quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Dia da Consciência Negra é coisa de Racistas

Não sou racista, desprezo pessoas que julgam os outros com base na raça. Desprezo a aristocracia. Aristocracia julgava as pessoas de acordo com o nascimento: é filho de nobre? Então é sangue azul.... não é filho de nobre? Então não serve.... a humanidade levou séculos para se livrar dessa mazela aristocrata. Todo ser humano tem direito a vida, a liberdade e a busca da felicidade. E, em busca de sua felicidade, ele estuda, trabalha, serve ao próximo, e toma decisões. É o conjunto da obra, de suas escolhas, que classifica um homem como sendo bom, ou não.

Desprezo pessoas que julgam outros não com base em seu mérito, mas com base em sua raça. Sendo assim, não posso concordar com o dia da consciência negra. Da mesma forma que não posso concordar com o dia da mulher, ou o dia do índio, ou o dia de quem quer que seja. Somos todos seres humanos.

Vejo com tristeza que as pessoas que defendem cotas se calam frente aos ataques racistas sofridos por Joaquim Barbosa.

Vejo com tristeza colegas competentes se aliando a agendas progressistas apenas para ganhos materiais. Não precisamos de mais cotas. Não faz sentido colocarmos cotas para negros em cargos de chefia. Digo isso pois acredito que negros, amarelos, vermelhos e brancos são igualmente competentes. Não temos crimes raciais no Brasil. Ninguém é assassinado no Brasil por ser negro. Um branco não sai de casa para matar ou espancar negros. Vejo com tristeza que determinados cientistas hoje tentam criar um conflito racial simplesmente inexistente no Brasil. Espero que não consigam, espero que fracassem. Mas e se conseguirem????

Todos teremos que dar explicações sobre nossos atos, cedo ou tarde seremos confrontados seja com Deus (para os religiosos) seja com nossa consciência (para os ateus). E nesse dia deveremos responder: eu agi bem? E dessa resposta derivará a mais simples das conclusões... Sim, eu fui um bom Homem; ou Não, eu fui uma pessoa má.

Racismo é desprezível. Mas quanto mais políticas pró-negro adotarmos maior será a rejeição dos negros na sociedade. Isso ocorre pois as cotas tem um efeito horroroso: elas tiram o mérito individual das conquistas. Quando vemos um médico negro, ou um juiz do STF negro, sabemos que ele deve ser muito competente para conseguir ter chegado até lá. Num regime de cotas você vê um médico negro, ou um juiz do STF negro, e diz: ele está lá graças a minha ajuda....

11 comentários:

Gustavo disse...

"Ninguém é assassinado no Brasil por ser negro"?
Eu vou só deixar isso aqui:
http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?id=1417835
http://jornalggn.com.br/noticia/nosso-racismo-e-um-crime-perfeito

Anônimo disse...

Adolfo, você nao é racista. Você é idiota mesmo...

Sergio Aquino de Souza disse...

Adolfo,
Não sou contra dia da consciência negra. Acho que é um bom momento para reflexão sobre o assunto. O problema é o espetáculo da mídia e o populismo do governo.

Anônimo disse...

De acordo com o Adolfo, para provar a maior incidência de assassinatos em negros é necessário: 1) Esclarecer o motivo do crime com declarações do assassino e do assassinado; 2) Ter uma amostra suficiente ampla e abrangente de todos os assassinatos do Brasil; 3) Realizar exame de DNA para provar a afrodescendência de todos os negros assassinados nos últimos 10 anos; 4) provar que os negros assassinatos não se colocaram em situação de risco propositalmente, com o intuito de enviesar as estatísticas; 5) Declaração de IR do assassinado dos últimos 5 anos, com objetivo de provar que o assassinato se relaciona à renda e não á raça.

Como não é possível coletar essas informações, fica Adolfo-provado que o índice de assassinato de negros não é maior que o de brancos.

Anônimo disse...

Comentários equivocados...
O que ele quis dizer é que atualmente é muito raro algum negro morrer por motivos racistas e não porque parcela pobre da população é negra e consequentemente vítima da violência. Atualmente as pessoas tendem a negar qualquer crítica negativa, mas não param para analisar do ponto de vista do autor. É completamente válido afirmar que as cotas realmente causam um sentimento popular de que tal pessoa não estaria em determinada posição na sociedade se não fosse pelas cotas. E isso é o contrário ao princípio de isonomia

Rubens Eugenio disse...

Concordo com o texto e com 2 comentários.

Meu Avô era Negro, eu me considero Negro apesar da mistura, ao longo da vida senti na pele o preconceito da sociedade, mas verdadeiramente não pela cor mais escura de minha pele, mas pela minha origem, por ser de um bairro pobre na periferia da Capital.
Senti o preconceito por ter estudado em péssimas escolas do meu bairro durante o ensino fundamental.

Hoje todos podemos ser vítimas de preconceito, pois no fim das contas características individuais nos tornam minorias em um mar de gente.

Somos todos partes de uma ou mais minorias.

Rubens Eugenio disse...

PS: Com relação aos Negros, o preconceito mais comum é o menos comentado.

Pais brancos não querem ver suas filhas com um namorado Negro.

Estou dizendo pelo que ja vi, não pelo que disseram.

Anônimo disse...

Sou afrodescendente. Me considero razoavelmente bem sucedido. Na minha família, o ramo afrodescendente tem bem pessoas mais e outras menos bem sucedidas.

As mais bem sucedidas estudaram e trabalharam.

As menos, bebem ou beberam, usaram drogas, não estudaram e não se esforçaram.

Isso com o mesmo background familiar.

Anônimo disse...

o Ipea lançou um trabalho ridículo sobre mortes de negros atribuindo quase tudo ao racismo.

Maria disse...

Recebi este link de uma entrevista do Morgan Freeman. Achei bárbaro.


http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=AQzjWsUkZNg

samuel disse...

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=AQzjWsUkZNg
Essa é a maneira que os negros americanos pensam. Quando Obama visitou RJ, as festividades a ele foram feitas em estilo africano, ziriguidum, danças e tambores. Deu para ver o constrangimento de Obama, da esposa e da sogra. Aqueles americanos “coloreds” vencedores fizeram das tripas coração para vencer num país organizado por brancos, na regra dos brancos, com as ferramentas dos brancos, para lá então serem tratados como iguais e ahi vem Cabralzinho dizer para eles “OLHA Vocês SÃO PRETOS, SÃO AFRICANOS, BATEM TAMBOR, etc… etc…” Esses “politicamente corretos” brasileiros nem se dão conta quão constrangedor eles são … para os pretos.
Obter dividendos eleitorais não é motivação para lidar com a existência de diferenças na raça humana. O motivo é errado e portanto as conseqüencias também o serão.

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email