quinta-feira, 31 de julho de 2014

Hangout com Alberto Fraga: Segurança Pública

Nesta entrevista Alberto Fraga deixa claro que: 1) lugar de bandido é na cadeia (e não passando festas de fim de ano na rua); 2) o cidadão de bem tem o direito de se defender de marginais; e 3) apoia o fim da maioridade penal. Para assistir clique aqui.

Hangout Com Bene Barbosa: Mais Armas, Menos Crimes?

Um super bate papo sobre o direito do cidadão ter acesso a armas de fogo. Bene Barbosa deu um show! Clique aqui para assistir.

Bancária é demitida por crime de opinião e CUT se cala!!!! Você apoia a CUT, então explica!!!!


Um banqueiro demitiu uma bancária por crime de opinião!!! Isso mesmo!!! A bancária escreveu um relatório, com base em seu conhecimento e experiência, sobre a economia brasileira. O banqueiro então, após a repercussão do relatório, decidiu DEMITIR a bancária. Perguntas:

1) A CUT acha normal isso?

2) A CUT concorda com um banqueiro demitindo uma bancária que não cometeu falta alguma???

3) A CUT concorda que é direito de uma banqueiro, da elite branca, demitir uma indefesa bancária por crime de opinião???

4) Se você empunha uma bandeira da CUT, se você defende a CUT, então responda de maneira simples, direta, e objetiva: você concorda com a demissão da bancária do Santander realizada pelo banqueiro estrangeiro dono do Santander?

A Censura da Empiricus: PT inaugura nova fase da censura no Brasil

A Empiricus Research divulgou um relatório simples, mas contendo uma pergunta importante: Como ganhar dinheiro no Brasil caso Dilma seja reeleita?

A pergunta é boa. A empresa de consultoria relata um cenário adverso na economia no caso da reeleição de Dilma, e se propõe a mostrar como ganhar dinheiro nesse cenário. Para o PT isso é crime. Isso mesmo!!! O PT, aquele mesmo que considera Zé Dirceu inocente, considera que dizer o que se pensa é crime. Pior quer calar os que pensam diferente.

O PT já calou o Santander. Agora quer calar a Empiricus. No passado, o PT afastou de posições importantes todos os críticos da política econômica. O que será que nos espera amanhã?

O PT inaugura assim a nova fase da censura no país. O Brasil não aguenta mais 4 anos de PT.

Lições do Exército Romano ao Banco Santander: como posso confiar num banco que não confia em si mesmo???


O exército romano virtualmente dominou o mundo. Foi um dos mais formidáveis exemplos de organização e sucesso militar da história. Baseava-se em três princípios, dos quais dois nunca lembro. Mas o terceiro era conhecido por comitatus romano. Por esse princípio, o general se comprometia a não se esquivar e nem abandonar seus soldados na hora do combate. Em contrapartida, os soldados se comprometiam a obedecer as ordens de seu comandante, mantendo a disciplina e lealdade na hora do perigo.

O Banco Santander teria muito a aprender com o comitatus romano. Não há como garantir a lealdade dos subalternos se os líderes se escondem na hora do perigo. Uma analista do Santander foi demitida por ter escrito um relatório econômico com uma previsão simples: se Dilma ganhar a economia continua patinando. Alguém vai me convencer que os superiores da analista não tinham conhecimento do documento? Então, na hora do perigo, os generais do Santander abandonaram sua soldado. Então pergunto: e os demais soldados (analistas) do Santander? Alguém realmente acredita que de agora em diante eles irão fazer as melhores análises possíveis? Óbvio que não! A partir de hoje os analistas do Santander entendem que seus respectivos relatórios econômicos devem agradar primeiro ao Partido dos Trabalhadores, e só depois se preocupar com os investidores do banco.

Enfim, não é a primeira vez que o Santander amarela (ou melhor dizendo "avermelha"). Como confiar nas análises econômicas de um banco que demite seus analistas dependendo do humor do governo?

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Equipe Econômica continua fazendo de tudo para piorar o país: o caso dos US$ 300!!!

Diz o antigo provérbio de que "Não há bons ventos para quem não sabe para onde quer ir". Esse é o retrato da atual equipe econômica do governo Dilma.

"Foi publicado na segunda-feira (21), no Diário Oficial da União, seção 1, página 25, Portaria do Ministro da Fazenda nº 307, de 17 de julho de 2014, a redução da cota de isenção para viajantes que ingressam no país via terrestre, fluvial ou lacustre de US$ 300 para US$ 150".

Adivinhem o que aconteceu no dia seguinte? Acertou quem respondeu: "O governo suspendeu a redução da cota de importação por terra. Por mais um ano, será possível voltar para o país por estradas, rios e lagos com compras de até US$ 300 sem ter de pagar imposto de importação, informou o secretário da Receita Federal, Carlos Alberto Barreto, nesta terça-feira (22). A decisão foi confirmada também pela Casa Civil da Presidência da República".

Sim meus jovens, vocês leram certo... 1 dia!!!! A medida durou 1 dia!!! Confusão, insegurança, e prejuízos foram gerados, pergunto: 1) quem no governo será demitido por isso?; 2) e os prejuízos das pessoas que, justamente no único dia de operação da portaria, estavam em trânsito na fronteira? Como vai ser o ressarcimento? Mas o melhor de tudo é a explicação do governo: "Após as declarações do secretário da Receita Federal, o Ministério da Fazenda divulgou nota à imprensa na qual confirmou que a redução da cota terrestre para US$ 150 irá vigorar somente a partir de julho de 2015 - quando deverão estar instaladas as Lojas Francas. "Como as Lojas Francas ainda não estão instaladas e demandarão um prazo para investimento e abertura, a redução da cota para compras no exterior se dará após 30 de junho de 2015", informou o governo."

Resumindo, dane-se o país. Adota-se uma medida equivocada, causa-se um mal estar enorme, e basicamente NINGUÉM É PUNIDO!!! Agora me digam: se você tem U$1 bilhão de dólares para investir, dá para confiar nesse governo? Um governo onde regras são feitas e duram 1 dia!!!! O problema da falta de investimento no Brasil é um problema de falta de regras claras, precisamos de estabilidade, de confiança de que regras permanecerão estáveis.

O exemplo acima é apenas o mais recente, mas não o único. O setor elétrico, o caso da Petrobras (onde o governo hora anuncia que haverá regra de reajuste ora volta atrás), a questão do IOF sobre compras no exterior ou sobre recursos externos, entre outros, são exemplos ilustrativos de um governo que não sabe para onde ir.

domingo, 20 de julho de 2014

A Primeira Guerra Mundial

Conversava ontem com minha filha mais velha e escutava sua frase "Papai, não tem como haver guerra mundial mais, pois as armas atuais destruiriam o mundo". Não pude deixar de sorrir. Comentei apenas que outro pensador já havia dito isso, a diferença é que havia dito isso em 1913. Um ano após sua frase eclodiu a Primeira Guerra Mundial. Aquela que seria a guerra das guerras. Afinal, diziam alguns, depois tal morticínio e sofrimento nunca haverá outra grande guerra. Trinta anos depois explodia a segunda guerra mundial.

As razões para a primeira guerra mundial são difíceis de explicar. Tratatos internacionais, ameaças mútuas, revanchismo entre países, estímulo deliberado a soberania do Império Austro-Húngaro, e outros motivos são comumente elencados. De certeza apenas uma: foi a guerra mais assustadora da história humana. Sim, a segunda guerra mundial matou mais pessoas. Contudo, a guerra de trincheiras, o uso do gás, combates de baionetas, soldados correndo, lutando e morrendo ininterruptamente, por um espaço grande de tempo, num espaço mínimo, foram coisas que nunca haviam acontecido antes, e nem voltariam a ocorrer depois. Foram 10 milhões de mortos. Uma tragédia.

As novas tecnologias militares se depararam com métodos arcaicos de ataque, o que resultou em baixas catastróficas no campo de batalha. No final, a primeira guerra mundial foi uma guerra de atrito. Convencidos de que era impossível vencer com um ataque, ambos os lados partiram para a ideia simples: vencerá quem tiver mais soldados no final. Essa conta implicava em sacrificar soldados com o único intuito de obrigar que o outro lado sacrificasse mais vidas. As estatísticas da Primeira Guerra mundial são assustadoras: o tempo médio de vida de um piloto de avião era de três meses. Sim, você leu direito. Depois de começar a voar em combate, a expectativa de vida de um piloto na primeira guerra mundial era de três meses.

Enfim, esse post é uma singela lembrança dessa catástrofe que completa 100 anos de seu início no dia 28 de julho. Fica aqui uma lembrança: acreditar que o mau deixará de atacar porque as perdas serão grandes é um erro histórico. Estejamos sempre prontos para o combate, para defender nossa liberdade, nossa família, nossa propriedade, e nosso direito a preservar nosso modo de vida e nossa existência.

sexta-feira, 18 de julho de 2014

VideoCast do Sachsida: Estatuto do Desarmamento: Um Verdadeiro Tiro no Pé

Neste vídeo explico as razões da necessidade de alterarmos o estatuto do desarmamento: bandidos armados e cidadãos de bem desarmados não é o melhor caminho para a segurança pública. Para assistir clique aqui.

Hangout do Sachsida: O que é ser Conservador? Quem são os conservadores?

Neste hangout com Alex Catharino exploro algumas perguntas simples: quem são os conservadores? Quais são suas ideias? Para assistir clique aqui.

quarta-feira, 16 de julho de 2014

VideoCast do Sachsida: O Banco dos BRICS, pobre contribuinte brasileiro

Neste vídeo explico como uma ideia infeliz sempre pode ser piorada. Agora os BRICS vão fazer um banco para chamar de seu. Contribuinte brasileiro vai financiar obras no resto do mundo. Para assistir clique aqui.

terça-feira, 15 de julho de 2014

BRICS: Quando uma ideia ruim consegue a proeza de ficar pior!


Em algum momento, por algum motivo obscuro, alguém cunhou o termo BRIC para se referir a Brasil, Rússia, Índia e China. Depois de algum tempo alguém resolveu acrescentar um S ao termo para incluir a África do Sul. O que esses países tem em comum? Que laços históricos ou culturais os unem? Enfim, por que será que esses países passaram a acreditar que sua união faz algum sentido? Por acaso os interesses russos são similares aos dos chineses? Acaso o Brasil tem disputas com o Paquistão que nos qualificam a nos unir a Índia? E, afinal, por que a África do Sul está nesse bolo?

Os BRICS não tem muitas coisas em comum, a rigor não faz o menor sentido esperar que as decisões desse grupo de países sejam homogêneas ou representem interesses similares. Mas, o que era algo sem sentido conseguiu a proeza de ficar pior: agora os BRICS vão criar um banco! Pergunto: de onde virá o dinheiro? O que esse banco irá financiar? E, acima de tudo, e mais importante: por que iremos criar esse banco?

No Brasil já temos o BNDES (que já está gigante), precisamos de outro banco? A nível mundial já temos o FMI. Agora o governo surge com essa ideia imbecil de gastar mais dinheiro ainda com um banco que irá nos associar a parceiros que temos pouco em comum.

Faço um pedido a todos os candidatos a Presidência da República: declarem sua contrariedade ao banco dos BRICS. Vamos denunciar esse absurdo, vamos deixar claro que essa iniciativa é exclusiva do PT, e o próximo presidente da República não será favorável a esse projeto. Amigos, o BNDES já esconde seus empréstimos para Cuba e Angola dizendo que os mesmos são secretos. Alguém duvida que o Banco dos BRICS será uma caixa preta maior ainda??? O dinheiro do contribuinte brasileiro será usado em segredo por essa estrovenga para financiar sabe-se lá o que ou onde.

Por fim, um pedido a Jorge Gerdau, Presidente do Conselho de Gestão da Presidência da República, faça uma reflexão: o senhor realmente concorda com isso? Será que realmente vale a pena colocar seu nome num apoio a essa ideia? O senhor já fez parte do Conselho de Administração da Petrobras na época da compra da refinaria de Pasadena. Realmente quer associar seu nome a mais essa iniciativa?

Presidente Dilma silencia sobre duas mortes e diz que a única coisa que deu errado na Copa foi a Seleção Brasileira


Um vexame. Essa é a palavra para definir a coletiva à imprensa dada pela Presidente Dilma, e mais 16 ministros, sobre os resultados da Copa do Mundo.

Dilma diz com todas as letras que a única coisa que deu errado na Copa do Mundo foi a seleção brasileira. A presidente, com a grosseria que lhe é pertinente aliada a uma tremenda dose de cinismo, deixa de mencionar que 2 PESSOAS MORRERAM ESMAGADAS devido ao desabamento de um viaduto feito no âmbito do projeto de mobilidade urbana para a Copa.

Repito: as obras de mobilidade urbana não ficaram prontas, tanto é verdade que a indústria, o comércio, e o setor de serviços, amargaram pesados prejuízos em decorrência dos diversos feriados que tiveram que ser declarados ao longo da Copa. Declarar feriados, para aliviar o trânsito em dias de jogos, foi a única medida de "mobilidade" que realmente ficou pronta a tempo.

Um dia alguém ainda vai olhar para trás e se perguntar como uma pessoa tão despreparada chegou a ser Presidente do Brasil. Estamos falando de uma pessoa que sequer consegue articular frases que sejam compreensíveis. Estamos falando de uma pessoa sem o mínimo talento no trato pessoal. Confundiu-se mau humor e frases desarticuladas com seriedade e brilhantismo... quem sabe uma criança não grite "O Rei está nu!!!", e então todos passem a entender que mau humor não é seriedade, mas apenas mau humor; e frases desarticuladas e sem sentido não são sinal de intelegigência, muito antes pelo contrário, denotam sim um pensamento confuso.

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Era Felipão e Era PT: Quem diria que Ideias Ruins dão Errado?

Neste vídeo descrevo as semelhanças entre a era Felipão e a era PT: ideias ruins, teimosia, e prepotência, receitas típicas do fracasso. Para assistir clique aqui.

Sachsida é Candidato a Deputado Distrital (25.444)

Neste vídeo conto um pouco mais sobre minhas qualificações e propostas para o Distrito Federal. Faço um convite, venha caminhar comigo!!! Em julho, de segunda a sexta-feira, das 17:00 as 19:00 horas estarei no parque Olhos D'Agua (final da asa norte) caminhando e conversando com quem queira trocar ideias. Para assistir clique aqui.

VideoCast do Sachsida: O "Sucesso" da Copa do Mundo no Brasil

Neste vídeo critico a ideia de que a Copa do Mundo no Brasil tenha sido um sucesso: obras inacabadas e precárias, dias parados nas empresas, e uma conta de 30 bilhões de reais a ser paga. Para assistir clique aqui.

sábado, 12 de julho de 2014

Proposta do Sachsida: Combater a Doutrinação nas Escolas


Neste vídeo descrevo uma de minhas propostas: combater a doutrinação nas escolas. Sou candidato a deputado distrital, meu número 25.444. Para assistir clique aqui.

quinta-feira, 10 de julho de 2014

VideoCast do Sachsida: Minhas Propostas para Deputado Distrital

Neste vídeo falo um pouco sobre minha qualificação profissional, e descrevo minhas três principais propostas para o Distrito Federal:

1) Privatizar o Banco de Brasília;
2) Criar um Fundo Imobiliário na Terracap; e
3) Combater a doutrinação ideológica nas escolas.

Para assistir ao vídeo clique aqui.

quarta-feira, 9 de julho de 2014

O Brasil e a Seleção Brasileira, ou O Ajuste de 2015 e o Jogo Contra a Alemanha


Vamos voltar para segunda-feira, 07 de julho, para quem realmente entende de futebol a seleção brasileira não estava convencendo. No dia seguinte jogaria contra a Alemanha, desfalcada de seu melhor jogador e de seu capitão. Para um bom especialista isso era sinal de alerta. O especialista iria a imprensa avisar que o Brasil precisaria ser prudente, mudar a maneira de jogar, não se expor tanto ou iria perder o jogo.

O especialista seria taxado de pessimista, alarmista e derrotista. Instantes antes de começar o jogo o especialista vê a escalação da seleção e toma um susto: o time é armado de maneira mais ofensiva. O jogo está para começar e o especialista se esgana de gritar "Precisamos de uma formação mais defensiva ou será um desastre". Começa o jogo e com 6 minutos de partida já é possível ver o buraco no meio de campo brasileiro. O especialista implora por uma mudança, e nada acontece. Aos 30 minutos já não há mais o que fazer.

Guardadas as devidas proporções, em 2015 acontecerá com o Brasil o que aconteceu com a seleção brasileira ontem. Em poucos meses nossa economia irá colapsar. Há anos alerto sobre o desastre das contas públicas. Há anos alerto sobre o perigo da inflação, e sobre os métodos absurdamente errados que o governo escolheu para combatê-la (congelamento de preços de combustíveis, manipulação do preço da energia e de outros preços administrados, e desoneração tributária apenas para maquiar a subida de preços). Já avisei inúmeras vezes do perigo da expansão absurdamente alta do crédito (ainda mais porque nossa taxa de poupança não aumentou, o que sinaliza tanto nossa dependência externa como a utilização de mecanismos artificiais de criação de crédito).

Durante o período 2008-2012 enquanto todos reclamavam da crise externa eu alertei que era o momento ideal para realizar as grandes reformas que o país precisa. O alto preço das commodities e a taxa de juros internacional baixa do lado externo, aliadas a baixo desemprego e renda relativamente alta do lado interno, eram a combinação perfeita para a realização de ajustes na economia. Infelizmente gastamos todo nosso excedente com consumo e endividamento, e não com reformas, poupança, e infraestrutura.

O ano de 2015 esta prestes a começar e levo um susto: tal como Felipão armou um time mais ofensivo, a equipe econômica insiste em aumentar suas apostas: agora controla a taxa de câmbio também, criando um ambiente para um futuro problema cambial em meados de 2015. Vejo as contas públicas e me assusto mais ainda diante da crescente irresponsabilidade fiscal que tem marcado esse governo. Vejo os números da inflação e levo outro susto. Vejo as previsões para o PIB e já estou em pânico, então num último suspiro digo: por favor vamos diminuir o gasto público, vamos restringir o crédito, vamos combater a inflação da maneira correta, vamos deixar o câmbio flutuar. Infelizmente, mais uma vez sou chamado de pessimista, derrotista e alarmista.

Todos os fatores da catástrofe da seleção brasileira ontem já estavam lá com 6 minutos de jogo, mas a catástrofe ainda levaria alguns minutos para ocorrer. Minutos esses que, com ousadia, o técnico poderia ter utilizado para mitigar o desastre. Todos os fatores para o desastre em 2015 já estão em campo, mas ainda levará alguns meses para que o mesmo ocorra. Meses esses que uma equipe bem preparada poderia utilizar para não mais evitar o desastre, mas ao menos mitigá-lo.

terça-feira, 8 de julho de 2014

VideoCast do Sachsida: Por que Voto no Pastor Everaldo para Presidente do Brasil?


Neste vídeo explico minhas razões para apoiar e votar no Pastor Everaldo para Presidente do Brasil. Para assistir clique aqui.

O Que é a Nova Matriz Econômica?

Durante o governo do Presidente Fernando Henrique Cardoso estabeleceu-se o tripé econômico: responsabilidade fiscal, sistema de metas de inflação, e taxa de câmbio flutuante. Sem sombra de dúvidas, o tripé econômico deu estabilidade e confiança ao crescimento da economia brasileira. Quando falo de crescimento, falo no sentido de longo prazo, me refiro ao crescimento sustentável de longo prazo.

O tripé econômico não era a pedra filosofal, não transformava chumbo em ouro, mas garantia estabilidade econômica enquanto outras reformas iam sendo realizadas. Em 27 de maio de 2010 eu escrevi uma carta ao futuro presidente do Brasil. Nela lia-se:

"Assim, os signatários dessa carta deixam claro que antes que mudanças sejam propostas no tripé econômico, outras reformas devem ser realizadas: reforma tributária, reforma fiscal, reforma trabalhista e reforma da previdência são temas muito mais urgentes para o debate nacional. De maneira alguma dizemos que o tripé econômico atual seja isento de imperfeições. Alegamos apenas que reformas muito mais urgentes devem ser implementadas antes que mudanças no tripé econômico atual sejam levadas a cabo".

Infelizmente o governo da Presidente Dilma Roussef ignorou a sugestão acima. Verdade seja dita, o segundo governo Lula já vinha abandonando o tripé econômico. Em seu lugar implementou-se a "Nova Matriz Econômica". A Nova Matriz Econômica era caracterizada por: expansão fiscal (estímulos), crédito abundante a juros subsidiados, e taxa de câmbio controlada. A rigor era o abandono, na prática, do tripé econômico. Substituiu-se a responsabilidade fiscal pela expansão fiscal. No lugar do sistema de metas de inflação, optou-se por uma tremenda expansão de crédito público, a juros subsidiados, o que forçou a adoção de medidas heterodoxas - controles diretos de preços (gasolina e energia, por exemplo) e desonerações tributárias - no combate a inflação. Por fim, a taxa de câmbio flutuante foi substituída por um sem número de intervenções no mercado cambial, tentando gerar aquilo que o governo chamou de taxa de câmbio competitiva (seja lá o que for isso).

O resultado da Nova Matriz Econômica é claro: crescimento baixo, inflação alta, e situação insustentável das finanças públicas. Mas o pior legado dessa experiência fracassada é outro: deixou-se de lado as reformas estruturais necessárias ao país. Na época do tripé econômico havia a estabilidade necessária, a previsibilidade adequada, para a realização das grandes reformas: tributária, previdenciária, trabalhista, abertura econômica, desburocratização, entre outras, que garantiriam um desempenho de longo prazo a economia brasileira. Hoje o governo deixou essa discussão de lado, abandonou o tema na crença de que o problema do Brasil é de demanda. Infelizmente para nós, o problema brasileiro é de oferta (e não de demanda como os técnicos do governo parecem ter acreditado). Isto é, a solução para os problemas do Brasil passam necessariamente pelo aumento de nossa produtividade. Isso só pode ser conseguido por meio das grandes reformas econômicas que nosso país precisa.

Para terminar proponho o teste da paternidade: hoje todo mundo quer assumir a paternidade do Plano Real. O PT não vai a televisão dizer que foi contra o plano real. Várias personalidades querem puxar para si a ideia desse plano, mesmo sem nunca dele terem participado. Daqui há 10 anos quem irá assumir a paternidade da Nova Matriz Econômica??? Não é necessário ir tão longe assim, hoje mesmo um dos pais dessa ideia já diz abertamente que o filho não é dele.

domingo, 6 de julho de 2014

Mais um Palpite sobre a Seleção Brasileira

Acredito que seja a hora de Fred assumir a braçadeira de capitão. Ele tem experiência e talento para liderar nosso time. No lugar de Neymar, entra Luis Gustavo (que estava fora por causa de cartão amarelo). Assim, o meio de campo brasileiro será: Fernandinho, Luis Gustavo, Paulinho e Hulk. Com Oscar sendo o único homem de criação e com mais liberdade.

Essa formação tem algumas vantagens: 1) o time fica forte defensivamente; 2) caso seja necessário ir para o ataque sempre será possível tirar dois dos volantes, e colocar Ernanes e Jo, o que deixaria o time bem mais ofensivo. Numa situação de desespero seria possível sacar um terceiro volante e colocar Bernard; e 3) caso fosse necessário segurar o resultado, seria fácil sacar Fred, ou Oscar, ou Hulk, e colocar Ramires e Henrique.

Minha opinião continua a mesma: Brasil campeão!

Privatizar o BRB e Criar um Fundo Imobiliário na Terracap


Privatizar o BRB (Banco de Brasília) e criar um Fundo Imobiliário na Terracap (companhia imobiliária do Distrito Federal). Se você concorda com essas ideias, então divulgue. Meu nome é Adolfo Sachsida e sou candidato a deputado distrital pelo democratas, número 25.444!

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Meu Palpite sobre a Seleção Brasileira

Meu palpite é simples: Brasil campeão. Não temos o melhor time, mas o histórico das Copas não deixa dúvidas de que jogar em casa faz diferença.

Sobre o time existem muitas críticas a Fred (atacante). Mas pergunto ao leitor: quantos gols ele perdeu? Fred, em 4 jogos, teve uma única chance de gol e marcou. Ele é o jogador que menos passes recebe, e a maior parte dos passes que recebeu vieram de Julio Cesar (goleiro) e de Dani Alves (lateral direito). Ora, isso não é razoável. O normal seria que ele recebesse mais bolas dos jogadores de meio-campo.

O meio de campo brasileiro recebe muitas críticas. Sim, não sou grande fã de Hulk. Além disso, Paulinho e Oscar não estão numa boa fase. Mas, mesmo assim, será que eles jogam tão mal? Vejamos: Hulk saiu e deu lugar a Ramires (no jogo contra o México), e Paulinho deu lugar a Fernandinho (no jogo contra o Chile), os resultados foram igualmente ruins. Será mesmo que todos esses jogadores estão abaixo da crítica? Acredito que não. Me parece que todos esses jogadores estão sendo obrigados a cobrir os imensos espaços que os laterais Marcelo e, principalmente, Dani Alves deixam abertos.

Os laterais me parecem ser o real problema da seleção brasileira, deixam espaços demais. Não estão apoiando bem e, pior, não estão marcando bem. Os espaços deixados por eles obriga os jogadores de meio de campo a voltarem muito, e se concentrarem mais na marcação do que na armação de jogadas. Dani Alves tem um problema adicional, se acha gênio. A maneira de consertar isso é trocá-lo por Maicon. Já em relação a Marcelo seria necessário uma orientação do técnico para que não subisse tanto ao ataque e se concentrasse mais na defesa.

Felipão parece concordar comigo, contudo adota uma solução diferente, ao tentar um esquema com três zagueiros. Ele parece assumir que os laterais irão apoiar muito de qualquer maneira, sendo o mais razoável reforçar a zaga. Não gosto dessa solução por dois motivos: a) os laterais brasileiros não são tão bons assim; e b) implica num estilo de jogo que não foi treinado antes. O melhor mesmo é fazer o simples: por Maicon no lugar de Dani Alves, e manter Marcelo mais recuado.

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Que Ajustes nos Esperam em 2015?

Acredito que o ano de 2015 reserva quatro grandes ajustes para a economia brasileira: contas públicas, inflação, taxa de câmbio, e preço dos imóveis.

A situação das contas públicas é calamitosa: só em maio o setor público consolidado (governos federal, estadual e municipal, e empresas estatais) apresentou um déficit primário de R$ 11 bilhões. No acumulado dos 12 meses terminados em maio de 2014, o déficit nominal atingiu 3,4% do PIB. Ainda temos um longo ano pela frente, repleto de gastanças governamentais em eleições federais e estaduais bem disputadas. Alguém duvida de que as já combalidas contas públicas irão se deteriorar ainda mais até o final do ano? Anos de irresponsabilidade fiscal, maquiadas com todo tipo de contabilidade criativa, irão cobrar seu preço, e 2015 será um ano de forte ajuste nas contas públicas. O déficit primário em maio mostra que o governo já está raspando a raspa do tacho das contas públicas.

A inflação também terá seu ajuste: preços dos combustíveis e de energia, e uma série outra de preços administrados, terão de ser reajustados, garantindo um belo repique inflacionário. Se preparem, 2015 vai ser um ano com inflação alta.

Alguém acredita que a taxa de câmbio é mesmo de R$ 2,20? Tal taxa só se mantém devido a intervenções do Banco Central no mercado cambial. Se preparem, ano que vem (ou depois da eleições) vem aí um ajuste cambial.

Por fim, temos o mercado imobiliário. Em breve o crédito vai diminuir e as taxas de juros aumentar. Esse será o sinal para o ajuste no preço dos imóveis. Não espero nada radical, não espero grandes quedas de preço. Mas acredito que o preço dos imóveis vão se estabilizar em termos nominais (caindo em valores reais).

A hora da verdade está se aproximando, 2015 vai ser o ano de pagar pelos incontáveis erros de política econômica do governo petista. E que uma coisa fique clara: não existe essa de tempestade perfeita (como alguns técnicos do governo andam divulgando). Tempestade perfeita pressupõe um acaso, um infortúnio que não poderia ter sido antecipado. O que ocorre hoje no Brasil é estupidez econômica mesmo, decisões completamente equivocadas de políticas públicas que estão nos conduzindo, em marcha acelerada, para o precipício. Tão logo o governo americano comece a aumentar suas taxas de juros, e começará o suplício de nossa economia.

terça-feira, 1 de julho de 2014

Hangout com Alexandre Schwartsman: Perspectivas para a Economia Brasileira

Nesse hangout converso sobre inflação, contas públicas, taxa de câmbio, e as perspectivas para a economia brasileira com um dos melhores economistas brasileiros: Alexandre Schwartsman. Para assistir clique aqui.

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email