quarta-feira, 31 de agosto de 2011

O Brasil e a Crise

Abaixo segue meu artigo publicado no Ordem Livre.

Estados Unidos e Europa parecem estar sofrendo os efeitos de uma crise que insiste em não chegar ao Brasil. Ledo engano. Os economistas do governo alardeiam por todos os cantos que o Brasil está pronto para enfrentar a crise. Estão errados. O objetivo deste artigo é explorar o porque da crise ainda não ter chegado ao Brasil, e a razão pela qual a mesma deixará estragos consideráveis em nossa sociedade.

A crise atual nas economias desenvolvidas resulta de um grave desequilíbrio fiscal: vários países usaram de artifícios contábeis para maquiar problemas graves de déficits públicos. Além disso, vários desses países aumentaram exponencialmente o gasto público com a justificativa de combater a crise financeira de 2007-09. O resultado dessas ações pode ser visto na crise atual. A solução para essa crise não é aumentar os gastos do governo, mas sim reduzí-los.

A primeira pergunta que nos propomos a responder é: por que a crise ainda não chegou ao Brasil? Não chegou ainda, pois aqui a situação fiscal de curto prazo não é das piores. Bem ou mal, o governo brasileiro tem conseguido manter o endividamente público dentro de cifras razoáveis. Contudo, aos poucos o governo brasileiro vem se distanciando desse comportamento prudente (herdado ainda da época de FHC) para se aventurar em situações, no mínimo, inusitadas. Os constantes aportes do Tesouro para o BNDES financiar empresas é apenas um dos inúmeros erros de política fiscal que estão sendo cometidos. Erros que com o tempo irão cobrar seu preço. Ou seja, ao analisarmos as perspectivas de finanças públicas no longo prazo, fica evidente o desastre que está por vir para a nossa sociedade.

A segunda pergunta: estamos preparados para crise? A resposta é não. Olímpiadas, Copa do Mundo, Previdência, Usina de Belo Monte, Trem Bala, relação Tesouro-BNDES, entre outros temas, são políticas erradas que pressionam demais o erário público, e que irão comprometer a situação fiscal brasileira no longo prazo.

A crise vai chegar ao Brasil, e irá chegar pelo mesmo canal que hoje afeta os países desenvolvidos: deterioração das contas públicas.



5 comentários:

Cristiano disse...

E acrescento professor que o mesmo mal que afligiu as contas publicas dos paises europeus, a chamada "contabilidade criativa" ja esta bem presente nas contas publicas do governo federal brasileiro.Inclusive, recentemente li um artigo do economista VON HAGEN, na qual ja em 2006, ele alertava que alguns paises europeus estavam utilizando a "contabilidade criativa" para esconder deficits publicos elevados.
Infelizmente, essa historia se repete aqui no Brasil com a falta de transparencia do relacionamento Tesouro Nacional-BNDES!!!

Anônimo disse...

Quer tentar olhar um pouco o futuro, olha a segunda pior bolsa de valores do mundo, a nossa, só ganhando da Grécia. Como sabemos que a bolsa reflete as expectativas futuras, já da tentar imaginar um pouco do que vem por aí.

Anônimo disse...

Eita! O Tombini tremeu.

Anônimo disse...

Prudência, educação e planejamento não dão voto, poxa!!! O que dá voto é bolsa-família, futebol, samba, passar de ano com facilidade, um big de um trem-bala, que não se paga, mas que nós, tolos, pagamos!!! Brasil, país de ignorantes e tolos!!! Viva o PT !!!!

Anônimo disse...

ccccccccccccccc

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email