quinta-feira, 30 de agosto de 2007

Crime e Castigo 2

Thales Ferri Schoedl é um rapaz "simples" que disparou 12 tiros num grupo de pessoas, matou uma e feriu outra. Querem saber a punição que recebeu? Acertou quem respondeu: foi efetivado no cargo de promotor de justiça, irá receber salário como promotor de justiça, irá julgar outros assassinos como ele, e além disso irá ser julgado em foro privilegiado. A justificativa do promotor para ter ASSASSINADO uma pessoa: "Eles assediaram minha namorada". Esse é o equilíbrio emocional do promotor de justiça..... só por curiosidade, onde esta o Conselho Nacional de Justiça (CNJ)? Não era esse o órgão que deveria agir como um guardião moral do poder judiciário?

Não contente em distribuir os recursos da sociedade para o MST, o governo federal vai agora dar dinheiro para filho de bandido. Assim, o bandido pode "trabalhar" tranquilamente... se algo de mal lhe acontecer, tipo ser preso, o estado brasileiro se encarregará de dar uma pensão à família do marginal.

2 comentários:

Anônimo disse...

O problema é que são bandidos como os "quarenta ladrões do mensalão" que criam leis no congresso nacional que embasam o chamado foro privilegiado. Como eles não podem criar esse foro apenas para a turma do legislativo, têm que estender essa excrescência para proteger os bandidos do poder judiciário e do poder executivo...
Tito Moreira

Cláudio disse...

Olha esse caso está muito mal contado. Vejam o conteúdo da denúncia aqui:

http://conjur.estadao.com.br/static/text/32351,1

A denúncia só faltou dizer que os jovens estavam orando em harmonia com a natureza quando foram agredidos pelo promotor.

Eu não duvidaria nada de que, diante da reclamação do promotor, os grupo de jovens tenha partido para agredi-lo. Isso acontece com frequencia absurda na noite. Acho mais plausível do que a versão que consta da denúncia.

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email