terça-feira, 7 de abril de 2009

Previdência Privada no Brasil

A idéia de fazer um fundo de previdência privada para melhorar sua aposentadoria no futuro parece ser uma escolha racional. Contudo, no Brasil, tenho sérias restrições a essa alternativa. Meu ponto é simples: quantas empresas brasileiras já honraram um contrato de 35 anos? Vamos começar pelo governo: alguém confia no governo brasileiro cumprindo um contrato de 35 anos? Basta olharmos o passado e veremos que o governo é o primeiro a alterar seus contratos. Lembra-se do Comind? E da Colméia? Ou então de alguma construtora que pegou seu dinheiro e não entregou o imóvel? Desrespeitar contratos é quase que uma praxe no Brasil.

O governo brasileiro mantém uma boa quantidade de pessoas checando os fundos de previdência privada. Mas pergunto, desde quando isso adianta? O governo também mantinha equipes fiscalizando bancos, mas isso não evitou o escândalo do Banco Nacional. Essas equipes também não são adequadas para fiscalizarem de maneira eficiente os fundos de pensão. Simplesmente existem muitas maneiras de se fraudar um balanço. Quando a punição à fraude é baixa, como é no caso brasileiro, o estímulo a balanços maquiados é grande. Esse fato independe da qualidade dos fiscais que checam os fundos de pensão.

Outro ponto contra fundos de pensão refere-se ao fato do próprio governo controlar o fundo e fiscalizá-lo ao mesmo tempo. Isso é claramente uma má estratégia, e importantes fundos como a Previ, a Funcef, a Petros e vários outros estão sujeitos a esse problema. Basta notar que alguns fundos estatais de pensão seguem, em determinadas ocasiões, objetivos políticos e não de rentabilidade ou segurança. Colocando assim os beneficiários desses fundos a mercê de objetivos políticos.

Por fim a pergunta: quanto dinheiro os fundos de pensão perderam nessa crise? Em que medida isso compromete a rentabilidade futura e a previdência de seus contribuintes? No Brasil, e em vários países subdesenvolvidos, confiar em contratos de 35 anos não é uma idéia inteligente. A chance de receber seu dinheiro de volta é pequena. Quer uma previdência privada? Então compre um terreno, um imóvel ou algum outro ativo real.

Um comentário:

Fábio Mayer disse...

Pois é.;..minha opinião é exatamente esta!

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email