terça-feira, 25 de março de 2014

Polícia na Rua e Bandido na Cadeia: Receita de sucesso para combater a criminalidade


O óbvio é para poucos. Mas as vezes, mesmo para os imbecis, fica difícil ignorar o óbvio. Então vamos começar a repetir, antes que isso caia no esquecimento: colocar policiais nas ruas e bandidos na cadeia é uma fórmula de sucesso no combate ao crime. Ora, se isso é tão óbvio, por que ninguém diz???

Eu tenho estudos mostrando que prender bandidos e colocar mais policiais nas ruas diminui a taxa de homicídios. Infelizmente tais estudos não ganharam a divulgação que mereciam. Engraçado que estudos similares, mas apontando a discriminação como causa da violência, ganharam muito mais destaque.

Hoje existe uma forte agenda que tenta demonizar policiais. Tal agenda praticamente proíbe a menção ao óbvio: quando temos problemas ligamos para a polícia! Já cansei de ver progressistas metendo o pau na polícia. Adivinhem o que eles fazem quando se sentem em perigo??? Isso mesmo, ligam para a tão demonizada polícia. Gilberto de Carvalho, em recente pronunciamento, atribuiu a polícia a origem da confusão ocorrida com o MST em Brasília. Espero que, da próxima vez que o MST vier a Brasília, a polícia fique de fora e deixe Gilberto de Carvalho se entender diretamente com seus "pacifistas" do MST. De minha parte digo: fosse eu o secretário de segurança, e esses arruaceiros que feriram 30 policiais iriam dormir na cadeia, e estariam respondendo processo judicial.

Falar mal da polícia da status para os progressistas. Assim, trabalhos que dizem que mais policiais combatem a criminalidade são praticamente ignorados. Defender sanções duras para menores de idade que assassinam, estupram, e roubam também está fora de cogitação para os progressistas. Para alguns deles, as pessoas não respondem a incentivos. Toda a evidência teórica e empírica acumulada mostra que tal argumento é falha. As pessoas respondem SIM a incentivos. Mas os progressistas não estão interessados em fatos, estão interessados em agendas. E, na agenda progressista, defender que a pena de prisão é importante para combater o crime não dá status de intelectual.

A criminalidade esta tomando proporções gigantescas no Brasil. O cidadão de bem esta cada vez mais acuado. A demonização da polícia, e a censura dos intelectuais a pena de prisão, muito contribuíram para a situação atual. Certamente existem várias maneiras de se combater a criminalidade. Contudo, é ilusão acreditar que só podemos combater a criminalidade no longo prazo com distribuição de renda e educação. NEGATIVO!!! Podemos fazer muito no combate à criminalidade no curto prazo. Para tanto, precisamos de mais policias nas ruas, e não devemos nos envergonhar de colocar bandidos atrás das grades.

2 comentários:

Anônimo disse...

Brasilia tem na casa de 2,6 milhões de habitantes com mais de 17 mil PMs sendo que 3 mil nas ruas. Em Chicago temos 15 mil policiais sendo que 13 mil nas ruas para 2,7 habitantes. Como que pode eu ter 17 mil empregados e apenas 3 mil por turno?

Ginno

Cinara Sampaio disse...

Adolfo, li seu estudo sobre "Evolução e determinantes da taxa de homicídios no Brasil - Ipea" e concordo com a conclusão a que chegaram sobre o aumento do número de policiais nas ruas que além de intimidar e evitar novas infrações, prenderiam os q cometem delitos.
Então, ao prender tem-se uma sensação de que a segurança foi restabelecida, mas o problema é transportado para o sistema carcerário, que é esquecido pelo poder público.
Portanto, deve-se levar em consideração a situação carcerária que está em crise a muito tempo. O que não justifica deixar de prender, nem prender sem justa causa.

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email