terça-feira, 4 de março de 2008

Seu Amigo, o Governo

Brasília tem um clima peculiar: aqui praticamente não chove de abril a novembro. Em compensação, de dezembro a março as chuvas são frequentes. Assim, manda o bom senso que obras públicas, a não ser em casos emergenciais, sejam realizadas no perído seco, e não no chuvoso. Desnecessário dizer que em Brasília o perído de obras coincide com o período de chuvas. No momento estamos vendo mais um exemplo do desperdício de recursos públicos: o governo do Distrito Federal esta reformando uma série de vias fundamentais para o trânsito em Brasília, justamente no período mais chuvoso do ano. O Governo do Distrito Federal começou as obras de melhoria das vias. O primeiro passo foi destruir o asfalto antigo. Essa etapa foi completada. Mas as chuvas começaram e o projeto foi interrompido. Resultado: vias fundamentais para o trânsito de Brasília estão completamente fora de condição de uso. Elas estão cheias de buracos, que aliado às chuvas fortes e ao trânsito intenso, tornam o tráfego de Brasília extremamente perigoso. É comum ver carros, e ônubis, parados ao longo dessas vias. Quebrados, com pneus furados, ou envolvidos em acidentes. Depois de cometer tal estupidez, seria de se esperar que o governo ao menos colocasse políciais (para orientar o trânsito), guinchos (para desobstruir rapidamente as pistas na presença de carros quebrados ou acidentes), e ambulâncias (para socorrer feridos) de prontidão em pontos chave da cidade. Desnecessário dizer que tal medida não foi tomada.

Pessoas irão morrer por causa dessa estupidez, outras irão se ferir, mas nem por isso, na próxima estação de chuvas, o governo deixará de desperdiçar recursos novamente. As perdas não se resumem à vidas humanas e dinheiro dos impostos. Carros quebrados, pneus furados, perda de faturamento das empresas localizadas perto de tais vias são subprodutos menores, mas caros, dessa idéia de se reformar vias públicas na época de chuvas. Num país minimamente civilizado, os representantes do governo do Distrito Federal seriam responsabilizados judicialmente por essa empreitada.

Da próxima vez que você pedir por intervenção do governo, lembre-se do exemplo de Brasília. Seu amigo, o governo, não é capaz de seguir a mais simples das regras de construção: construa, ou reforme, no período da seca. Como você espera que alguém que é incapaz de entender isso possa ajudar você na sua vida? Não se engane, o governo não é eficiente. O governo é isso que Brasília mostrou: incompetente, inconsequente e, na melhor das hipóteses, apenas estúpido.

5 comentários:

Anônimo disse...

Estou experimentando na pele esse problema. Minha firma fica na entrada do areal, 1ª à direita antes de chegar à faculdade Católica vindo do Riacho fundo. 15 dias atrás cortaram a terra na frente das empresas que atuam em toda a extensão da avenida, tirando nosso acesso a frente das lojas. Como não pára de chover, as máquinas sumiram. No entanto, os donos de loja precisam que atravessar a pé toda a lama que se formou pois os carros não tem acesso mais acesso. Se nem os proprietários das empresas tem ânimo para enfrentar a lama que em alguns lugares atolam por mais de 20 cm, imagina os clientes. E lá temos padaria, lanchonetes, pizzaria, restaurantes, e vários outros comércios. As pessoas que governam precisavam estudar um pouco de economia, para aprender sobre externalidades.
Alcimar Nascimento

Anônimo disse...

É uma vergonha ver que a situação do país em que vivemos piora a cada dia que passa, e esse exemplo das obras que o governo diz ser melhoria para a população é uma forma de mostrar que nem sempre o governo é "bonzinho" assim, e o pior de tudo é que ainda existem pessoas que quando o governo investe em uma obra que aparentemente vai melhorar algo para o povo, acreditam que isso é realmente bom para todos nós. É nítido o problema que enfrentamos no dia a dia por culpa de pessoas que sem habilidade alguma dizem saber administrar uma populaçao.

Rafaela

Anônimo disse...

Adolfo,

Infelizmente a falta de eficiência e inteligência do gorverno faz com que o nosso suado dinheiro, seja utilizado sem o mínimo de P.L.A.N.E.J.A.M.E.N.T.O, essa é a verdade.

Boas idéias e atitudes necessárias foram tomadas pelo novo governo, não posso deixar de reconhecer. Porém, esse problema é característica da ingerência e da incompetência por partes dos nossos agentes públicos.

É expantoso ver que até hoje, velhas práticas como essa continuam vivas, torrando (literalmente)os recursos que poderiam melhorar substancialmente o bem estar dos brasilienses.

Tomara que o nosso gorvernador não continue cometendo os mesmos erros... Arruda, planejas antes de gastar!!! Paciência tem limite.

Ps.: Gostaria de ver um post sobre células tronco em seu blog.
Marcos Paulo

Anônimo disse...

O engraçado de toda essa história é que quando as obras estiverem prontas(se estiverem...)publicarão que foram gastos milhões e mihões nas estradas de Brasília.
Claro que o custo vai subir e os transtornos também, de que adianta consertar as estradas de dia se a noite chove e de manhã vai ter que refazer?

Anônimo disse...

O engraçado de toda essa história é que quando as obras terminarem (se terminarem...) será publicado que foram gastos milhões e milhões em obras públicas em Brasília.
Com certeza serão milhões e milhões, de que adianta construir de dia se a noite vai chover e no outro dia tudo terá que ser refeito?
Mais uma vez o governo brinca com nosso dinheiro.

Aluna UCB
Priscilla Oliveira

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email