quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

A Exagerada Punição aos Atletas que usam Cocaina

Em primeiro lugar, quero deixar claro que esse post não tem como finalidade defender a liberação das drogas. O ponto aqui é apenas explicitar o extremo exagero da punição aplicada a atletas profissionais que fazem uso de cocaina. Devemos lembrar que a cocaina não melhora o desempenho físico dos atletas, ou seja, o atleta que usa cocaina não está obtendo uma vantagem ilegal em relação a seus pares. Isso é importante, e tanto é verdade que a punição de atletas que fazem uso de cocaína se baseia no argumento de que “atletas devem dar o bom exemplo”, ou seja, a punição aplicada ao atleta que usou cocaína não se baseia no argumento de que este obteve vantagens físicas ilegais (como acontece quando atletas usam outros tipos de substâncias proibidas).

Quando um atleta é flagrado usando cocaína ele pode ser suspenso por 6 meses. Isto é, ele fica sem sua fonte de renda, sem o seu sustento e o sustento de sua família por 6 meses. Se ele for reincidente pode ser banido do esporte. Ou seja, ele perde permanentemente a sua princiapl fonte de renda. Meu ponto é apenas um: que tal aplicarmos a mesma punição dos atletas a outros usuários de cocaína? Me parece que um advogado é uma figura tão importante numa sociedade quanto um atleta, assim nada mais justo do que aplicar ao advogado a mesma punição que o atleta receberia (afinal o crime é o mesmo). Isto é, que tal banirmos do exercício do direito todos os advogados reincidentes no uso de cocaína? Mas por que pararmos nos advogados? Médicos, economistas, contadores, operadores de telemarketing, cantores de rock, artistas de TV, que tal todos receberam a mesma punição dos atletas?

Vamos agora finalizar meu argumento com a mais simples das colocações: quem fornece mais exemplo para as novas gerações: o professor que dá aulas para elas todos os dias ou os atletas (muitos dos quais nem famosos são)? Ora, creio que um professor seja extremamente importante na formação de uma criança e de um jovem. Sendo assim, os professores também deveriam dar o “bom exemplo”. Dessa maneira, nada mais justo do que professores tanto do ensino fundamental, como do ensino médio e do ensino superior serem banidos de suas profissões caso sejam flagrados duas vezes usando cocaína ou maconha. Que tal fazermos uma visita aos departamentos de sociologia, ciências políticas, antropologia, geografia, história, entre outros, das universidades? Que tal aplicarmos aos professores a mesma punição aplicada aos atletas?

Banir um atleta, tirar dele sua fonte de sustento, apenas porque ele fez uso de cocaína me parece uma punição extremamente alta.

11 comentários:

Doritos disse...

Por que não impedir aquele ator brasileiro de atuar? Afinal, o cara atua em novelas, filmes, etc., que alcançam milhares de brasileiros, ou seja, é um péssimo exemplo.
Esse esporte - futebol - cada vez mais me dá vergonha. Se não bastasse o fato do Brasil ser reconhecido lá fora pelo seu falso "rei do futebol", sou obrigado a ver imagens como aquele do Presidente fanfarrão Lulla com o Flamengo - maior torcida do Brasil. No Brasil tudo cheira a merda

Anônimo disse...

Adolfo, seu argumento está corretíssimo!!

Eu sei lá quais os benefícios que a cocaína pode acrescentar a um atleta, talvez livrá-lo um pouco da dor dos treinos, um palpite.

Agora que a punição devia ser estendida a outros profissionais com certeza. E, realmente, outros profissionais dão melhor exemplos à sociedade. Que exemplo os atletas dão?? Para mim nenhum! Eles praticamente fazem coisas sobre-humanas, nem os comparo a mim ou a nós. Uma vida dedicada a superar os limites do próprio corpo...
Eles não são como os médicos, esses são afastados de exercerem sua profissão qdo são pegos usando drogas, mas tds hão de convir que ninguém quer ser operado por um médico que esteja drogado.

Para mim, ser um drogado não traz benefício algum para ninguém. Mas, enfim, não estamos discutindo a minha caretice...

Por fim... morri de rir com a parte do 'Que tal fazermos uma visita aos departamentos de sociologia, ciências políticas, antropologia, geografia, história'. Apesar de achar um pouco preconceituoso, mas, convenhamos, tirando CPol os outros cursos têm um número sabidamente grande de alunos que fazem uso de drogas ilegais.

*Feliz ano novo!

andre disse...

Sou totalmente a favor da punição aos atletas e seria ótimo se pudesse ser estendida aos demais profissionais (músicos, atores,..., principalmente professores, afinal não há ninguém mais importante na formação da opinião de uma sociedade).
Não sei como o senhor encara o uso de drogas, mais se meu filho fosse fã de um atleta ou outro profissional que usasse cocaína eu ficaria bastante preocupado com a opinião dele quanto ao uso de drogas.
Quero lembrar também que o senhor está falando de cocaína considerada pela sociedade de medicina a segunda droga mais prejudicial ao ser humano, e fico preocupado se é esta opinião que da aos seus alunos.

O excesso de liberdade de alguns é quase sempre ligado a opressão de outros (estou falando dos usuários de drogas e as vitimas da violência, estas são as que sofrem a verdadeira punição sem ter cometido nenhuma irregularidade).

O senhor como professor é dotado de um poder de grande influência na sociedade e espero que você use este poder de forma consciente e não apenas forçado suas opiniões sujeitas a erros como as de qualquer ser humano.

Anônimo disse...

Adolfo, não sabia que você era botafoguense! heheh

Chesterton disse...

O problema é que muitas vezes não é possível diferenciar a cocaína das anfetaminas usadas para melhorar a performance do atleta. Depende do nivel de sofisticação do exame.
Lembrem da morte de Elis Regina, o perito concluiu ou descogestionante ou cocaína (meio irresponsável).O problema é que muitas vezes não é possível diferenciar a cocaína das anfetaminas usadas para melhorar a performance do atleta. Depende do nivel de sofisticação do exame.
Lembrem da morte de Elis Regina, o perito concluiu ou descogestionante ou cocaína (meio irresponsável).

GAbiRu disse...

que excrecência: "O excesso de liberdade de alguns é quase sempre ligado a opressão de outros "

hum, um pouco mais de rothbard para você cairia bem, meu amigo... ser roubado por um drogado, que eu saiba, não é espécie alguma de ´puniçãó´, ao contrário, demanda punição ao drogado...

Anônimo disse...

É impressionante como as pessoas tem o dom de ler uma coisa e entender outra. Amigo Andre, se eu fosse você eu lia uma, duas, três, dez vezes ate entender a mensagem que o Adolfo tentou te passar.
Caros, os atletas são duramente punidos por uso de cocaína sob o argumento de dar ‘bom exemplo’? E a quadrilha de bandido chefiada pelo nosso governador Jose Roberto Arruda vai ser punida sob que argumento?

Ginno Guimarães

Anônimo disse...

Se governador viciado perdesse o cargo...

Alguem conhece um?

Dica: o avô morreu no dia 21 de abril

Salvador disse...

Botafoguense = chororô

Anônimo disse...

Chama-se regulação.
Auto-regulação.
Os médicos expulsam os seus colegas maus praticantes.
Pelo menos sei que deu até morte no Rio Grande do Sul. Não sei se os Conselhos Regionais de Medicina cumprem suas obrigações em todos estados. Ainda mais no Rio.
Os engenheiros e advogados deveriam estar fazendo parecido.
Os informatas deveriam fazê-lo para banir quem faz programas para roubar ICMS.
Bandidos são banidos das suas profissões no mundo todo.
Motoristas bêbados atropeladores perdem a carteira.
Autoregulação não pode ser um conceito novo para um liberal.
Na Austrália, são os vizinhos que te vigiam para não exagerar no sobrepastejo, para não lotar demais teu campo com ovelhas.
Lá tu perde tuas terras se queimar o filme com os vizinhos por causa da lotação do campo.
Na Espanha um conselho local impõem regras de conduta em relação à àgua. Te fazem fechar teu poço se o do vizinho que já tinha direito secou.
Na Islândia, os pescadores e agricultores locais vetam qualquer modernização que resulte em predação de um meio ambiente extremamente frágil.
Autoregulação.
Nada de Estado.
Mas nada de bagunça.
Bagunça é coisa do Brasil, país que não chegou nos limites do seu meio ambiente.
Tu que está por fora, não te mete, isso é coisa deles.
E teus exemplos são mal construidos, crias situações falsas distintas do fato para afirmar teu ponto de vista. São falácias muito evidentes.

Anônimo disse...

Essa artigo esta incorreto, pois a cocaina melhora sim o desempenho do atleta, ela atua no sistema neurologico e nos orgãos. A cocaína causa um dopping psicologico ja comprovado, pois faz com que o atleta perca o medo e adquira confiança, motivação e sentimento de ter poder e de ser ser "super- homem" e isso tudo incrementa a atuação de um atleta. Maradona que não foi melhor jogador do que Zico, utilizou cacaina e efedrina para aumentar o seu desempenho como atleta

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email