sábado, 7 de fevereiro de 2009

Pergunta do final de semana:

Inaugurando a secao "Pergunta do final de semana" formulamos uma das perguntas mais dificeis a serem respondidas sobre as proximas eleicoes presidenciais:

Pergunta) Existe algo pior do que a dobradinha Dilma x Serra disputando o segundo turno em 2010?

Resposta Obvia 1) SIM, Dilma x Serra disputando o primeiro turno em 2010.

Resposta Obvia 2) SIM, termos Lula x Serra em 2010.

Resposta Obvia 3) SIM, termos Dilma e Serra na mesma chapa em 2010.

Vamos la leitor, participe e mande sua resposta.

10 comentários:

Daniel Marchi disse...

Adolfo

Acho bastante pertinente você levantar essa discussão. Engana-se muito quem acredita que Serra em 2010 será a opção “menos estado”. Pelo contrário. É muito provável que, em vencendo as eleições, trará aquela maldita abordagem cientificista de intervenção do estado. “Vamos corrigir todas as falhas, é só chamar os especialistas e fazer umas contas”.

A Liberdade vai apanhar por mais alguns anos...

Abraço

Anônimo disse...

Adolfo, o Serra é pior do que um petista!!!!

Carlos

Pedro disse...

Se não for Serra vai ser quem?
Antes Serra do que qualquer um que for indicado pelo Lula.
Vai votar em quem do "DEMO"? Casar maluco, que governou o rio viajando mais que LULA,brincando de laptop? ACMINHO NETO anãozinho?
Arruda "Bin Laden" mentiroso?
Sobra Aècio, ai seriam 4 anos governados na base do Pó e do Red Bull.
O Cenário é deprimente: pois hoje temos um presidente que so voa, um vice, coitado, lutando contra cancer. Temer na Camara e Sarney no senado.
PQP

Pedro disse...

So pra complementar professor, minha logica simplista me diz o seguinte.
Se os petistas paulistas odeiam tanto o Serra, se gente da imprensa esquerda o detesta tanto, alguma coisa boa ele deze ter feito em SP. Não sei o que.
HEHEH
Saudações

Anônimo disse...

Lula ganhando no primeiro turno
Serra ministro da fazenda em um
Governo de coalizacao
Dilma no BNDES
Luciano Coutinho volta pra consultoria
dele pra prestar servicos ao setor
privado que busca financiamento junto
ao governo

Anônimo disse...

Existe sim. É ver o PT e PSDB disputarem o 1º e o 2º turno das eleições presidencial de 2010, 2014, 2018, 2022... sem nenhuma renovação de pensamento politico para comandar o Brasl.
Rodrigo Duarte

Anônimo disse...

Pior do que qualquer alternativa acima seria ter de suportar o Alumiado (e sua proverbial capacidade de dizer e fazer bobagens) por mais quatro anos. Porém, nada pior do que uma re-reeleição do Lula com a Roseana como vice. A saída seria desarmar o barraco e mudar-se para... Caracas, véi!

Ricardo disse...

Tah complicado.. Serra e Aécio vão rachar o PSDB que virá enfraquecido. Acho que o PT deveria no final desse ano já formaliza a Dilma pra ir ganhando mídia.

Mas ora me pergunto.. Dilma?? 'Sucks hein' .. Mas quem? Ciro Gomes? Heloisa Helena?

Francamente não tenho candidato..

Paulo Araújo disse...

Caro Pedro

"Se não for Serra vai ser quem?"

A lógica que opera no PT (mas não somente no PT)é a aquela que o antiliberal Carl Schmitt denominou amigo-inimigo. Serra é inimigo porque não é amigo, isto é, não é do PT.

Aplicando a lógica do Schmitt ao dilema apresentado pelo Sachsida (o que é pior?)a oposição PT X PSDB se dissolve em PT e PSDB X liberalismo.

Então, a coisa está feia porque se não aplicarmos a lógica antiliberal do amigo-inimigo com os sinais invertidos o liberalismo não aparece como alternativa, isto é, como alternativa política propositiva. Ou seja, parece que ser liberal hoje é somente ter como inimigo PT e PSDB, assim como ser antiliberal é ser PT e PSDB. Isso, que é uma parte do que define liberalismo (ser anti-PT e PSDB), parece que é cada vez mais todo do liberalismo no Brasil.

O liberalismo no Brasil, fazendo uma comparação de valor estritamente didático, é parecido com a vinda do messias para o judaísmo: é sempre uma promessa a ser efetivada num futuro que ninguém sabe ao certo quando virá.

Abs.

paulo araújo disse...

Caro Sachsida

O que eu quis dizer (é apenas um exercício de livre pensamento) no comentário anterior é que me parece que estamos presos nessa lógica antiliberal do Schmitt. Hoje ser liberal é definido mais pela negação (não sou o inimigo PT e PSDB) do que pela proposição de algo que escape dessa lógica. Me parece que essa logica do amigo-inimigo adquiriu um status de epistemologia no pensamento econômico e político liberal.

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email