sexta-feira, 13 de julho de 2012

Entrevista com Rogério Boueri Miranda: a década de 1970 está de volta?

Num esforço desse blog para tornar claro os perigos inerentes da política econômica adotada atualmente em nosso país, estou entrevistando uma série de especialistas em economia brasileira. Todos respondem ao mesmo conjunto de três perguntas.

Neste post, entrevistamos nosso quinto convidado: Rogério Boueri Miranda. Pesquisador sério e com amplo conhecimento sobre a economia brasileira. O Sachsida agradece a gentileza da entrevista.

1) O Brasil está revivendo o final da década de 1970? Será que em breve estaremos revivendo a década de 1980 (apelidada de década perdida)? Por que?

Resposta) Acredito que existe uma semelhança entre a década de 70 e os dias atuais, mas devo qualificar essa afirmação. Tanto naquele período quanto agora, o influxo de capitais serviu para inflar temporariamente o consumo. No caso da década de 70 tal influxo manifestou-se por meio do endividamento externo brasileiro, hoje em dia, tal fluxo se dá pela entrada de capitais privados. O problema é que essa entrada líquida de capitais foi acolhida pelos brasileiros como uma oportunidade de ampliação do consumo. Assim, temos vendido ativos domésticos e consumido a receita, ou comprado imóveis.

Mais perigosa será a comparação com a década de 80, quando o crédito internacional sumiu e não tivemos (e nem teríamos) como sustentar o modelo baseado no consumo interno. Infelizmente, Reinhart e Rogoff (2010) em seu brilhante “This time is different” mostram que a uma forte correlação entre períodos anteriores de grande influxo de capitais e crises posteriores.


2) Qual o maior risco do cenário externo para a economia brasileira?

Resposta) Nessas condições, isto é, atribuindo boa parcela do nosso desempenho recente à conta de capitais, vejo como o maior risco para a economia brasileira a possibilidade de aumento em médio prazo da taxa de juros americana. Se houver pressões inflacionárias naquele país, o FED poderá, em médio prazo elevar as taxas de juros, o que possivelmente reverteria o fluxo de capitais e exporia flagrantemente a falta de competitividade do nosso arranjo econômico. Nesse ponto, considero que os riscos sejam bastante semelhantes àqueles da década perdida.


3) O governo parece estar usando política tributária para controlar a inflação. Você acredita que isso seja verdade? Se for verdade, concorda com isso? Por que?

Resposta) Acho que o governo usa todos os expedientes possíveis para controlar a inflação, com exceção, é claro, da contenção da demanda. A lógica parece ser a seguinte: a economia está se estagnando, portanto, não haverá necessidade de contenção da demanda, mas pode haver alguns sobressaltos no meio do caminho e para lidar com eles vale tudo, inclusive política tributária, mesmo que distorciva.



Um comentário:

Anônimo disse...

O melhor economista vivo do Brasil chama-se Oliveira Alves P. Filho, vulgo Wally Tampinha. Vamos parar de panela.

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email