quinta-feira, 27 de maio de 2010

Carta ao Futuro Presidente da República

Sempre podem ocorrer discordâncias acerca das melhores políticas econômicas a serem implementadas. Tais discordâncias são saudáveis e fazem parte do processo democrático. Anos eleitorais são propícios às discussões de temas econômicos, pois nos obrigam a uma confrontação com nossa realidade. Quais políticas deram certo? Quais fracassaram? O que precisa ser mudado?

Nos últimos anos a base de política econômica brasileira sustentou-se no tripé: metas de inflação, responsabilidade fiscal e taxas de câmbio flutuante. Claro que entre especialistas existem discordâncias quanto a efetividade, e a melhor operacionalização, de cada uma dessas idéias. Contudo, concordamos que apesar de talvez tais políticas não representarem o ideal, elas são efetivas o bastante para garantir a estabilidade econômica de nosso país.

Assim, os signatários dessa carta deixam claro que antes que mudanças sejam propostas no tripé econômico, outras reformas devem ser realizadas: reforma tributária, reforma fiscal, reforma trabalhista e reforma da previdência são temas muito mais urgentes para o debate nacional. De maneira alguma dizemos que o tripé econômico atual seja isento de imperfeições. Alegamos apenas que reformas muito mais urgentes devem ser implementadas antes que mudanças no tripé econômico atual sejam levadas a cabo.


PS: caso você queira assinar essa carta, mande seu nome (se quiser inclua sua titulação e/ou seu empregador) para o e-mail: sachsida@hotmail.com

Nenhum comentário:

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email