sábado, 1 de agosto de 2015

O Legítimo Direito de Vaiar Pessoas Públicas

Ninguém é obrigado a se tornar uma pessoa pública. Ninguém é obrigado a ser Ministro ou Presidente da República, ninguém é obrigado a ser deputado ou senador, ou mesmo vereador. Quando uma pessoa se decide por esse caminho existem bônus e ônus atrelados.

Uma das maiores diferenças que notava entre Brasil e Estados Unidos (e outros países desenvolvidos) era a complacência com que políticos picaretas eram tratados no Brasil. Corrupção existe em qualquer lugar, mas nos países desenvolvidos a regra é o FIM da carreira pública para os incompetentes ou os envolvidos em corrupção (claro que sempre existem exceções). Já no Brasil existia certo orgulho de ser amigo de políticos corruptos. Me lembro de gente orgulhosa dizendo que o político tal (notório corrupto) frequentava sua casa.

Fico extremamente feliz observando os ventos da mudança!!! É um legítimo direito do homem comum vaiar corruptos ou incompetentes que destruíram a nossa economia e minam nossa sociedade. Faço apenas uma única ressalva: vaiar no hospital ou na igreja não parece apropriado, em outros lugares não há nada de errado.

O ex-ministro que destruiu nossa economia foi almoçar com a família? Vaia nele. O senador do partido envolvido no maior escândalo de corrupção de nossa história foi passar férias em paraísos enquanto o povo sofre? Vaia nele!

No mundo existem dois grandes tipos de punição: as aplicadas pelo Estado (que tem o monopólio do uso da violência, tais como prisão, medidas restritivas de liberdade, etc.) e as aplicadas pela sociedade (majoritariamente morais tais como vaias do público, desprezo dos familiares, etc., mas englobam também as de cunho financeiro tais como demissão do emprego e perda de cargos). Muito da corrupção ser alta no Brasil é porque ambos mecanismos eram falhos no passado. O povo e a lava-jato estão dando um fim nisso. Estão mostrando que bandido tem que ser preso, e que mesmo que você não seja bandido mas foi conivente com o que aí está existe uma punição moral que lhe será aplicada.

Desde que não haja violência física, desprezar corruptos, vaiar políticos complacentes com a roubalheira, fazer pouco caso de ministros que foram responsáveis pelo caos atual é um legítimo direito de qualquer cidadão com vergonha na cara. Já dizia o imortal Nelson Rodrigues "Nada melhor do que uma vaia para um jogador que tenha vergonha na cara"! Nada melhor do que a lembrança de que pode ser vaiado em público para manter pessoas públicas com vergonha na cara cientes de suas obrigações morais.

2 comentários:

Raphael Valle disse...

Sou da mesma opinião, Adolfo: os insultos, à exceção dos ambientes que vc bem delimitou, são corriqueiros nos países desenvolvidos.
Dias atrás, meu pai presenciou a ex-ministra da Casa Civil, Erenice Guerra, ser xingada por um dos clientes no restaurante Dom Romano, no Lago Sul. Uma pena que ninguém filmou.
O Brasil, apesar de tudo, parece estar mudando.

Luiz Alberto Mezzomo disse...

Sim. As vaias são legitimas. São pela falta de carácter das homens públicos.

Google+ Followers

Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email