segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

O que pensam os deputados e o que pensa o Sachsida

Interessante a matéria do G1:

"Durante 60 dias (entre 29 de novembro e 27 de janeiro), o G1 procurou os 513 deputados da nova Câmara (...). Dos 513 deputados, a reportagem conseguiu contato (por telefone, pessoalmente, por intermédio das assessorias ou por e-mail) com 446, dos quais 414 (81%) responderam ao questionário e 32 se negaram a responder. Os demais 67, embora procurados durante semanas consecutivas, não deram resposta – positiva ou negativa – às solicitações".


1) É a favor da redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas sem redução de salários?

Deputados a favor: 229
Deputados contra: 116
Não sabe: 69
SACHSIDA: Terminantemente CONTRA esse absurdo. O Brasil é o país que quer crescer mais trabalhando menos.

2) É favorável ao fim do fator previdenciário, que pode reduzir benefício de quem se aposenta mais jovem?

Deputados a favor: 228
Deputados contra: 116
Não sabe: 70
SACHSIDA: CONTRA

3) É a favor da criação da Contribuição Social para a Saúde (CSS) para financiamento da saúde?

Deputados a favor: 142
Deputados contra: 239
Não sabe: 33
SACHSIDA: CONTRA

4) É favorável à redistribuição dos royalties do petróleo entre todos os estados?

Deputados a favor: 160
Deputados a favor com compensação aos Estados produtores: 208
Deputados contra: 28
Não sabe: 18
SACHSIDA: A FAVOR SEM COMPENSAÇÃO aos Estados produtores

5) É a favor da liberação de casas de bingos e caça-níqueis no país?

Deputados a favor: 119
Deputados contra: 255
Não sabe: 40
SACHSIDA: A FAVOR

6) É a favor do fim de cobrança de assinatura básica para telefone fixo?

Deputados a favor: 338
Deputados contra: 30
Não sabe: 46
SACHSIDA: A FAVOR

7) É a favor da definição de piso nacional de policiais civis, militares e bombeiros?

Deputados a favor: 330
Deputados contra: 53
Não sabe: 31
SACHSIDA: CONTRA

8) É favorável ao voto em lista fechada para as eleições proporcionais?

Deputados a favor: 175
Deputados contra: 181
Não sabe: 58
SACHSIDA: CONTRA

9) É favorável ao financiamento exclusivamente público para campanhas?

Deputados a favor: 249
Deputados a favor de financiamento publico E privado: 74
Deputados contra: 61
Não sabe: 30
SACHSIDA: CONTRA

10) É favorável a punição de pais e responsáveis que aplicarem castigos corporais em crianças?

Deputados a favor: 140
Deputados contra: 207
Não sabe: 67
SACHSIDA: CONTRA

11) É favorável à descriminalização do aborto?

Deputados a favor: 78
Deputados a favor dependendo da circunstância: 37
Deputados contra: 267
Não sabe: 32
SACHSIDA: Nao sei, mas tenderia a manter a legislação atual (lembre-se de que o princípio aqui também se aplica a pesquisas com células tronco).

12) É a favor de plebiscito para redefinição de maioridade penal?


Deputados a favor: 233
Deputados contra: 166
Não sabe: 15
SACHSIDA: A FAVOR

13) É a favor da descriminalização do uso da maconha?

Deputados a favor: 63
Deputados a favor em termos: 21
Deputados contra: 298
Não sabe: 32
SACHSIDA: CONTRA

32 comentários:

Anônimo disse...

Gostei das perguntas, ninguém me perguntou mas lá vou eu...

1) Contra. Isto é problema da firma e do empregado, não do Congresso.

2) Contra. O ideal seria uma idade mínima de aposentadoria, na ausência desta pelo menos que fique o fator previdenciário.

3) Contra.

4) Sou contra aprópria existência destes royalties. Mas faço a ressalva que o estado deveria ter deireito de cobrar o imposto que achasse necessário sobre a exploração de petróleo. Esta história de que petróleo paga ICMS no destino e não na origem (como os demais produtos)é muito estranha.

5) A favor.

6) Contra. Isto é problema de mercado não do Congresso.

7) Contra. Sou contra qualquer piso nacional.

8) Não tenho opinião formada.

9) Contra.

10) Contra.

11) A favor.

12) A favor.

13) A favor.

Abraço,

Roberto

Anônimo disse...

Pq ser favorável a liberação de bingos e caça níqueis no Brasil?

Anônimo disse...

Por que você é contra a liberação da maconha (e consequentemente outras drogas)? Gostaria de ver um texto seu onde você explica sua opinião, para que eu posso tentar discutir.

Chutando a Lata disse...

E o que pensa o seu Deputado? O seu Senador? Se ninguem dos nossos foram eleitos, aí estamos em dificuldades. Este é exatamente o meu caso. Bom , pelo menos sei que posso procurar um em quem me apoiar. Ótima pesquisa.

Anônimo disse...

"11) É favorável à descriminalização do aborto?

Deputados a favor: 78
Deputados a favor dependendo da circunstância: 37
Deputados contra: 267
Não sabe: 32
SACHSIDA: Nao sei, mas tenderia a manter a legislação atual (lembre-se de que o princípio aqui também se aplica a pesquisas com células tronco)."


Professor,

Qual o entendimento que vc tem da frase: Liberdade Individual?

Anônimo disse...

No caso dos royalties: repasses a todos os Estados com compensação aos produtores. Mas, manteria ao regime de concessão.
Fim da cobrança de assinatura para telefonia fixa: a favor.
Aborto: manteria a Lei atual.
Maioridade penal: contra o plebiscito, pois, deveria ser discutido à exaustão no Congresso.
Nos demais itens: contra.
Dawran Numida

Chesterton disse...

Contra os royalties SE os impostos ficassem nos estados produtores. De outro modo é tunga coletivista.

Leo disse...

"Qual o entendimento que vc tem da frase: Liberdade Individual?"

Anônimo,

Não sei qual sua intenção com essa pergunta quase estúpida por ser tão mal formulada. Mas acho que sei em que ponto você quer chegar e vou lançar uma reflexão que espero abra sua mente para discussões com maior conteúdo.

A mulher é dona do próprio corpo, e pode fazer o que quiser com ele, certo?

Certo. Mas desde que não afete o direito de outros.

A vida, por exemplo, é um direito fundamental.

Portanto, a questão do aborto pode envolver o direito de outro indivíduo, completamente indefeso. Aqui entram questões de definir quando começa a vida e a partir de quando o indivíduo passa a existir e ter direitos.

O código civil, por exemplo, considera como pessoa o nascituro, com todos os direitos, inclusive o direito à vida.

Dessa forma, o aborto não seria somente o exercício de uma "liberdade", como também a privação de um direito básico (vida) a outro indivíduo.

Deve-se levar em conta, também, que, tirando os casos de sexo forçado, a gravidez foi decorrente de escolhas livres feitas pela mulher, e não algo imposto. Ela teve a liberdade de escolher, isso gerou outra vida, e não é trivial definir em que ponto se iniciam os direitos do outro sujeito.

Agora, esse é o lado ético da coisa. Falei isso porque tem gente que defende o aborto como um caso clásssico de liberdade individual, e isso é absurdo. Usar drogas é liberdade individual, matar não.

Entretanto, existem argumentos práticos, sem levar em conta a ética. Por exemplo, evitar filhos indesejados pode levar a uma sociedade com menos conflitos.

Abs

Leo

Anônimo disse...

A cara do Congresso

Frase atribuída ao Deputado Tiririca, após tomar posse, ao agradecer pelos votos que o elegeram:

“Muito obrigado! Um grande abraço por trás!”

Anônimo disse...

Nenhum post sobre os passaportes diplomáticos?

Aquilo foi o absurdo dos absurdos?

Anônimo disse...

"Anônimo,

Não sei qual sua intenção com essa pergunta quase estúpida por ser tão mal formulada. Mas acho que sei em que ponto você quer chegar e vou lançar uma reflexão que espero abra sua mente para discussões com maior conteúdo..."

Pelo contrario Leo,


A pergunta foi bem formulada e a resposta foi muito bem fundamentada. Concordo com vc!

Muito Obrigado!

leo disse...

Adolfo,

Por que é contra a descriminalização da maconha?

leo disse...

Roberto, o item 6 diz respeito a um mercado bem regulado e restrito, então não há tanta concorrência assim. Acredito que essa decisão também não caiba ao congresso, mas à Anatel.

Leo disse...

Ok, então me desculpe, anônimo. Às vezes a escrita nos passa uma intenção que o emissor da mensagem não queria ter.

Abs

Leo

Anônimo disse...

Em resposta ao LEO:
Provavelmente ele deve ser contra, pq esse bando de maconheiros que fumam uma maconha "recreativa" tambem ajudam a financiar o narcotráfico e toda a violência associada.

Anônimo disse...

Alguém pode me explicar qual é o estado "produtor" de petróleo?
O petróleo se extrai, e é a Petrobras (o Brasil) que o faz, de onde? "do mar (que é "DOS BRASILEIROS) portanto os "royalties" devem ser distribuidos entre todos os estados. Dizem que a Petrobras é a 2da. empresa de petróleo no mundo, e então os royalties ganhos lá afora quando chegam às mãos dos brasileiros?
Já que o petróleo é nosso (100%?)
porque pagamos o combustivel mais caro do planeta?

Anônimo disse...

Anônimo-3 de fevereiro de 2011 18:30. Acostumou-se chamar de produtores de petróleo os estados que detém tais recursos. Como os países produtores de petróleo. Pode ser que o correto fosse exploradores, extratores. De todo modo, o estrago que a atividade traz é real e necessita de compenasações.
Dawran Numida

Chesterton disse...

o mesmo direito que garante os royalties do petróleo aos estados produtores garante que países estrangeiros não explorem petróleo na nossa zona econômica exclusiva.

Anônimo disse...

Caros,

Seguem algumas opiniões:

a) Descriminalizar a maconha: Sou CONTRA. Basta pensar em equilíbrio geral. Ocorrerá uma diminuição do tráfico? Se sim os traficantes irão migrar para outras atividades criminosas, como sequestro, roubo, etc.. o que implica que a violência urbana pode aumentar em vez de diminuir. Além disso o uso de maconha pode ser uma baita externalidade negativa..

b) Voto em lista Fechada: Sou CONTRA. O benefício seria o fim de candidatos esdrúxulos que são usados para aumentar os votos do partido (ex:Tiririca). Porém evidências para outros países mostram que haveria um desequilíbrio maior entre legislativo e executivo (ver livro de Mariano Tommasi sobre o caso da Argentina).

c) Distribuição de Royalties do petróleo: CONTRA. O mar é um patrimônio nacional. A divisão das fronteiras do oceano entre municípios foi feita de forma endógena por influência política. Não é a toa que Campos, do Garotinho recebeu uma parcela enorme da costa... Assim, a distribuição dos royalties seria um caso a mais de distorção do uso do setor público por interesses políticos.

d) Redução da Jornada de trabalho: CONTRA. O efeito mais óbvio seria a queda do salário por mês de equilíbrio. No longo-prazo isso pode significar queda do retorno do cap humano, desestimulando o tempo devotado à educação e o crescimento de equilíbrio, se Lucas (1988) estiver correto. Mas deixo uma pergunta no ar, que o Robertão poderia responder: a mudança no treshold do trabalho no modelo de trabalho indivisível de Hansen traria alguma mudança para o efeito de choques pra o curto-prazo, aumentando ou diminuindo a volatilidade do produto? Pelo que me lembro não...

e) Fim da cobrança de assinatura de telefone fixo: CONTRA. O fim da cobrança iria naturalmente aumentar o preço de quem usa mais, onde estou incluído... por isso sou contra.. Desculpem a sinceridade,..

Vladimir

Leo disse...

"pq esse bando de maconheiros que fumam uma maconha "recreativa" tambem ajudam a financiar o narcotráfico e toda a violência associada".

E você que compra produto Chinês ajuda a financiar o trabalho infantil.

Pelo amor de Deus, cara. Esse argumento é o mais fajuto de todos. Se proibissem a comercialização de sorvete, ele também sustentaria o crime organizado. Daí você seria contra a legalização do comércio de sorvete?

Abs

Anônimo disse...

Sou a favos da legalização das drogas.

Leo disse...

Vladimir,

Vamos proibir então o futebol para o tráfico migrar para os jogos clandestinos. Vai empregar um monte de gente e diminuir assalto, sequestro... que acha?

Abs

Leo

Leo disse...

"e) Fim da cobrança de assinatura de telefone fixo: CONTRA. O fim da cobrança iria naturalmente aumentar o preço de quem usa mais, onde estou incluído... por isso sou contra.. Desculpem a sinceridade,.. "

Não tem nada de naturalmente, deve ser feita uma análise da demanda por ligação de telefone fixo. Acho muito mais provável aumentar a tarifa de quem liga pouco. Atualmente é provável elas estarem absorvendo parte do excedente do consumidor.

Chesterton disse...

Leo, esse sorvete é de maconha?(rs)

Anônimo disse...

Leo,

Para qualificar melhor os argumentos, uma pergunta básica é necessária: você tornaria lícita uma droga como o crack?

Anônimo disse...

Pelo nivel da resposta desse Leo, acho que ele já queimou neurônios demais...

Luciano disse...

Léo, o que você me diz sobre o impacto do uso de drogas no sistema público de saúde...

Leo disse...

"Leo, esse sorvete é de maconha?(rs)"

"Pelo nivel da resposta desse Leo, acho que ele já queimou neurônios demais..."

hahaha tenho de admitir que as piadinhas foram boas! Gosto de sarcasmo.

Luciano,


Veja o tipo de argumento que você está dando e o perigo desse raciocínio.

Quantas doenças são causadas por obesidade? Por má alimentação e por ócio? Isso para ficar em coisas simples...

Vamos, por causa disso, proibir as pessoas de se alimentarem mal e obrigá-las a se exercitarem?

Se você nem cogita usar esse argumento (o impacto do ócio no sistema público de saúde) por que se preocupa no caso das drogas?

Acho que isso deve deixar claro porque o argumento é falacioso.


Mas fazendo uma digressão,

A saúde pública da forma como é hoje no Brasil é estúpida. Legalmente, é um buraco sem fundo e todos têm o direito a tudo. Mas na prática é a privação de um direito básico a quem necessita.

Enfim... esse não é o ponto.

Abs

Anônimo disse...

Léo,

Na verdade, com a cobrança mínima, quem passava poucas horas no telefone acabava pagando proporcionalmente mais, subsidiando as pessoas que gastavam mais tempo em ligações. Com a proibição desta prática, não se poderá mais discriminar preços entre clientes (de acordo com o tempo que passam utilizando o telefone) e precisa distribuir mais equitativamente seus custos entre os consumidores. Como consequência, o preço por hora deve subir, penalizando quem gasta mais horas em ligações.

abs,

Vladimir

Karyme disse...

Olá. venho acompanhando o blog há um tempo e tenho gostado muito! Também já havia lido alguns trabalhos sobre criminalidade assinados por vc e eles me foram muito enriquecedores além de serem muito bons!

Achei essa entrevista bem útil, uma pena que a maioria dos eleitores não faça a mínima idéia nem da pesquisa, nem das convicções de cada um dos representantes nos quais vota..

Engraçado que passo pelo mesmo dilema que vc e outras pessoas em relação ao aborto (ainda não formulei uma opinião concreta), e tb tenho sérias ressalvas a descriminalização do uso da maconha. São questões bem mais difíceis do que muitos julgam num primeiro olhar.

Parabéns pelo post!

Leo disse...

Vladimir,

O fim é da assinatura básica. As cias continuarão discriminando preços para quem fala mais, com os pacotes promocionais. Se os precos fossem livres, uma vez que não estamos alterando custos marginais a tarifa que maximiza lucro não mudaria. Mas o mercado é regulado, então tem de ver como vai ser a posição da anatel em relação a isso.

Abs

Luciano Nakabashi disse...

Léo (Monastério?), não vi nenhum estudo específico, mas acho que o gasto do sistema de saúde por causa das drogas é muito maior do que por obesidade ou falta de exercício. Tenho essa impressão por algumas coisas que li devido ao problema do crack, como falta de leitos em hospitais para atender aos usuários dessa droga. Além disso, as drogas levam muita gente para o hospital (e para o necrotério) pela violência (pelos traficantes e usuários), ou seja, existem externalidades negativas no uso das mesmas que sobrecarregam ainda mais o sistema de saúde. Se bem que nesse ponto você tem razão, pois a descriminalização poderia reduzir esses problemas, pelo menos em relação aos traficantes. Só que a questão da droga é muito mais complexa pelas relações envolvidas. Primeiramente se tem o traficante, de um lado, e o consumidor, de outro. Isso também se resolve com a descriminalização. Em segundo, o jovem está muito mais suscetível a esse problema que causa dependência destruindo famílias inteiras de uma forma muito mais severa, em geral, que obesidade e falta de exercício.
Acho que esse tema é muito relevante e precisa de muito debate para termos uma idéia melhor do problema. Abraços, Luciano

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email