domingo, 19 de dezembro de 2010

Quem será o próximo presidente do IPEA?

O IPEA tem um corpo técnico de ponta. Não faltam doutores e nem faltam pesquisadores de destaque. Sendo assim, por que é tão difícil ao IPEA ter um presidente que seja técnico do próprio IPEA? Por que a maioria dos diretores do IPEA tem que ser de fora do IPEA?

Veja, eu não tenho nada de xenófabo. Se existem pessoas melhores de fora do IPEA, então que a elas sejam dados os cargos de presidência e direção. Mas elas devem ser NECESSARIAMENTE melhores que os técnicos do IPEA. É ridículo levar para dentro do IPEA, para assumir posições de destaque, pessoas sem a qualificação necessária.

O IPEA tem o potencial humano, estrutura física, e recursos financeiros para ser o melhor instituto de pesquisas econômicas do hemisfério sul do planeta.

12 comentários:

bps disse...

Adolfo,

O presidente parece ser invariavelmente alguém de fora com projeção política na base. Mas, parece ser raro que pelo menos alguns dos diretores sejam da casa. Estes são escolhidos entre aqueles (da academia, em geral) com amigos na base e que buscam projeção.

Eu não acho que isso seja bom para o IPEA ou para a República como um todo. Note-se que existem mais malucos na academia do que se possa imaginar. Estes são capazes de fazer escolhas muito subótimas. Sabemos também que existem pessoas sérias, claro. Ocorre que a estrutura de incentivos de uma pessoa da casa é completamente distinta da que vem de fora, e isso deve fazer uma diferença grande.

Sem dúvida, no cenário idel presidente e diretores seriam escolhidos entre técnicos de destaque da casa que, além de serem tecnicamente competentes, tenham espírito de liderança. Uma boa reputação é também desejável, claro. Aliás, reputação é uma coisa crucial para o IPEA, com a qual os técnicos em geral se preocupam, mas sobre a qual têm pouca influência. Assim eu penso.

Abs,

Bernardo

Anônimo disse...

No todo, deve ser relembrada a história de criação do IPEA, em 1964. Foi com João Paulo dos Reis Velloso, Ministro do Planejamento, durante o regime militar. Durante o regime pode manter sua autonomia em termos de contratação e/ou admissão de técnicos. E ao que consta, muitos nem um pouco favoráveis ao regime de então. Agora, a política parece ter dominado o Instituto. Criou-se até a Secretaria de Planejamento de Longo Prazo, com o Roberto Mangabeira Unger à frente, à qual o IPEA passou a ser subordinado. Agora, é preciso ver o organograma. Mas a influência política deve ser grande.
Dawran Numida

Anônimo disse...

.

Anônimo disse...

Algum nome para a presidência?

Anônimo disse...

Acredito que o IPEA fez um excelente trabalho para o país e que a sua criação foi necessária. A minha dúvida é: a sociedade brasileira ainda precisa do IPEA? Temos bons pesquisadores nas universidades e em várias carreiras do serviço público, ainda precisamos de uma estrutura grande e cara como a do IPEA?

Demetrio Carneiro disse...

Na realidade eu acho que o IPEA foi criado no intuito de centralizar o projeto desenvolvimentista, como havia sido antes dele o ISEB.
O festival do doutorado do Mercadante e até sua indicação para o MCT, mostram que a corrente nacional-desenvolvimentista ainda está muito longe de se achar esgotada e para ela certamente o IPEA tem o mesmo papel que tinha ISEB: A releitura comprometida e a centralização do debate ideológico do grupo.
Não sei o que é que vai mudar agora que Moreira "Meu nome é trabalho" Franco é quem dá as cartas, mas certamente, se o instituto continuar como catalizador do projeto nacional-desenvolvimentista, deverá ser alguém "de fora", pois esta é uma proposta essencialmente política e não acadêmica.
É pena mesmo, já que o instituto tem excelentes quadros, ainda.

carlo disse...

O IBGE, por exemplo, tem sua presidencia indicada pelo presidente da república. Mas todos os diretores são da propria instituição....

Anônimo disse...

Caro colega, o IPEA realmente tem ótimos técnicos, tanto na áre fim como na área meio, porém, mesmo com os seus 46 anos parece ter nascido ontem. Outro dia em um evento para programar a capacitação dos servidores, um dos colegas de carreira, um Diretor Adjunto, fez a mediocre observação de que os recursos deveriam ser utilizados somente para capacitar os técnicos de planejamento. Os novos técnicos que entraram para a atividade meio, pessoas extremamente capacitadas e capazes estão saindo do IPEA e indo para outros órgãos, muitas vezes para ganhar menos. Enquanto não mudarmos essa mentalidade débil e ajudarmos a fortalecer a área meio, não podemos dizer que o IPEA tem condições de se administrar. Precisamos de administradores e não de economistas administrando, estamos aqui é para pesquisar.

Anônimo disse...

Oremos por dia melhores!

A questão, com relação a presidência do IPEA, é testar a máxima do Tiririca!

Será que pior do que tá não fica?

Abrs

Anônimo disse...

No IPEA realmente existem Técnicos capacitados para Presidencia e para as Diretorias, mas devemos lembrar que existem muitos técnicos que não são comprometidos com o Ôrgão,o fato de o IPEA não ter uma carreira de encher os olhos está fazendo com que muitos técnicos migrem para outros Orgãos, concordo que alguns deles acham que são os maiorais e não querem saber da area meio, acham que podem tudo, assim não é uma boa indicar cargos de Direção para nenhum deles, isso subiria a cabeça e comprometeria o cerebro de muitos deles, pois sem Direção eles já se acham.Por outro lado existem os gastos excessivos com Técnicos de outros estados, o que poderia ser revisto, na gestão que se vai a mioria dos Diretores são de São Paulo (Campinas)reduto do Presidente da Instituição.

Anônimo disse...

É só uma questão de tempo...

A longo prazo todos estaremos mortos, porém, creio que a curtíssimo prazo todos os detentores de cargos comissionados no IPEA estarão fora.

Anônimo disse...

Hora de repensar este tema... já q o atual presidente confirma candidatura para Campinas...

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email