terça-feira, 8 de julho de 2008

Politica de Desenvolvimento Produtivo, escrito por Roberto Ellery Jr.

Abaixo segue o texto escrito por Roberto Ellery Jr.

O governo apresentou recentemente sua Política de Desenvolvimento Produtivo (PDP) e trouxe de volta a idéia que o estado tem um papel fundamental na organização do crescimento econômico. A lógica é mais ou menos a seguinte, eu e você não sabemos o que é melhor para gente, é preciso algum funcionário público (que podemos ser nós mesmos, agora com poderes mágicos) dizer o que devemos fazer. Parece razoável? Pense assim, o Antonio Erminio de Morais, o Eike Batista ou o Paulo Otávio não sabem como investir o dinheiro deles, mas eu, que sou professor, e meu amigo Adolfo, que é do IPEA, sabemos. Pessoas como eu e o Adolfo, investidos de cargos públicos e autoridade acadêmica, são as detentoras da verdade sobre o que deve ser feito para o país crescer.
Como numa espécie de volta dos que não foram os planos nacionais de desenvolvimento estão de volta. O governo propõe metas para a taxa de investimento, para as exportações, define o quanto as empresas devem gastar em pesquisa e desenvolvimento e, por fim, estipula o número de micro e pequenas empresas que devem se tornar exportadoras até 2010. Como prever o passado é uma ciência exata, eu posso afirmar que esta estratégia vai gerar crescimento de médio prazo e estagnação no longo prazo. Cada uma destas metas tem um enorme potencial destrutivo para economia, nós próximos ‘posts’ vou comentar cada uma delas. Mas não fiquem preocupados, se a PDP for igual às outras ações deste governo nada vai acontecer, ela vai ficar só no papel... isto é um elogio ao governo.

3 comentários:

Anônimo disse...

O que governo não é bobo, ela sabe que isso não dá resultado. O que ele quer mesmo é fazer caixa para a campanha eleitoral.

Totti_ucb disse...

A cada dia que passa mais e mais o Governo do Povo, Governa para si e leva O povo para o Buraco, e Cada Vez mais O Povo pede ao Governo. Intervenha na minha via e a torne pior do que ja esta.
Abaixo a intervenção estatal!
Viva o Liberalismo!
eu quero gastar o meu dinheiro da maneira que eu quiser, onde e quando eu quiser. quem trabalha pra ganhar sou eu e nao um membro do governo.

Anônimo disse...

Meus Caros Roberto e Adolfo,

Concordo com quase tudo que foi escrito neste post, menos que prever o passado seja uma ciência exata. Pois como disse o Pedro Malan ao se deparar com uma série de esqueletos financeiros (muitos deles gerados por intervenções desastrosas do governo nos mercados): "no Brasil até o passado é imprevisível".

Rogê

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email