sábado, 27 de dezembro de 2014

O Ajuste Fiscal do Novo Governo Dilma

Ano que vem teremos mais um pacotão fiscal do governo Dilma. À diferença dos ajustes fiscais anteriores esse parece que será para valer. Você pode ler sobre minhas opiniões em 2011 e 2012.

Enfim, vamos ao que interessa: uma vez mais não serei ouvido. Uma vez mais o governo não vai focar o ajuste no corte de gastos e nas reformas macroeconômicas necessárias. Prestem atenção, pois vou dizer a vocês como será o ajuste fiscal do novo governo Dilma:

1) aumento de impostos
a) aumento da CIDE
b) aumento do IOF e da CSLL
c) aposto com vocês que o governo tentará emplacar novamente a CPMF (isso mesmo, o velho e ERRADO imposto sobre movimentação financeira)

2) inflação (uma inflação na casa dos 7% já ajuda o governo a ajustar as contas)

3) tarifaço
a) aumento no preço dos combustíveis e energia elétrica
b) aumento no preço dos transportes coletivos
c) aumento na conta de água e esgoto


Esse será o ajuste fiscal do novo governo: aumento de impostos, aumento no preço das tarifas públicas (ou concessões), e inflação. REPITO: essa é a maneira ERRADA de se fazer o ajuste fiscal. Em 2011 já mostrava como deveria ser o ajuste fiscal correto. Está na hora do governo petista parar de aumentar impostos, tarifas, e inflação. Está na hora de fazermos os ajustes macroeconômicos de que esse pais precisa: ajuste fiscal (reduzindo gastos, reduzindo a inflação e sem aumentar impostos), abertura econômica, redução e simplificação de impostos (a famosa reforma tributária), ajustes nas contas da previdência social, redução na burocracia estatal, melhora no ambiente de negócios do país, política monetária que combata a inflação, modernização das relações trabalhistas, modernização do acesso a justiça e redução do tempo médio que se leva para julgar processos, reforma na legislação sobre licitações, aumento das parcerias público privadas, estabelecimento de regras claras para investimentos, taxa de câmbio flexível (sem as constantes intervenções do Banco Central), e privatizações de empresas públicas com a consequente redução da interferência estatal na economia (que além de tudo diminuiria em muito a corrupção).

7 comentários:

amauri disse...

Adolfo, precisa fazer doutorado para isto

Rud Kroll disse...

Daqui a pouco aparece um daqueles velhos bostas dizendo ?...Isso dá bilhão ?!!!.....o povo não é bode!!!....e todo esse tipo de argumento populista que só joga para o povão

Lorena disse...

Objetivo e direto e certo...

Anônimo disse...

Concordo com sua visão. Mas é assim mesmo que governos agem. Os de direita não foram diferentes, ou foram? Só com o tempo e a evolução as coisa ficarão melhores.

samuel disse...

É claro que a direita, a de liberdade econômica, seriam diferentes. Os militares, no entanto não são nossa direita, pois fascismo (militares?) = comunismo = socialismo = bolivarianismo, do ponto de vista econômico. É PRECISO NO ENTANTO QUE SE RECONHEÇA QUE OS MILITARES SABIAM QUE A BUROCRACIA SÓ ATRAPALHA e a seguraram. Ao passo que... o governo atual (o que é?) acredita que BUROCRACIA É BOM, BUROCRACIA PRODUZ MANTEIGA E MEL, BUROCRACIA ENCHE BARRIGA...
Essa a diferença.

luiz otávio disse...

Adolfo, o que precisamos é de acabar com o socialismo petista!
Mais liberdade e mais capitalismo!
Escrevi uma Lei, que chamei de Lei Cidadã, para dar um choque de capitalismo e Liberdade Individual e Empresarial em nosso país.
Voc~e permite que eu mande para você uma cópia desta lei?

Adolfo Sachsida disse...

Claro Luiz, poste o link ou mande o texto!

Adolfo

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email