quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Marta pra La, Sarah pra ca

Ter uma Marta ja eh ruim o bastante, mas saber que existe uma Sarah torna as coisas piores ainda.

Esta na hora de fazermos o que faziamos quando jogavamos bola na rua.... assim que identificavamos que um time estava mais forte que o outro gritavamos logo algo como... manda o janjao pra ca e voces ficam com o mauricinho.

Seguindo a tradicao, esse blog pede... manda a Sarah (governadora, mae, e esposa)pra ca, e que os americanos fiquem com a marta (sociologa, sexologa, e autora da famosa frase "relaxa e goza") pra la!!!!!!

6 comentários:

Anônimo disse...

É quase certo que não sei bem o que se passa. Será que a ex-prefeita paulista será candidata a presidente, grande (twice) Adolfo? Repetirá Janio? Passará a vassoura no país? Como identificar convergência em coisas (ou mulheres) tão divergentes? Que canseira. Dá um trabalho enorme encontrar os pontos comuns entre a manteiga e o canhão.

Anônimo disse...

Redução de impostos e de gastos públicos, abertura da economia... Sonho em viver num país assim.

sofia disse...

Defende liberdade econômica, mas acha que pode interferir na escolha das pessoas quanto a sua orientação sexual (já que se opõe a união entre pessoas de mesmo sexo) e no direito da mulher decidir se quer ou não levar adiante uma gestação. Para mim isso não faz o menor sentido. Além disso, gosta de passar o tempo caçando!! Matar um animal para comer até passa, mas matar por esporte é o fim!! Por mim, Marta e Sarah para lá!!

Bianca disse...

Adolfo, seguem alguns comentários:

Não há como negar que as mulheres, nas últimas décadas, vêm conquistando novos espaços, que antes eram exclusivos dos homens. No entanto, a participação da mulher na esfera política ainda é pouco expressiva. Fato que reforça a necessidade de continuarmos a luta pela causa feminina.

Sendo assim, não há como me calar diante de suas palavras. A conceituação de feminilidade implícita em seu texto não é eficiente para descrever a mulher do mundo atual, pois pressupõe um estereotipo já superado: a mulher esposa, mãe, responsável pela criação dos filhos. Essa questão não é superficial, está enraizada em nossos sentimentos, em nossos comportamentos, na família, no trabalho e na nossa educação. Sendo assim, não podemos deixar de lado a discussão sobre a emancipação feminina.

Sobre os critérios utilizados para desqualificação da Marta: sugiro mais leituras de Sociologia, Psicologia e até mesmo Sexologia, que certamente ajudarão a identificar a assimetria das relações humanas.

Fico por aqui.
sds
Bianca

Anônimo disse...

Não sei o que essa Sarah tem de tão especial pra você Adolfo.
Pra mim é mais uma no nada.
Nunca foi-se ouvido falar nada a seu respeito, a não ser agora, pelo motivo de ter sido indicada a ocupar a vice-presidência.
Acho sim que foi uma jogada muito ruim de um partido que critica a pouca visibilidade política de seu adversário.

Rafael disse...

ôpa! diante do mérito de ser mãe e esposa, qual o desmérito de ser socióloga? injusto o argumento de desqualificação (embora eu não questione a desqualificação em si)

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email