. Contudo, NÃO EXISTE um grupo de idéias básicas ao neoliberalismo, basicamente porque neoliberalismo é uma invenção da esquerda. A esquerda então diz que neoliberal é quem não gosta dos trabalhadores, ou então quem defende o rico contra o pobre, ou então quem é a favor da miséria da população. É evidente que isso é um absurdo, ninguém defende tal conjunto de idéias.

Note que hoje chamar alguém de neoliberal equivale a uma ofensa. Isso decorre exatamente do fato mencionado no parágrafo acima. Quando seu professor disser: “Fulano é um neoliberal”, pergunte a ele, “Professor, o que é um neoliberal?”. Você verá que a resposta será basicamente uma ofensa ou um xingamento. A solidez dos princípios liberais nunca foi abalada, sendo assim a esquerda tenta criar um factóide para tentar evitar sua derrota. Neoliberalismo é isso, um factóide criado pela esquerda ansiosa de evitar sua derrota no confronto de ideias.

sábado, 11 de maio de 2013

As Desconcertantes Semelhanças entre o Nazismo e o Comunismo

O nazismo é repugnante. Um indivíduo precisa ter sérios distúrbios psíquicos para apoiar um regime cruel como esse. Contudo, seu irmão mais velho, o comunismo, desfruta de uma áurea de beleza e bondade. Por que um deles é visto como um pesadelo enquanto o outro seria um sonho?

Em primeiro lugar, devemos lembrar do que é nazismo. Nazismo foi o regime político implementado pelo partido nazista na Alemanha de Hitler. Tal como PT é a abreviação de partido dos trabalhadores, o nazismo também é a abreviação de um nome: partido nacional-socialista dos trabalhadores alemães, ou simplesmente, partido nazista.

O partido nazista, tal como o partido comunista, buscou sua inspiração nas idéias de Karl Marx. Costuma-se dizer que comunismo é a ditadura da esquerda, enquanto o nazismo seria a ditadura da direita. Nada mais falso, tanto o nazismo quanto o comunismo tem inspiração marxista. Ambos compartilham do ódio contra a burguesia, desrespeitam a propriedade privada (basta ver os confiscos realizados por ambos os regimes), do desprezo pelas liberdades individuais, da glorificação do Estado como centro das atenções, e da respectiva diminuição da importância do papel do indivíduo. Além disso, ambos os regimes pregam a planificação da economia, isto é, defendem o planejamento central da atividade econômica.

Como é bem sabido, a planificação da economia (ou o planejamento central) demanda necessariamente alguma forma de controle de preços. É exatamente por isso que tanto o nazismo quanto o comunismo necessitam de um Estado grande e onipresente. Na ausência de um mecanismo de preços de mercado, é impossível direcionar a atividade econômica sem se recorrer à força física. Daí o caráter autoritário de ambos os regimes. Desnecessário dizer que tanto o nazismo quanto o comunismo foram responsáveis pela execução sumária, e pelo aprisionamento, de milhões de pessoas que cometerem um de dois crimes: ou não concordavam com o regime, ou pertenciam a alguma minoria escolhida para mover o ódio das massas. Aliás, você já notou que tanto Hitler (a figura que ilustra o nazismo) quanto Stalin ou Mao-tsé-tung (figuras que ilustram bem o comunismo) pregavam a morte dos "traidores da pátria"? Já notou que essas figuras sempre justificavam seus crimes com base num sonho futuro? Ou então argumentavam igualmente que a "ganância" de alguns impunha a miséria ao povo (justificando assim o confisco da propriedade pivada e a prisão generalizada de determinados grupos de indivíduos)?

Resumindo, são muitas as inquietantes semelhanças entre o nazismo e o comunismo. Dizer que o nazismo é um regime de direita é um absurdo lógico. Regimes de direita defendem a propriedade privada, o sistema de preços via mercado, e a liberdade individual. Essas três características são desprezadas tanto por nazistas quanto por comunistas. Você pode criticar um liberal por sua crença no mercado. Pode criticar o liberalismo por seu profundo respeito à propriedade privada, e pode criticar o "egoismo" do liberalismo que só pensa em si mesmo (isto é, coloca o indivíduo no centro da análise). Mas são justamente essas características do liberalismo que o colocam no extremo oposto dos regimes nazistas e comunistas.

quarta-feira, 8 de maio de 2013

VideoCast do Sachsida: A Bela Adormecida, o Banco Central, e o Dragão da Inflação


Neste videocast apresento uma justificativa possível para a contínua recusa do Banco Central em combater a inflação: está esperando um príncipe encantado aparecer e matar o dragão da inflação.

Inflação continua subindo, e o Banco Central continua dormindo


Tal qual uma princesa adormecida que espera pelo beijo encantado do príncipe mágico, o Banco Central continua em seu sono profundo, esperando por seu belo príncipe, que matando o dragão da inflação, o acorde de seu sono profundo....

Sério, não tem nem mais o que falar.... a inflação de abril, medida pelo IPCA, ficou em 0,55%. Acumulando alta de 6,49% em 12 meses, mas, acreditem, para o governo isso é uma vitória... tal como diria Pirro "outra vitória como essa e estaremos todos mortos".

Confesso que não sei nem mais o que dizer, o melhor que posso sugerir, no momento, é um concurso de príncipes encantados.... quem sabe um beijo não acorda as princesas encantadas que hoje dirigem o Banco Central.

terça-feira, 7 de maio de 2013

O que é ser Neoliberal? Quem são os Neoliberais? Aliás, o que é Neoliberalismo?


Marxista, liberal, conservador, entre outros, são rótulos aplicados a determinadas pessoas para exprimirem um conjunto de valores por elas defendidos. Por exemplo, marxistas são indivíduos que, seguindo as idéias de Marx, são contrários a propriedade privada dos meios de produção, defendem a luta de classes, e argumentam contra a exploração do trabalho pelo capital. Já os liberais são os adeptos da idéia de que deve ser o indivíduo, e não o Estado, o centro da análise, defendem a propriedade privada, e a liberdade individual.

Rotular alguém de neoliberal significa dizer que ele é um defensor do neoliberalismo. Mas, afinal de contas, o que é neoliberalismo? Para definirmos neoliberalismo, devemos necessariamente definir um conjunto de idéias que o representam. De acordo com alguns intelectuais, neoliberal é um canalha. Infelizmente, ser canalha não pode ser critério para definir a afinidade ideológica de alguém. Afinal, Marx era um canalha notório (além de ser racista e odiar judeus, deixou sua própria família em situação bem difícil), mas me parece improvável que alguém aceite rotular Marx de Neoliberal. Sendo assim, a definição padrão de vários intelectuais (de que neoliberal é um canalha), parece não funcionar bem.

Podemos argumentar que neoliberais são os seguidores da doutrina clássica. Assim, diríamos que os neoliberais defendem a liberdade individual e a propriedade privada. Infelizmente, esse espaço já está ocupado. Afinal, liberdade individual e propriedade privada são bandeiras dos pensadores liberais. Talvez neoliberais sejam os seguidores de Adam Smith que refutam a idéia do valor trabalho. Pode ser. Contudo, Hayek, Mises, Friedman, entre outros, mantinham com Smith o apreço pela liberdade. Sendo assim, parece muito mais razoável classificá-los como autores liberais do que neoliberais.

Ao fim e ao cabo, neoliberalismo não existe. Foi uma invenção da esquerda que, incapaz de vencer as idéias liberais, criou uma figura fictícia (o “neoliberalismo”) atribuindo a essa figura uma série de absurdos facilmente refutáveis. Assim, a esquerda criou um mito, o mito do neoliberalismo, atribuindo a essa invenção uma série de absurdos. A vantagem óbvia dessa manobra é que os marxistas, socialistas e demais esquerdistas, não precisavam mais se debater contra a doutrina liberal. Em seu lugar, passaram a atacar o neoliberalismo, figura que as próprias esquerdas criaram.

Quando você lê algum autor escrevendo que “fulano” é neoliberal, isso não torna “fulano” um neoliberal!!!! “Fulano” só se enquadrará como neoliberal se defender abertamente as idéias básicas do neoliberalismo. Contudo, NÃO EXISTE um grupo de idéias básicas ao neoliberalismo, basicamente porque neoliberalismo é uma invenção da esquerda. A esquerda então diz que neoliberal é quem não gosta dos trabalhadores, ou então quem defende o rico contra o pobre, ou então quem é a favor da miséria da população. É evidente que isso é um absurdo, ninguém defende tal conjunto de idéias.

Note que hoje chamar alguém de neoliberal equivale a uma ofensa. Isso decorre exatamente do fato mencionado no parágrafo acima. Quando seu professor disser: “Fulano é um neoliberal”, pergunte a ele, “Professor, o que é um neoliberal?”. Você verá que a resposta será basicamente uma ofensa ou um xingamento. A solidez dos princípios liberais nunca foi abalada, sendo assim a esquerda tenta criar um factóide para tentar evitar sua derrota. Neoliberalismo é isso, um factóide criado pela esquerda ansiosa de evitar sua derrota no confronto de ideias.

sábado, 4 de maio de 2013

VideoCast do Sachsida: 2015 o ano do ajuste


Neste videocast explico o porque da economia brasileira estar caminhando para o precipício. Para assistir clique aqui.

Este videocast foi baseado no texto que escrevi em 14 de setembro de 2012. Abaixo segue o texto.

O ano do ajuste de contas será 2015

A taxa de juros internacional está num dos patamares mais baixos da história. Um dia ela irá subir. O preço das commodities está num dos níveis mais altos da história. Um dia ele irá cair. Para complicar as coisas, estes dois fenômenos são correlacionados. Isto é, um aumento da taxa de juros internacional tem o potencial de abaixar o preço das commodities. Um dia a taxa de juros internacional irá subir e o preço das commodities irá cair, quando isso ocorrer o Brasil será jogado numa recessão.

O cenário internacional é excelente para o Brasil fazer as grandes reformas macroeconômicas, mas em vez disto estamos aproveitando esse momento para aumentarmos o consumo. Quando o correto seria aproveitar essa folga para fazermos os ajustes que nossa economia tanto precisa: ajuste fiscal, reforma tributária, reforma das leis trabalhistas, reforma previdenciária, abertura econômica, diminuição dos entraves burocráticos, etc.

Internamente o governo está fazendo de tudo para complicar sua situação: do lado fiscal tem aumentado os gastos públicos. O Brasil deve ter sido o primeiro país do mundo a anunciar um ajuste fiscal que aumenta gastos, em vez de diminuí-los, em relação ao ano anterior. Do lado monetário, já ficou claro que uma inflação de 6% ao ano não é preocupação.

Existe uma bolha imobiliária em formação aqui, graças novamente as políticas fiscais e monetárias expansionistas do governo. Existe um problema demográfico seríssimo que o governo insiste em ignorar. Em 2013 os gastos públicos para a copa do mundo terão que sair do papel, piorando ainda mais as contas públicas. Em 2014, como sempre acontece em ano de eleições, o gasto público dará um salto. Inclua nesse cenário a avalanche de medidas provisórias e intervenções governamentais na economia de todo tipo, inclusive as do BNDES, que aumentam o gasto público e favorecem setores eleitos pelo governo em detrimento do restante da sociedade.

Em 2015, primeiro ano do novo governo eleito, será o momento de pagar a conta da irresponsabilidade fiscal e monetária do passado. Economizem dinheiro, pois quando a crise chegar quem tiver liquidez (dinheiro em caixa) vai conseguir fazer excelentes negócios. A partir de 2015 o Brasil amargará o mesmo tipo de cenário que já enfrentou no começo dos anos 1980. Infelizmente, parece que os gestores da economia brasileira nada aprenderam com as lições recebidas ao final da década de 1970.

Finalmente a Equipe Econômica tem um Desafio a Altura


Meus Caros,

Não é segredo para ninguém que o Sachsida é um otimista nato: sempre acredito que as coisas podem piorar....

Pela primeira vez eu visualizo uma real ameaça a equipe econômica atual: Arno Augustin.

Nunca o título de PIOR EQUIPE ECONÔMICA DE TODOS OS TEMPOS esteve tão ameaçado. Como otimista, eu sempre imaginei ser possível piorar a equipe atual. Mas confesso, que Arno Augustin é realmente um nome respeitável. Poucos técnicos do governo reunem tantos atributos ruins numa única pessoa. Entre suas contribuições atuais, merece destaque o completo extermínio da credibilidade das contas públicas.

Claro que sou um otimista, sempre acho possível as coisas piorarem, mas com Arno Augustin à frente da equipe econômica, confesso que chego a imaginar um dream team, com Bresser Pereira fazendo dobradinha com Augustin... aí sim, teríamos uma equipe que nem mesmo o Sachsida é capaz de imaginar pior.

quinta-feira, 2 de maio de 2013

VideoCast do Sachsida: Escolhas têm Consequências


Este vídeo aponta para a inconsistência de determinados "intelectuais" que acreditam que suas escolhas não têm consequências.

Para assistir clique aqui.

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Videocast do Sachsida: As Diferentes Abordagens Científicas: Karl Popper x Karl Marx


Você pode assistir o Videocast aqui.

Ou então você pode ler o texto que escrevi em 03 de outubro de 2007, e que eu reproduzo abaixo.

Respeito a diversidade de opiniões

Quanto mais você ouvir alguém dizer que respeita um ambiente com diversidade de opiniões, pode acreditar: ele está mentindo. Note que todo comunista adora dizer que respeita a opinião alheia... mentira!!!! Comunistas só respeitam a opinião alheia quando esta coincide com a deles.

Você pode estar lendo esse post e acreditar que estou sendo pouco científico em meu comentário. Engano seu, esse post tem uma razoável estrutura teórica. Explico: na tradição liberal, a ciência esta intimamente ligada ao pensamento de Popper. Assim, os liberais compreendem que mais de uma teoria é capaz de explicar o mesmo fato. A ciência é capaz apenas de refutar teorias, mas incapaz de comprová-las por completo. Dessa maneira, na tradição clássica, a diversidade de opiniões (teorias) é um resultado direto do modelo de análise científico. Não faz o menor sentido, na tradição clássica, alguém ter que dizer que respeita idéias diferentes das suas. Afinal, este é um resultado óbvio do arcabouço científico clássico.

Já no mundo marxista a análise é muito diferente. Os marxistas acreditam que a ciência é capaz de comprovar com 100% de acerto a validade de uma teoria. Assim, no mundo marxista não há espaço para a divergência de idéias, uma vez que a ciência é capaz de apontar com certeza qual delas está correta. Daí a necessidade artificial dos marxistas RECURSIVAMENTE afirmarem que respeitam as opiniões alheias.

Discorde de um marxista e você verá todo o respeito que eles nutrem pela diversidade de idéias. Você já discordou de um marxista? Mande sua experiência para este blog!

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email