sexta-feira, 5 de outubro de 2007

Free Burma

Liberdade é um valor fundamental. Contudo, não é a condição natural. Temos que lutar para tê-la e para preservá-la.

3 comentários:

Ricardo Rayol disse...

e esepro que quando tentarem o mesmo no Brasil a movimentação seja semelhante. Obrigado pela visita.

Anônimo disse...

Se você acha que as coisas ruins só acontecem com os outros, então, quando chegar a sua hora, será tarde. Este deve ter sido o epitáfio comum na segunda guerra mundial para aqueles que não lutaram.
Um abraço
Marco B

Iliada disse...

Sarte (1957) na trilogia Les Chemins de la Liberté: I. L'Âge de raison; II. Le Susis; III. La Mort das l'Âme argumenta que "cada um de nós se acha implicado, queira ou não, em todos os acontecimentos do mundo. A liberdade, para ele, é antes de mais nada faculdade de dizer não". O autor propõe compreender que "a liberdade só possui significado na ação, que ela não se justifica no vácuo, na gratuidade. É necessário, acredita ele, participar de uma experiência radical." E já faz quase onze anos que li seus livros e o assunto pareceu-me bastante oportuno e atual. Por que ações e atitudes sérias é do que precisamos para termos uma sociedade mais livre de pseudo ideologias.
Um abraço,
I.

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email