quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Estacionamento de graça em Shoppings! Texto escrito por Sergio Aquino de Souza

Abaixo segue o texto do Professor Sergio Aquino de Souza.

Não irá demorar a chegar a outras cidades brasileiras as leis municipais, já em vigor em Salvador e Recife, que proíbem shoppings de cobrar estacionamento. À primeira vista, o consumidor parece se beneficiar às expensas dos lojistas e proprietários dos shoppings. Será? Exemplos são fartos de leis com conseqüências indesejadas que acabam por prejudicar os pretensos beneficiados. Este caso não é muito diferente. Preços existem para regular demanda e oferta. Com preço tabelado (zero), há excesso de demanda, especialmente por parte de consumidores oportunistas que estacionam no shopping para freqüentar outro lugar, ocupando vaga daquele cliente que deseja freqüentar o centro de compras. Portanto, nos horários ou datas de pico, não será surpresa o consumidor, que ficou feliz com a aprovação da lei em seu município, não conseguir encontrar vaga disponível. É possível fazer um esforço para chegar mais cedo e pegar seu lugarzinho, mas nesta situação haveria um custo: deixar de ir ao shopping em seu horário/dia preferido. A avaliação deste custo com o benefício de não pagar pelo estacionamento não deve ser homogênea entre os indivíduos. Alguns, se não muitos, certamente preferirão pagar 4 ou 8 reais para fazer suas compras com relativa tranqüilidade em seu horário/ dia preferido. Portanto, mesmo na ausência de outros efeitos a serem discutidos adiante, não é claro o benefício para todos os consumidores.
Existe também uma análise dinâmica. No médio prazo, os shoppings repassarão (em parte) este prejuízo ao lojista, através de aluguel e condomínios mais caros, que por sua vez aumentará os preços de seus produtos. O repasse pode não ser total, como discutido neste blog anteriormente, mas algo irá sobrar para o consumidor. Em suma, não apenas empresários perdem com a lei, consumidores menos dispostos a enfrentar fila, chegar mais cedo ou escolher outro dia para suas compras também perdem bem-estar. Por outro lado, alguns consumidores ganham conforme discutido anteriormente, mas o grande vencedor é aquele freqüentador oportunista que vai poder estacionar de graça em zona nobre da cidade para trabalhar ou usufruir de serviços em prédios vizinhos aos shoppings. Existe a possibilidade de evitar o comportamento oportunista ao exigir compra para não pagar estacionamento, mas a lei, pelo menos a válida em Recife, nem mesmo isto permite. Como não gosto de deixar indecisão em análises deste Blog, sou contra esta lei, assim como tantas outras de caráter populista que agridem o princípio da livre iniciativa e prejudicam parte significativa dos consumidores.

4 comentários:

Anônimo disse...

Faço um adendo:

Com o aumento dos preços induzidos pela Lei (o mecanismo foi explicado pelo Sérgio) todos os consumidores, inclusive os que não possuem carros, vão pagar pelo custo de manter o estacionamento.

No final do dia os consumidores que não possuem carros, em geral mais pobres, vão pagar para que os que possuem possam estacionar de graça. Se for possível estabelecer o vínculo entre o valor dado a estacionar no Shopping e o valor do carro (vínculo provável se for considerado o risco de ter o carro roubado) a Lei simplesmente transfere renda dos mais pobres para os mais ricos.

Abraço,

Roberto

nilo disse...

Como especialista em transportes urbanos, tenho que concordar inteiramente com o post. Pelo lado da engenharia, facilitar o acesso de carros a um polo atrator de viagens, neste caso pelo custo zero, é um erro. Já passou da hora da população saber que andar de carro não é para todos que querem, não por discriminação, mas por simples incapacidade das vias urbanas.

Anônimo disse...

Estacionamento em área privada não pode, já em área pública... Ou seja, aquele que compra o terreno, constrói o estacionamento e paga seu iptu etc não pode cobrar, já quem loteia áreas publicas e extorque motoristas pode agir sem limites.
Na selva é assim, nem todo aquele que paga por um bem é seu dono e muitos que nada pagam têm o direito econômico de fato.

Abs

José Carneiro

Rafael Vilela disse...

Tenho que confessar que fico impressionado até pelo fato de estarmos discutindo um assunto como esse, primeiro pelo simples fato de que a área do estacionamento do shopping e privada, então o dono deveria poder cobrar o valor que quiser, quem acha caro tem o direito de não ir, daí o preço se dará pelas regras de mercado.
Segundo que há todo um aparato de segurança nos estacionamentos de shoppings como vigias fazendo ronda e câmeras de segurança, que não saem de graça.

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email