terça-feira, 1 de março de 2011

Será um longo ano

Quando seu time tem Pelé e Garrincha você sabe que pode vencer a qualquer momento. Quando seu time tem Mantega e Belchior você sabe que é questão de tempo até alguém entregar o ouro. Vejam, por exemplo, o vexame associado ao ajuste fiscal anunciado pelo governo. É simplesmente inaceitável tanta confusão envolvendo os dois principais ministros da área econômica.

Logo depois de anunciar os cortes que integrariam o ajuste fiscal, o governo foi vergonhosamente desmentido. Alguns especialistas, esse blog entre eles, deixaram claro que o ajuste anunciado pelo governo não era factível. Não satisfeito, o governo tentou novamente convencer a todos detalhando os cortes do orçamento. Dessa vez é difícil dizer se a equipe econômica foi confusa ou maldosa. Três detalhes devem ser levados em conta para se analisar o corte de R$ 50 bilhões proposto pelo governo.

Em primeiro lugar, o governo simplesmente mentiu ao dizer que gastos sociais e investimentos do PAC não seriam atingidos pelo corte. Será que a equipe econômica realmente acreditou que ninguém iria notar o truque de falar uma coisa e fazer outra? Exatamente o que se passa na cabeça de ministros de Estado que se contradizem recursivamente no mesmo assunto?

Em segundo lugar, o governo não detalhou os cortes de maneira a deixar claro o que efetivamente será cortado.

Em terceiro lugar, o corte é simplesmente de mentira. Quando se anunciou o ajuste fiscal, a maneira efetiva de fazer isso é reduzindo os gastos do governo em 2011 em relação a 2010. Ou seja, espera-se que o governo gaste menos esse ano do que gastou no ano passado. Mas não, o governo quer basear o ajuste fiscal não no volume de recursos efetivamente gastos em 2010, mas sim no orçamento aprovado para 2011. Só pra dar uma idéia desse absurdo, notem que o governo gastou em 2010 R$ 657 bilhões (sem entrar a capitalização da Petrobras). Dessa maneira, um ajuste fiscal sério nos levaria a crer que em 2011 o governo iria gastar menos do que isso. Contudo, mesmo após o corte de R$ 50 bilhões, se o governo gastar o restante do orçamento ele terá gasto em 2011 R$ 717 bilhões. Ou seja, deve ser o primeiro caso no mundo de um ajuste fiscal que aumenta os gastos do governo.

Para finalizar, vou repetir o que já disse antes, o ajuste fiscal no Brasil será feito por dois canais: volta da CPMF e aumento da inflação (para algo entre 7% e 8% ao ano).

11 comentários:

Anônimo disse...

Adolfo,
O problema do governo é achar que todos são ignorantes como aqueles que foram escolhidos para ocupar os ministerios. Desta forma seremos sempre subdesenvolvidos. Obs: Sugiro um post sobre qual seria a melhor decisão do ponto de vista economico sobre a atual crise no futebol brasileiro ( Clube dos 13 X CBF X Rede globo). Um abraço. Diogo Ilario

samuel disse...

Artigo inspirado. Me convenceu.

Anônimo disse...

Comentando o Diogo, acho que a Globo está certa de fazer oque está fazendo. Ela não é obrigada a participar de concorrência nenhuma, assim como os times não são obrigados a aceitar a negociação individual.
Os times tem direito de querer ter suas partidas transmitidas pela emissora de maior audiência, e não por uma tv inesperiente como a Record, que na minha opinião deveria ser investigada, já que tem um orçamento de 1,3 bilhão e quer pagar 1 bilhão para transmitir os jogos. Será que ela quer transmitir o campeonato somente por caridade ao público sem obter lucro?
Esse clube dos 13 já deveria ter acabado assim como a CBF ter mudado de comando.
A Rede Record que se esploda, Rede Globo arrebenta!
Leiam mais em www.RD1.com.br

Nilo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Ou seja, deve ser o primeiro caso no mundo de um ajuste fiscal que aumenta os gastos do governo. Nem Pedro Malasartes, com todas as suas tramóias, almejaria dar um pula baú desses. Sensacional.
Dawran Numida

Anônimo disse...

E até agora você nao fez uma proposta de como fazer um ajuste fiscal sério.
A crítica pela crítica a gente espera de jornalistas. De um economista sério, que trabalha num instituto de pesquisa econômica, a gente espera críticas construtivas, propostas e etc...
Tem certeza que você nao é jornalista?

Anônimo disse...

Tambem poderia ter um post sobre a qualidade do ensino fundamental no Brasil.

Pq a gente vê economista escrevendo em blog coisas do tipo: "A Rede Record que se esploda, Rede Globo arrebenta!"

Sentilavras disse...

Também acho que vc escreve bem, mas como não entendo nada de futebol (muito menos de economia), não posso comentar o assunto. Rss...

Anônimo disse...

Anônimo,

Como se faz um ajuste fiscal sério? Ora, bolas! É só seguir a receita contrária à desse (des)governo. Em primeiro lugar, cortando despesas; em segundo lugar, cortando despesas; em terceiro lugar, cortando despesas. O (des)governo do PT, no máximo, vai realocar despesas, facilitando a vida do grupo ADA (amigos dos amigos) e ferrando a vida da classe média. Exemplo? Ontem, no Senado, aprovou-se proposta para concurso público (a arrepio da política anunciada) para prover cargos para quem tenha colaborado com ONGS. É mole ou quer mais? Proposta para um ajuste fical sério? É só trocar o sinal do ajuste fiscal do governo. Como tudo que se faz ali. Tá bom assim ou quer um desenho?

PS: Ontem, o Batráquio Barbudo dos Nove Dedos, em palestra patrocinado pela LG, vomitou bobagens à tripa-forra. Não entendo por que empresários bem sucedidos pagam para ouvir um FEBRAPÁ já conhecido. Talvez, estejam pagando a conta da festa, quem sabe?

Nilo disse...

A Dilma vai até dar o calote nos contratos que o Lula deixou, R$ 33 Bi, ta lá na Exame.

Nilo disse...

Até o trem bala do Lula foi cortado hehehe.

Obs: Tirei meu comentário sobre o futebol para coloca-lo no post apropriado.

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email