quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Diga NÃO à Licença Maternidade de 6 Meses

Post escrito em 20 de agosto de 2008.

Tudo indica que o governo irá sancionar a licença maternidade de 6 meses. Isto é um erro. Quem vai pagar por esse erro são TODAS as mulheres do país. O motivo é simples: quem vai se arriscar a promover uma mulher? As empresas simplesmente não vão se arriscar a promover mulheres. Afinal, caso elas engravidem a empresa terá que ficar 6 meses com o cargo vago (ou ocupado de maneira provisória).

Essa nova medida do governo TAMBÉM irá DIMINUIR a empregabilidade das mulheres pelo mesmo motivo exposto no parágrafo acima. Resumindo, a licença maternidade de 6 meses irá diminuir tanto o salário como as oportunidades de emprego das mulheres.

Da próxima vez que você ver uma pesquisa dizendo que as mulheres ganham um salário inferior ao dos homens, NÃO culpe a discriminação ou o machismo do mercado, CULPE o governo.

4 comentários:

Alberto Cavalcanti disse...

Ontem mesmo discuti isso em sala com o Professor de Adm de Pessoas. Segundo Ele, as mulheres estavam dominando o mundo corporativo. Daí eu disse que nós homens não precisamos mais nos preocupar com isso, já que graças a esta lei, todas elas vão de volta pro fogão. As mulheres da sala (que eram maioria) acharam ruin meu comentário. Mas depois de um bate-papo todas concordaram que essa lei é uma tremenda vantagem para os homens, e, que esse tipo de acordo deve ser feito individualmente caso-a-caso, para que nem a mãe e nem a empresa saiam prejudicados.

Kelma Cristina disse...

Concordo!Nós mulheres ja sofremos um tanto para conseguirmos nos afirmar em um mercado de trabalho competitivo e ainda machista.Com essa, certamente os processos seletivos (internos e externos) nos olharão com outros olhos.

Lamentável!

Kelma Cristina

Olhante disse...

Rápidamente comentando, o aumento de custos será ou seria considerável.
A depender da especialidade da trabalhadora, aumento de custos seguido de inevitável redução na produção.
Vale até para o serviço público.
O setor produtivo terá, fatalmente, de se adequar.

Carlos disse...

Caramba! Todos estão olhando para o horizonte de curto prazo e se esquecem de que a taxa de fertilidade tende a cair nos próximos anos. Em muitos países mais desenvolvidos (com licença maternidade superior) os governos estão incentivando os casais a terem mais filhos. POrtanto, achar que as empresas vão preterir as mulheres em favor dos homens é um pouco precipitado e, talvez, irresponsável.

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email