quarta-feira, 4 de junho de 2008

A Arrogância do Imbecil

Existe uma forte correlação positiva entre arrogância e imbecilidade: quanto mais imbecil o sujeito, mais arrogante. Tal relação é tão forte que vale não apenas para indivíduos, vale também para nações: quanto mais imbecil, pobre e mediocre é um páis, maior também será sua arrogância. Isso funciona como uma espécie de mecanismo de auto-proteção. Sabendo sobre sua imbecilidade, o indivíduo ou nação se esconde sobre o véu da arrogância. Buscando refúgio em um comportamento arrogante, o imbecil espera despistar o mundo sobre sua própria ignorância.

O Brasil é um caso típico do arrogante imbecil. Nossos alunos estão entre os PIORES do mundo em provas internacionais de matemática, ciências e leitura. Não bastasse isso, as estatísticas nacionais mostram que APENAS 4% dos alunos de oitava série possuem o conhecimento de matemática que seria de se esperar. Em relação a português esse número sobe para 5%. Em resumo, o aluno brasileiro médio não sabe ler, não sabe escrever e nem sabe somar ou diminuir. Um país honesto tomaria medidas simples para corrigir esse problema, tipo DIMINUIR o número de matérias e focar o ensino principalmente em matemática, português e ciências. Claro que haveria espaço para outras disciplinas, mas o peso principal seria nas três acima. Mas o que fez nosso governo? Foi na direção OPOSTA e tornou obrigatório o ensino de sociologia e filosofia no ensino médio.

Tornar obrigatório o ensino de sociologia e filosofia no ensino médio tem vários pontos negativos. Primeiro, é evidente a doutrinação que irá ocorrer: MARX será o grande filósofo a ser estudado. Popper nem pensar, Von Mises, Hayek ou Bastiat de jeito nenhum. Segundo, sobra menos tempo para o estudo de matemática e português. Ou seja, os alunos ficarão ainda piores em leitura e matemática. Terceiro, os mais pobres estarão em situação pior. Afinal, nas escolas privadas a carga horária de ensino irá aumentar para acomodar mais matérias. Já nas escolas públicas, impossibilitadas de aumentar a carga horária, o ensino de matemática e português será ainda mais sacrificado. Quando a desigualdade aumentar não culpem o mercado, culpem a falta de preparo educacional agravada por essa medida. Quarto, o estudo de filosofia demanda uma maturidade que dificilmente se tem na puberdade. Quinto, por que sociologia? Por que não economia? Novas demandas irão surgir, novas matérias serão incluídas nas grades curriculares do ensino médio, e menos nossos alunos saberão sobre português e matemática.

O Brasil é um país arrogante, para mascarar nossa mediocridade educacional criamos disciplinas para dizer: somos analfabetos, não sabemos fazer contas, mas somos politizados.

15 comentários:

Nilo disse...

Doutrinação de adolescentes de 15 anos, mais uma paulada dos comunistas!!!

ts disse...

Por que não Culinária? Por que não Corte e Costura? Dá no mesmo que estudar Filosofia ou Sociologia. (Aliás, seria melhor, já que a pobraiada analfabeta aprenderia, pelo menos, alguma coisa útil!)

Emílio Calil disse...

Excelente texto. Há alguns dias venho tentando escrever sobre o assunto no meu blog, mas você conseguiu sintetizar todo pensamento. Sendo assim, postei lá uma indicação para teu blog, OK?

Grande abraço!

Emílio

poisze disse...

Santa Ignorância!
Caro professor, concorde que existe uma forte correlação positiva entre governos que se auto-intutulam comunistas e péssimas práticas governamentais. Mas sou a favor sim, de incluir filosofia no ensino médio. Eu tive filosofia no ensino médio (em escola pública e integral), e nesta aula por ter estudado "Introdução à Filosofia Matemática", tenho hoje facilidade para lidar com números, símbolos, etc.
Sou da opinião que temos que nivelar por cima.

Está claro este modelo mecânico de ensino dado no Brasil (salvo poucas excessões) é ineficiente.

Veja nossos alunos formandos em Economia na Católica. Vejo que muitos dos alunos tem dificuldade trabalhar com séries históricas, isto é, há dificuldade de transformção de valores nominais para reais, correção monetária, ou seja, há dificulade para aplicarmos o que se aprende no primário. RAZÃO! PROPORÇÃO! Valor Final / Valor inicial. Temos dificuldades de transpor conhecimentos simples.
Aumentar a carga horária de matemática, talvez nos torne especilastas em limites e integrais, mas na prática continuaremos os mesmos imbecis que continuam votando nestes governinhos.

Fabio disse...

Muito bem escrito (acho que você está encontrando sua "voz", Adolfo), mas não concordo com o post. Você fala que o "O Brasil é um caso típico do arrogante imbecil", e logo depois dá o exemplo que o governo "tornou obrigatório o ensino de sociologia e filosofia no ensino médio".

Você comete o mesmo erro (fatal, a meu ver) que os autores d'"O Perfeito Idiota Latino-Americano". Você acha que esse pessoal do governo é mesmo imbecil? Pelo contrário: esse pessoal é muito hábil! A estratégia do governo é deliberada, espertíssima, e vai levar o país exatamente aonde querem: à submissão total do povo aos ditames do próprio governo.

Quem é que vai dar essas aulas de filosofia e sociologia? Os discípulos de Marilena Chauí e Emir Sader, meu caro. Dentro de alguns anos, seremos todos maoístas, e vamos aceitar um número ainda maior de medidas inaceitáveis (não dá para acreditar que já aceitamos a maioria dessas medidas).

Cuidado: você está chamando cobra de imbecil, e não consegue enxergar a sua malícia infinita. Ela está botando os ovos que em breve vão chocar. Nossos filhos vão viver num país repleto de víboras.

Blog do Adolfo disse...

Caro Emilio,

Obrigado pelo apoio.
Adolfo

Blog do Adolfo disse...

Caro Poisze,

Todos queremos nivelar por cima. A questao eh que essa medida do governo vai na direcao oposta: nivela por baixo.

Quanto aos alunos de economia da UCB eu tomo a liberdade de discordar de ti: a grande maioria deles nao parece ter dificuldade nas operacoes que voce citou.

Adolfo

Blog do Adolfo disse...

Caro Fabio,

Seu ponto esta correto. Obrigado por me corrigir.

Adolfo

Diego Baldusco disse...

"Existe uma forte correlação positiva entre arrogância e imbecilidade: quanto mais imbecil o sujeito, mais arrogante."


Voce nunca deve ter visto House. fora esse detalhe absolutamente desnecessário, o texto ficou muito bom hehe

Totti_ucb disse...

Caro Adolfo.

O estudo de sociologia e filosofia nas escolas de nivel medio, nao serve pra nada. tudo o que os professores fazem é fazer analises de musicas da legião urbana e ler livros que de nada ajudaram aos jovens, na hora de arrumar um emprego. deve ser dai que vem a ideia de que o governo tem que ajudar a arrumar o 1º emprego.
acho isso o cumulo, trabalho des dos seis anos, se nao fossem meus pais a me obrigarem ir a escola eu nunca teria chegado onde cheguei, ainda tenho muito caminho a percorrer. mas de uma coisa eu sei.
Filosofia e Sociologia no ensino medio é um grave erro.
Muito melhor aulas de fisica e de matematica do que 30 minutos de filosofia de filhinhos de papai que nunca fizeram nada de util.

Jadir Antonio Da Silva disse...

Nossa quanto mais eu vivo mais eu descubro que de filosofia muitas gente não sabe nada, principalmente as pessoas que criticam sem saber o que estam criticando. Resumir filosofia à doutrinação marxista é ridículo, aliás não entendo o porque de tanto medo de Marx,filosofia não é doutrinação, é pensamento, busca da verdade, entendimento das questões do mundo e da existência humana. Falar de coisas que entendemos é um bom caminho para não ser mediucre.

Luiz Claudio disse...

Na inanição intelectual em voga, decorrente da praticidade e dos resultados imediatos do capitalismo, pessoas ir contra o ensino de filosofia no ensino médio, não foge a regra. Discutir uma leitura de si mesmo e do mundo são substituídos pelo cientificismo. Afff..

Anônimo disse...

artur nogueira diz:
Penso que o ensino de Filosofia seja importante a nível Médio.Resta saber quem e como será discutida essa disciplina.Se for só ideologia, aí sim será um gravissimo erro.O foco é sim ,além da matemática(aí incluiria noções basicas e elementares de economia), a lingua oficial- o bom e velho ingles e as ciencias no todo(quimica/fisica, etc).
Mas o grande nó continua sendo os educadores de plantão- Coitado dos alunos......

Anônimo disse...

Não sei o porque de tanta implicância com o ensino de FILOSOFIA, ou melhor com o aprender a filosofar, acho que realmente a filosofia tem um efeito considerável na existência humana, com relação a ideologia resta discutir qual, eu não vejo nenhuma ideologia, quando o que se propõe é discutir as coisas do mundo e da própria existência, onde está o mal nisso ? ou será que existem pessoas que realemte tem medo de perder privilégios. Uma outra hipótese é ensinar alunos a se defenderem de políticos corruptos os quais até os cegos podem ver, onde está o problema ? acho que está apenas nos pré-juizos de algumas pessoas que querem ensinar outras ideologias, a do mascaramento...!

Anônimo disse...

Não sei por que raios apertei e cheguei a este texto. Um profundo relinchar de um infeliz que não sabe sobre o que tá falando. Aprendeu a construir um texto e reproduzir a ideologia da miséria com muito louvor! Ignorante e bestial é o mundo sem filosofia . Espero que a essa altura você tenha enfiado as duas mãos no cu e rasgado com força, pois saiba que enquanto houverem pessoas comprometidas com a educação , vai ter escola , vai ter matemática e ciências . Artes , filosofia e sociologia, sim. E quem sabe com esperança , daqui a algum tempo tenhamos a chance de ler conteúdo menos preconceituoso e ignorante .

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email