quinta-feira, 6 de março de 2008

Entrevista com o Presidente do Democratas, Deputado Rodrigo Maia

1. Ideologicamente o PSDB é mais próximo ao PT do que ao DEM. O Sr. apoiaria uma aliança do DEM com o PSDB para as eleições presidenciais de 2010? Por que?

RM- Curioso é que os eleitores não vêem assim. Vêem Democratas e PDSB na mesma linha ideológica. Basta checar o ESEB (Estudo Eleitoral Brasileiro), revista Opinião Publica de novembro de 2007. Por isso mesmo e, paradoxalmente, a tendência será o DEM ter também candidato.

2. Qual é a sua posição em relação ao MST? Como o Sr. analisa as recursivas invasões de propriedade privada promovidas pelo MST com o apoio de vários partidos de esquerda?

RM - O direito de propriedade é um direito básico de Estado de Direito cujas regras de mudança são sempre constitucionais. O MST não as observa o que é uma grave agressão à democracia.

3. O que o DEM está fazendo para averiguar os fatos nebulosos que envolveram a extradição dos boxeadores cubanos logo após o Pan do Rio de Janeiro? Qual é a posição do DEM em relação as FARC?

RM- O governo Lula atropelou os direitos humanos de pessoas que pedem asilo e devolveu clandestinamente os boxeadores. O DEM recorreu à justiça sem resultado. As FARC foram um grupo guerrilheiro e hoje são narco-terroristas recorrendo à extorsão mediante seqüestro e pedagiando o tráfego de cocaína.

4. Qual a posição do DEM em relação a reforma tributária? Quais devem ser os principais impostos do país? Como deve ficar a distribuição de impostos entre os entes da federação? Qual deve ser a alíquota de imposto para os produtos importados (imposto de importação)? Qual é a carga tributária que o DEM pretende como sendo a correta para o Brasil?

RM - Com o Brasil recuperando a capacidade de crescer a um nível de 6% a 7% ao ano, a carga tributária poderia chegar ao patamar dos 30%. A questão mais complexa da reforma é a Federação e por isso mesmo ela deve ser progressiva no tempo.

4. Se o Sr. pudesse aprovar uma única lei no Brasil, qual lei seria essa?
RM - A questão básica do Brasil é a insegurança jurídica. As leis estão aí, mas a garantia de sua execução exigiria uma ação mais contundente em relação às decisões de última instância.

7 comentários:

Fabio disse...

Noto que ele não respondeu à primeira pergunta. Mesmo se os eleitores pensam daquele jeito, o fato é que o PSDB é mais próximo ideologicamente ao PT do que aos DEM -- é só analisar o programa político de cada partido.

Como sempre, "nestepaís", as conveniências políticas ditarão as alianças, em vez de elas serem norteadas por princípios.

Embora os DEM estejam se "reorientando" rumo a uma posição ideológica mais firme, o que prevalecerá serão os conchavos. Não existe partido com princípios sólidos no Brasil. A criação desse partido é uma tarefa para as novas gerações.

Leandro F. de Souza disse...

como todo bom político, ele rodeou algumas perguntas sem respondê-las, mas aquelas que respondeu, o fez bem, em minha opinião.

Fábio Mayer disse...

O DEM seria uma opção liberal se tivesse peso eleitoral por si só... mas se acontecer dele vencer,por exemplo, uma eleição presidencial, terá de compor com o PMDB (arrrrrrghh!!) o PSDB e o PTB, e daí, o Brasil continuará na mesma.

EM relação à última pergunta, ele não respondeu coisa nenhuma. Veja, reação contundente às decisões de ultima instãncia, significaria haver decisões assim, mas estas levam DÈCADAS e quando ocorrem, a questão já foi ultrapassada.

Assim, a solução seria alterar a legislação para diminuir o acesso aos tribunais superiores, tornando-os efetivas cortes constitucional (STF) e legal (STJ), pois hoje eles são apenas mais dois órgãos recursais, assoberbados em virtudes das péssimas e incongruentes decisões tomadas pelos arrogantes juízes de primeiro grau, cuja competência precisa ser melhor medida.

Orlando Tambosi disse...

Pois é, respostas de político...

Anônimo disse...

Prefiro acreditar que o deputado estava com pressa quando concedeu a entrevista do que ele não ter opinião nenhuma sobre os temas abordados, pois ele é o Presidente do DEM, ou será se ele achava que quem fosse ler esta entrevista seria os eleitores menos esclarecidos politicamente?
Acho que seria interessante os leitores desse blog manifestarem sua opinião diretamente para o Deputado no e-mail dep.rodrigomaia@camara.gov.br.

Anônimo disse...

"Rodrigo Maia diz que pode vir a apoiar Ciro Gomes para 2010"
Não preciso dizer mais nada desse cara, né?!

Anônimo disse...

Nao gostei do conteúdo das respostas. Se dependermos de um partido com um representante sem profundidade de conhecimento nos assuntos estratégicos do país, estaremos fadado ao retrocesso.

É preciso mais que isso. Por enquanto a idéia vigente é melhor por falta de substância da oposição... Que digamos de passagem está mais perdida que cego em tiroteio.
Marcos

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email