quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Robert Barro concorda conosco

Robert Barro, professor de economia de Harvard, diz o que pensa do pacote de estimulo fiscal proposto pela equipe de Obama:

"This is probably the worst bill that has been put forward since the 1930s. I don't know what to say. I mean it's wasting a tremendous amount of money. It has some simplistic theory that I don't think will work, so I don't think the expenditure stuff is going to have the intended effect. I don't think it will expand the economy. And the tax cutting isn't really geared toward incentives. It's not really geared to lowering tax rates; it's more along the lines of throwing money at people. On both sides I think it's garbage. So in terms of balance between the two it doesn't really matter that much".

Traduzindo:

"Este eh provavelmente o pior pacote proposto desde 1930. Nao sei o que dizer. Eh um tremendo desperdicio de dinheiro....." e por ai vai.

Este blog vem alertando sobre isso faz tempo. Mas o pior mesmo eh saber que o governo brasileiro tambem vai embarcar nesssa furada de aumentar os gastos publicos.

6 comentários:

Laguardia disse...

Amigos.
Não sou jornalista nem escrevo bem.
Sou aposentado, recebendo do INSS e tendo o IR descontado na fonte. Não recebo as benesses de nosso apedeuta mor que tem pensão do INSS acima do máximo, isento de Imposto de Renda por se achar perseguido político, ou melhor, por se anistiado político.
Luto com as armas que tenho que é um blog, como forma de desabafar ao ver tanta roubalheira, falta de ética, falta de honestidade e principalmente falta de vergonha na cara desta quadrilha que tomou de assalto o Palácio do Planalto.
Quero convidar os amigos a participarem da minha forma de protesto, o blog Brasil – Liberdade e Democracia - http://brasillivreedemocrata.blogspot.com/.
Se não levantarmos nossas vozes em protesto o que será deste país para nossos filhos e netos?
Agora é a hora de lutarmos por uma pátria livre democrática, e sobre todo com governantes honestos e éticos.

Juliano Torres disse...

Mr. President, We Disagree
O presidente eleito dos Estados Unidos declarou: "Não há desacordo que nós precisamos de ação de nossos governantes, um plano que irá ajudar a economia a recomeçar". A resposta dos economistas chegou com a propaganda lançada pelo Cato Institute: "Com todo o respeito Sr. Presidente, isso não é verdade".

Continua em http://www.libertarianismo.com/index.php/menuartigos/blog/393-mr-president-we-disagree

Anônimo disse...

Os caras não conseguem fugir da velha receita keynesiana de cavar buracos e tapar buracos apra gerar renda, que gera consumo, que gera empregos cavando buracos e tapando buracos. Cavar buracos e tapar buracos não gera crescimento? Claro que não. Mas Keynes não estava preocupado com isso. Afinal, "no longo prazo todos estaremos mortos".

marco bittencourt disse...

Também concordo. O que sabemos da crise? Que foi um monumental calote dos banqueiros. Claro, o dinheiro sumiu. Mas poderá o banco central fazer algum milagre? Eu prefiro aceitar que houve um rebaixamento na trajetória do PIB e ele então crescerá nessa nova trajetória. Não adianta chorar. Os banqueiros roubaram a grana dos americanos. Cadeia neles. Se tivermos que comprar os ativos podres, minha sugestão é que deixem os bancos falirem e compremos tudo: ativos bons e ruins. O mais importante: em nome do povo e não dos banqueiros. De qualquer forma, o Krugman, em vestimenta manjada keynesiana, acusou o Friedman de desonestidade acadêmica, querendo briga com defunto, está em uso abusivo dessa máxima e ainda quer chamar o Lucas para o debate, tentando igualá-lo ao Bernanke – um bobão - vaticinando que a crise é de longa duração. Cadê o modelo que assenta tal afirmativa? Como um craque, Lucas fará o que fez com o TOBIN- um fenomenal coice acadêmico. Aguardemos!

Carlos disse...

Dr. Sachsida, this is Eduardo from UTPA, i was reading the other day about this plan that obama has to fix the crisis, according to everything you taught us, its garbage! and i see that im not the only one who thinks this. i hope everything is going well for you, im a fan of your blog, i find it refreshing to hear your opinion as well as the other people you quote on it, keep up the good work dear friend

Anônimo disse...

O Fundo Monetário Internacional (FMI) recomendou às principais economias desenvolvidas e em desenvolvimento do planeta que adotem medidas mais agressivas e coordenadas contra a crise financeira internacional.

“Ações políticas coordenadas e mais agressivas são necessárias com urgência para resolver a crise e estabelecer uma retomada duradoura da atividade global”, diz relatório encaminhado aos ministros do Grupo e divulgado nesta quinta-feira (5/02) pelo FMI.

“Enquanto há melhoria em alguns mercados onde foram adotadas políticas intervencionistas, os mercados financeiros continuam sob forte pressão e as instituições ainda são consideradas frágeis. Permanecem os desafios em muitos mercados e instrumentos”, avalia o FMI.

Fundo também recomenda que os governos ajam de forma imediata e agressiva em casos de falências e recapitalize “instituições viáveis” com recursos públicos. A mensagem é clara: é necessária uma maior intervenção do Estado na economia.

Agora eu estou com uma dúvida: Esse não o mesmo FMI que incentivou as privatização no Brasil e na maioria dos demais países. Seduzidos pelo endividamento fácil nos anos 70, no qual enfrentaram crises da dívida nos anos 80 e ao se verem sem recursos para o pagamento da dívida, são “socorridos” pelo FMI e levados a aceitar as condições impostas pelos credores, entregando parte significativa do patrimônio nacional para pagar pequena parcela dos valores reclamados pelos emprestadores. No Brasil, a partir do governo Collor, mas especialmente no governo de FHC, empresas estatais estratégicas e lucrativas passam para mãos privadas – nacionais e estrangeiras - a preços irrisórios.

Adolfo, tire-me esta dúvida, Qual a real intenção do FMI??


Edvaldo Frazão.
Estudante de Economia - UCB

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email