sábado, 3 de janeiro de 2015

A Institucionalização da Mentira

Em 2003 ocorreu grande alívio entre os especialistas quando Lula abandonou o discurso petista e adotou um política econômica ortodoxa mantendo o tripé econômico herdado de Fernando Henrique Cardoso (câmbio flutuante, responsabilidade fiscal, e metas de inflação). Sim, o PT havia cometido ali um estelionato eleitoral. Venceu a campanha eleitoral prometendo uma coisa e fez outra. Na época isso foi relevado a segundo plano, um voto de confiança naquele partido que havia votado contra o Plano Real e contra a responsabilidade fiscal.

O tempo passou e a estratégia petista continuo a mesma. Assim, sem surpresa vemos o discurso de posse de Dilma onde ela promete não mexer em direitos trabalhistas e previdenciários dois dias depois de encaminhar medida provisória nesse sentido. De acordo com contas da própria equipe econômica, a restrição a direitos trabalhistas e previdenciários da medida encaminhada por Dilma visa economizar R$ 18 bilhões.

Me causa surpresa que os analistas voltem a relevar tal fato. Voltem a relevar o estelionato eleitoral cometido por Dilma. Na campanha ela prometeu uma coisa, logo após vencer as eleições passou a fazer tudo que jurara não fazer e que imputava aos adversários. Disse que os adversários aumentariam a taxa de juros, mas foi ela quem, depois de eleita, autorizou tal aumento (afinal a independência do Banco Central é coisa do passado). Disse que não mexeria em direitos trabalhistas “nem que a vaca tussa”, pois parece que a vaca tossiu.

Hoje temos a institucionalização da mentira. Parece não chocar os analistas a facilidade com que o PT mente nas campanhas, ou mesmo no discurso de posse da Presidente da República. Temos que dar um basta nesse absurdo, os governantes devem ser chamados a sua responsabilidade. Prometer uma coisa e fazer o contrário dela é no mínimo falta de decoro, motivo mais que suficiente para um processo de cassação de mandato eletivo.

Está na hora de pararmos com essa análise rasa do tipo: ainda bem que ela mentiu, ainda bem que ela fez o estelionato eleitoral. Nada disso, não devemos agradecer a institucionalização da mentira.

3 comentários:

William Robson disse...

Sei lá! E devemos querer que o PT leve o Bolivarismo adiante!?

Vamos apontar a mentira, vamos convencer os eleitores a votar em outro partido, mas torcer pelo caos... quem se ferra é a maioria do povo inclusive os que não votaram no PT.

SF disse...

Adolfo, vc é cara muito inteligente e arguto.
Sua generosidade em compartilhar o conhecimento de maneira simplificada tem a minha admiração.
Vc é bom em entender a conjuntura econômica e sua correlação com a política.
Posso estar errado, mas a política partidária é isto. A arte de mentir e convencer.
É princípio basilar da política dizer o que o outro quer ouvir...
Ou então nunca afirmar nada premptoriamente.
Veja, a verdade ou a realidade não empolgam. Mesmo quando dita deve ser acompanhada de um "imagino", ou qualquer palavra que tire a contudência da afirmação.
Quando não é completamente escamoteada pelo destaque a coisas irrelevantes.
Como disse, admiro mais em vc a clareza da análise da conjuntura.
Acredito que sua passagem pela política partidária lhe fez perder o foco naquilo em que vc é bom.
Por exemplo, suas dicas sobre as nossas políticas fiscal e cambial renderam uma boa grana a quem soube aproveitar.
Espero que vc também tenha ganho algum.

samuel disse...

William Robson é amigo do cap Kirk da startrek.... é de outro planeta ... é da UNICAMP

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email