quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Selva Brasilis no caminho certo

O Selva Brasilis é um dos melhores blogs da internet e novamente vai na direção correta: desce o sarrafo em Ben Bernanke.

Tal como eu já havia alertado aqui, Ben Bernanke (presidente do Banco Central americano) teria reprovado caso você aluno de Ben Bernanke (professor de economia). Fim da picada esse tal de QE (quantitative easing) que NADA MAIS É DO QUE IMPRIMIR MOEDA pura e simplesmente.

Se imprimir moeda for a solução então não temos problema nenhum. Basta o governo se endividar todo e pagar suas dividas imprimindo dinheiro. Fim da picada esse QE2. Isso mesmo, não satisfeito com o QE ter dado errado Bernanke e os gênios que o assessoram lançaram também o QE2.

Quando será que o monopólio da emissão de moeda será tirado das mãos irresponsáveis do governo? Já que a qualidade da moeda estatal é tão boa, então por que não permitir que empresas privadas possam competir nesse mercado?

5 comentários:

Nilo disse...

Vc viu a cidade no interior de São paulo que tem sua própria moeda?? Parece que muita gente estava se beneficiando com ela, ja que o comércio local está dando descontos para que a usa, e até o banco local esta emprestando a moeda em questão. E com isso mais gente estava sendo atraída e a noidade está se tornando forte. Parece que está funcionando pelo que lí, porém também li que es´~ao tentando impedir o uso da mesma alegando que o Real deve ser a única moeda brasileira.

Ângelo disse...

Adolfo, não discordo da crítica do Bernanke; acho que pior do que o QE, foi ter deixado o Lehman ir para os quibas; poderiam tê-lo sustentado e depois tê-lo vendido a outra instituição. O custo seria menor. Em torno de 400 bancos americanos faliram e os grandes de investimento foram absorvidos pelos 4 'too big to fail' daquele país.
Acrescento também crítica ao semi-endeusado Alan Greenspan por ter sido negligente na condução econômica daquele país, e ao truculento Bush, pois a crise foi gerada em seu governo.

Anônimo disse...

Caro,

Claro que concordo com a críticas ao QE, ao QE2 ao QE3 e a todos os QEs que virão por aí. Dito isto, tem um ponto que me incomoda, trata-se da reação de alguns países á desvalorização do dólar, ou, nas palavras de nosso Ministro da Fazenda:
“Não mediremos esforços para impedir que o dólar derreta, seja direta ou indiretamente” (peguei esta no Mão Visível)
O que acontece quando um país emite moeda e outro país não permite que o câmibio se ajuste? Se bem me lembro quem primeiro me chamou atenção para este problema foi o Marco Martins. O país emissor de moeda passa a ter condições de comprar todos os ativos do país que impediu o ajuste do câmbio.
Nesta perspectiva o QE é uma forma de transferir renda do resto do mundo para os EUA por uma espécie de imposto inflacionário. A maneira de impedir esta transferência seria permitir a desvalorização do dólar, mas as auotridades impedem este ajuste.
No final acontece o seguinte. O FED emite dólares, parte significativa destes dólares vai para o exterior. Os dólares que vão para o exterior tem o poder de compra de antes da emissão (pois o ajuste do câmbio foi impedido), estes dólares compram ativos que passam a gerar renda (com juros altos, no caso brasileiro) que pose ser enviada para os EUA ou usada para comprar mais ativos. Note que esta renda é real, originada de ativos não de moeda.
Não sei mensurar o efeito disto, muito menos posso afirmar que é isto que o FED está pensando. Mas se os doláres do QE forem para o exterior e os países que o receberem não permitirem o ajuste do câmbio, existe a possibilidade de aumento da renda real nos EUA.

Abraço,

Roberto

Anônimo disse...

Cristalina a explicação do Roberto.

clap! clap! clap!

Anônimo disse...

Soh num entendo uma coisa
o que uma empresa ganharia fabricando moedas, em termos de lucro?

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email