sexta-feira, 27 de julho de 2012

Entrevista com Ubiratan Jorge Iorio: a década de 1970 está de volta?

Neste post, entrevistamos nosso décimo-quinto convidado: Ubiratan Jorge Iorio. O Professor Iorio é autor de vários livros. Além disso, é um dos mais destacados pesquisadores brasileiros da escola austríaca. O Sachsida só tem a agradecer pela gentileza da entrevista.

1) O Brasil está revivendo o final da década de 1970? Será que em breve estaremos revivendo a década de 1980 (apelidada de década perdida)? Por quê?

Resposta) A meu ver estamos em uma situação pior do que nos anos 70, porque estamos reincidindo em muitos dos erros cometidos naquele período. Se o governo continuar tratando nossos problemas estruturais - dos quais o pior, sem dúvida, é o inchaço do estado - com medidas tópicas, tais como isenções temporárias de impostos e estímulos ao consumo, corremos o risco de reviver os tristes anos 80. O governo petista tem um cacoete fatal, que é a crença de que o estado (que faço questão de grafar com e minúsculo) deve ser o "motor do crescimento". Temos quase 40 ministérios, uma carga tributária que é disparada a maior dentre os países emergentes (e entre os não emergente também), uma legislação trabalhista anacrônica, uma burocracia que beira as fronteiras da imbecilidade e gastos públicos sempre com tendência crescente. Se a isso tudo adicionarmos um banco central "desenvolvimentista" (entre aspas) temos aí a receita infalível para a estagflação!


2) Qual o maior risco do cenário externo para a economia brasileira?

Resposta) Sem dúvida, a China, que dificilmente conseguirá fazer sua economia crescer às taxas observadas nos últimos anos, o que irá prejudicar nossas exportações. Além disso, obviamente, temos a crise na Europa e nos Estados Unidos.


3) O governo parece estar usando política tributária para controlar a inflação. Você acredita que isso seja verdade? Se for verdade, concorda com isso? Por quê?

Resposta) Este governo (e este banco central) estão sendo desastrosos para a nossa economia. Acabou com o ajuste fiscal, vem adotando uma política monetária que equivale a administrar açúcar para um paciente diabético e, no front externo, abandonou irresponsavelmente (porque o fez para agradar ao setor exportador) a flexibilidade cambial, o que significa que comprometeu definitivamente o sistema de metas de inflação que, se não é o ideal (defendo simplesmente a extinção do Bacen e a adoção de um sistema de moedas competindo entre si), pelo menos é o menos pior. Há indícios de que os "mantega boys" estão besuntando a economia de incoerências e uma delas é usar a política tributária para controlar a inflação. Isso é um grave equívoco, porque eles olham para os índices de preços, quando a inflação não é um simples aumento nesses índices. A inflação é o aumento na oferta de moeda sem lastro real (seja o ouro ou a produção real). Quando eles usam a política tributária para combater os aumentos de preços e concomitantemente executam uma política monetária frouxa, estão, simplesmente, cometendo suicídio, ou seja, estão plantando a semente da inflação e a do desemprego no futuro. Mas o que é o futuro para a equipe econômica desse governo, a não ser, talvez - e com muito boa vontade - o final do mês?


4 comentários:

Anônimo disse...

Por um mundo sem bancos centrais e moedas concorrendo entre sí !!!! Por que será que nenhum país do mundo, com todo o desenvolvimento da ciência econômica e com a própria tradição/experiência faz isso?

negoailso disse...

depois o sr. organiza um .pdf e divulga, né?

Leo Junio disse...

A política tributária, do banco central, para combater os aumentos de preços poderá gerar problemas graves em longo prazo, mas haveria algum outro método para controla a inflação que possa ser usado hoje? Como a reforma tributaria poderia ser feita sem afeta a economia?
Leo Junio s. Gouveia
Turma: Introdução a Economia / UCB

Dámaris Lana UC12001361 disse...

Bom, eu concordo com a opnião do Professor Ubiratan Jorge Lorio, e acredito que o Brasil esta sim revivendo o final da década de 1970. Pois o governo não dá a atenção necessária as necessidades do país. O Brasil é conhecido por seu otimo carnaval, as mulheres mais lindas, etc. Isso é bom , também, pois mostra um pouco da cultara brasileira, mas onde está preocupação com a saúde, com a educação, aliás a preocupação, não, onde está a mudança? O Brasil precisa de mudança, é um país que está cada vez mais em decadencia, pois esses belos e dignissimos corruptos que administram o problemas estruturais do brasil, não estão capacidatos para assumir seus respectivos cargos. O governo está preocupado em passar um boa imagem do Brasil, mais não age para que isso aconteça.

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email