quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Mais uma da CEF

Olhem só a nova brilhante idéia da Caixa Econômica Federal (CEF):

CEF contrata por R$ 1,2 bilhão empresa que vale R$ 500

"A Caixa Econômica Federal fechou contrato de R$ 1 bilhão e 195 milhões com uma empresa criada em 15 março deste ano e cujo capital não passa de 500 reais. O contrato com a MGHSPE Empreendimentos, datado do dia 8, com “dispensa de licitação”, autorizado pelo conselho diretor da Caixa, tem objeto quase incompreensível: “prestação de serviços de operacionalização da originação de Crédito Imobiliário”".

Quantos avisos este blog já fez sobre a CEF?

5 comentários:

Luís Paulo disse...

Muitas vezes Adolfo, mas ...

Vem coisa ruim por aí!

Abs

Anônimo disse...

Mas, esta é antiga, não é? FIP Veneza = joint venture da CaixaPar e Funcef. O problema é a caracterização como controlada ou não da CAIXA. Daí, poderia advir questionamentos do TCU:

http://downloads.caixa.gov.br/_arquivos/caixa/caixa_demfinanc/RELAT%C3%93RIO_DA_ADMINISTRA%C3%87%C3%83O_1S12.PDF

Bruno Furtado disse...

Olha, Adolfo, eu até acredito que o governo seria capaz de uma bizarrice dessas, mas eu procurei a mesma notícia em jornais e blogs mais conceituados e não a encontrei. Além disso, a notícia está redigida exatamente da mesma maneira em todos os veículos que a estão publicando. Isso me cheira um pouco a notícia fabricada, talvez seja melhor esperar para ver.

Anônimo disse...

Acho que a notícia está um pouco com tom de denuncismo vazio, não é professor? O problema é que talvez tenha se desviado da legalidade no que diz respeito à dispensa de licitação. Talvez seja assunto para o TCU. Não sei. Mas, vai saber....a CAIXA deve ter uma carteira de crédito imobiliário gigante. Imagino que seja bastante complexo processar esta carteira. Se comprasse no mercado, via uma licitação, existiria disponível? Sairia mais barato? Acho que é meio por aí...não é?

Anônimo disse...

Parece mais caso para o Parlamento e TCU.
O que não é o Parlamento colocar em discussão os empréstimos da Petrobras, há poucos anos, junto à CEF e ter surgido uma briga danada, com as oposições sendo taxadas de irresponsáveis etc. e pouco depois ficou tudo comprovado.
Creio que o Parlamento poderia abrir audiências públicas para apurar o fato.

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email