terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Um Pequeno Passo Para um Comunista, Mas um Passo Gigantesco Para Conservadores e Libertários


Para os comunistas é sempre muito simples se juntarem em associações e assembleias, diria até que isso está no gene desses movimentos. Contudo, para conservadores e libertários parece haver certa resistência a associação. Nossa realidade é muita clara, estamos lutando contra o maior adversário que já habitou a Terra: estamos lutando contra os inimigos da sociedade aberta. E verdade seja dita, no Brasil, estamos perdendo de goleada.

A esquerda praticamente tomou todas as associações de representação civil. Aqui e ali existem honrosas exceções, mas há muito tempo que a esquerda não se permite ficar de fora de nenhum sindicato, associação de classe, clube de bolinha de gude, etc. As universidades e os veículos de comunicação em massa (jornais, revistas, rádio e televisão) são a vertente mais óbvia da supremacia que as esquerdas alcançaram em nosso país. Novamente, existem exceções. Contudo, estas estão geralmente isoladas e desarticuladas. O que mostra que a situação dos que defendem ideias conservadoras e libertárias no Brasil é bem precária.

Então venho fazer um pedido: vamos tentar nos organizar. De maneira alguma sugiro ignorar nossas diferenças. Sugiro apenas que reconheçamos o óbvio: estamos sendo esmagados pelo rolo compressor comunista. Vamos trabalhar com nossas similaridades (que são muitas). Vamos tentar organizar nossa resistência. Vamos tentar nos organizar de forma a difundirmos nossas ideias básicas. Todo libertário e todo conservador concorda com a proteção da propriedade privada, todos concordamos com um sistema de preços via mercado, todos concordamos com a proteção das liberdades individuais. Vamos nos organizar e fazer com que nossas ideias voltem a circular nas universidades, que é onde tudo começa. Com o tempo essas ideias alcançarão os professores do ensino básico, os jornalistas, os movimentos da sociedade civil, os juízes de direito, e finalmente o Congresso e o executivo.

Peço um favor a todos: você participa de algum movimento conservador ou libertário? Então por favor me envie seu contato. Vamos conversar, trocar ideias. Ver o que é possível ser feito. Sim, essa ideia esta longe de estar finalizada. Mas certamente é um pontapé inicial. Meu e-mail: sachsida@hotmail.com. Por favor, no assunto da mensagem escreva "conservador" caso você participe de algum grupo conservador, ou "libertário" se você participa de algum grupo libertário, ou simplesmente "liberal" caso você prefira.

Precisamos nos coordenar mais, precisamos nos unir. Faça essa mensagem chegar o mais longe possível. Aguardo seu e-mail.

6 comentários:

Bruno Leite disse...

Tem o total apoio deste liberal classico, Sachsida!

Abs,
Bruno Leite
http://brasilaoleite.wordpress.com

Anônimo disse...

E quem não participa de nenhum grupo, como fazer pra ficar a par das conversas?

Anônimo disse...

Excelente iniciativa, Adolfo.

Sugestão: comecemos por nos articular aqui em Brasília. Façamos encontros periódicos para discutir obras liberais, conjuntura nacional (reuniões mensais, talvez). Vamos nos ajudar com indicações de empregos, cargos, etc. A esquerdalha faz isso há quase 200 anos, por isso conseguiram ocupar todos os poros da sociedade.

abç

Daniel Marchi
danielmarchi@gmail.com

Anônimo disse...

Sabe o motivo de estarmos isolados e desarticulados? NÓS TEMOS QUE TRABALHAR!!!! Esquerdistas, em geral, são desocupados, esquerda caviar ou vivem do financiamento público. Nosso tempo e nosso dinheiro, ao contrário dos deles, são escassos: temos que trabalhar, estudar, ganhar dinheiro para cuidar de nossas famílias. Pegue o exemplo dos militantes profissionais da esquerda: na maioria são "estudantes" que recebem ajuda financeira de partidos políticos e não têm filhos ou famílias a sustentar. Assim fica fácil militar a favor de porcarias...

Gostaria muito de contribuir de alguma forma, não suporto mais estar rodeado de esquerdistas: no escritório, nas salas de aula, no ônibus, nos jornais, etc. No entanto, não tendo meios, faço o que está ao meu alcance: tento conscientizar pelo menos a minha família.

E mesmo assim é difícil: ofereci como leitura a um primo o livro "Filho Radical", do David Horowitz. Resposta: "ah, esse livro é muito grande, não vou conseguir ler". Quando começo a falar da articulação da esquerda na América Latina sou chamado de teórico da conspiração...

Como podemos educar um povo que:

1. Encabeça a lista dos analfabetos do Universo

2. Os alfabetizados acham que ler é chato ou preferem ler livros esquerdistas.

3. As pessoas não lêem e mesmo assim tentam desqualificar os argumentos de quem leu muito sobre o assunto.

Não quero ser pessimista, mas essa estupidificação da população brasileira, não só com relação aos perigos do comunismo mas com relação ao funcionamento do mundo em geral, não será revertida agora. Isso deveria ter começado durante o período militar, momento em que a esquerda começou a se infiltrar nas universidades e começou a formar os professores que iam doutrinar nas escolas públicas e particulares das gerações seguintes.

Não vejo muito como reverter tal quadro a curto prazo. A única coisa a fazer no curto prazo, quem puder, é fugir daqui. Para o Texas, de preferência...

Anônimo disse...

Olha o aparelhamento aí: http://noticias.band.uol.com.br/cidades/noticia/100000666624/ba-moradores-sao-coagidos-a-fazer-cadastro-como-indios-.html

Como lutar contra isso?

Anônimo disse...

E quem não participa de nenhum grupo, como fazer pra ficar a par das conversas? X 2

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email