quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Os Números do Crescimento do PIB

O IBGE divulgou o resultado do PIB para o ano de 2013, o mesmo apresenta um crescimento de 2,3% em relação a 2012 (com crescimento de 1,4% do PIB per capita).

Alguns números me chamaram a atenção. O mais óbvio deles a agricultura que cresceu 7%. Não fosse o agronegócio e o Brasil estaria amargando um resultado bem pior. Então vem minha primeira dúvida: por que o agronegócio é tão demonizado pelos movimentos sociais ligados ao PT?

Minha segunda dúvida refere-se ao crescimento da indústria de apenas 1,3%. Passou-se mais um ano, o BNDES torrou bilhões de reais e novamente o setor que mais recebeu subsídios foi o que menos cresceu. Até quando o governo vai acreditar que o problema da indústria é falta de crédito e problema cambial? O real desvalorizou e o governo deu subsídios creditícios para as indústrias e, mais uma vez, o resultado foi pífio. O problema da indústria não está na falta de crédito ou no câmbio. O problema da indústria está na baixíssima produtividade brasileira. Precisamos urgentemente avançar nas reformas tributárias e trabalhistas, de quebra faz-se necessário uma vigorosa diminuição na estupidamente pesada burocracia brasileira. São estas três palavras: impostos, legislação, e burocracia, os verdadeiros vilões da competitividade da indústria brasileira.

Minha terceira dúvida é sobre o crescimento da formação bruta de capital fixo. O IBGE indica que a formação bruta de capital fixo cresceu 6,3%. Estou muito curioso para saber o que anda entrando nessa conta. Gastos do governo entram como nessa conta? Quando o ministério da fazenda compra ar condicionado para seus escritórios isso está entrando como formação bruta de capital fixo? Os estádios para a Copa do Mundo com certeza entram nessa conta, e é evidente que os mesmos são elefantes brancos. Difícil acreditar que os R$ 1,5 bilhões de reais gastos no estádio de Brasília sejam um investimento que vá gerar algo além de mais despesas no futuro.

Enfim, mais um ano de baixo crescimento econômico e de inflação em alta. Não custa lembrar que meus estudos sobre a curva de Phillips já sugeriam isso. Já mostravam que permitir um aumento da inflação faria muito pouco pelo crescimento econômico. Quem sabe da próxima vez seja ouvido, a esperança é a última que morre.

3 comentários:

Anônimo disse...

http://oglobo.globo.com/pais/candidatos-petistas-terao-que-doar-parte-do-salario-para-partido-11734743#ixzz2uYCaj700

Paulo Vinícius Furlan disse...

Muito bem observado, de alguns anos pra cá, mesmo não sendo economista, percebo na minha cidade uma crescente onda de construções e kitnets, destinadas a estudantes, alguns ainda continuam investindo com a farra do crédito barato. Eu já tinha percebido, mesmo sem nenhum conhecimento prévio em economia, que isso iria dar errado. Bem como não boto grana nisso, só espero ter dinheiro pra comprar na baixa.

Muito bom seu blog, abraços.

Ricardo R disse...

FBCF = puro, puríssimo finame de 3%. acabou o finame barato, acabou o crescimento forte da fbcf. acho q vai até ter queda, pq nao tem como vender 50% mais caminhoes esse ano, como ano passado. acho até impossivel manter o mesmo ritmo.
espere esse ano e me cobre se eu estiver errado.

Não levarão mais que dois ou trÊs trimestres pro pessimismo atingir níveis abissais nesse país. Os números vem piores, mes a mes. uns mais outros menos, mas a piora é sólida. só esses analista mongo de jornal q nao conseguem ver essas coisas.

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email