sábado, 1 de setembro de 2012

Entrevista ao Podcast Mises Brasil

Segue aqui minha entrevista para o Podcast Mises Brasil. Agradeço ao Bruno Garschagen pela gentileza da entrevista.

6 comentários:

Daniel disse...

Excelente entrevista Adolfo. Parabéns.

Anônimo disse...

A entrevista foi boa. Mas, Nao se junte a essa galera, Adolfo. Eles sao desonestos intelectualmente, voce vai acabar se queimando.

Daniel disse...

Caro Anônimo (adoraria chamá-lo pelo nome, mas sua honestidade intelectual não permitiu).

Para fazer ao Adolfo um alerta como esse, tenho certeza que você estudou em profundidade os autores da Escola Austríaca de Economia. Deve também conhecer cada um dos membros dessa "galera", cuja proximidade é tão prejudicial.

Nesse sentido, poderia apontar - citando obra e autor - o que considera "desonestidade intelectual" presente na EAE ?

sds.

Daniel Marchi

Tullio Bertini disse...

Desonesto? Como falar em honestidade intelectual com alguém que se esconde atrás de um "anônimo"? Onde está a desonestidade nas obras de Mises e dos "austríacos"?

Anônimo disse...

Prezados, o fato de ser anonimo não tem nada a ver com a honestidade intelectual. Uma pessoa pode escolher ficar anonima para não sofrer retaliações. A honestidade intelectual tem a ver com o conteúdo da mensagem.


Dito isto, obviamente que me refiro aos membros e colaboradores do INSTITUTO MISES BRASIL e a grande parte de seus simpatizantes. Assim não me refiro aqui a todo e qualquer estudioso de bons autores "austríacos" como Menger, Schumpeter, Mises, Hayek, nem a estes autores.

Tome o próprio Adolfo como exemplo de honestidade. Recentemente, ele reconheceu a desonestidade intelectual do Reinaldo, que criticou de maneira desonesta uma publicação acadêmica. O ponto não era que a publicação estivesse certa ou errada, mas que a forma de criticar foi errada.

O IMB faz a mesma coisa. O objetivo do IMB não é fazer certo, mas passar a mensagem certa. A "galera" do IMB não se preocupa se tem uma coisa ou outra errada no texto, se a mensagem principal está "correta". E seus seguidores acabam fazendo também. Apenas para dar um exemplo, cito você mesmo, Daniel:

Você falou sobre as reservas fracionárias "A academia nada tem a dizer sobre essas questões de grande relevância. Como na maioria das vezes."

Isso acima é falso. A "academia" tem uma literatura enorme sobre este assunto. Obviamente você desconhece. Mas, ao invés de admitir que desconhece,você afirma que o assunto é ignorado nos meios acadêmicos! Pergunto: qual a revisão bibliográfica que você fez antes de afirmar tal insanidade. Só "livros" e "posts" do IMB, certamente.

O que você disse é fruto da desonestidade intelectual a qual o IMB está acostumado. Já deve ser natural para você, que você nem percebe. No IMB, o importante não é estar certo ou errado, mas passar uma mensagem. Só isso. Tanto faz se para conseguir o objetivo eu não me preocupe com os dados utilizados, com a consistência da teoria, com a lógica...


Por fim, o IMB não é nem um instituto de Escola Austríaca... a maior parte dos textos é apenas recorte de um pequeno subgrupo da EA, anarquista e dogmático.

Tullio Bertini disse...

Prezado Anônimo,

Pela mágoa e rancor que vc demonstra em relação ao IMB, suspeito que vc deve ter "apanhado" muito na área de comentários deles. Relaxa e continue tentando passar a sua mensagem! Forte abraço!

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email