quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Papai Noel, Coelhinho da Páscoa e Guido Mantega

Em dezembro é a vez do papai noel. Na páscoa é a vez do coelhinho. No começo do ano é a vez de Guido Mantega. A sua maneira cada um traz sua mensagem. No Natal somos lembrados da importância da família e do amor. Na páscoa lembramos da importância de uma outra vida. Em fevereiro Mantega nos lembra que precisamos realmente ter fé em Deus, pois só com muita fé para acreditar nas promessas de gastar menos do governo brasileiro.

Em fevereiro de 2011 eu comentei sobre o ajuste proposto por Mantega. Naquele ano a pior equipe econômica de todos os tempos prometia um corte de R$ 50 bilhões.

Em fevereiro de 2012 eu comentei sobre outro ajuste proposto por Mantega. Naquele ano a pior equipe econômica de todos os tempos prometia um corte de R$ 55 bilhões.

Adivinhem o que Mantega acaba de anunciar???? Isso mesmo!!! Ele anunciou um novo ajuste fiscal!!!! Só que dessa vez de R$ 44 bilhões. Claro que desse montante podem ser descontados os gastos no PAC e as desonerações tributárias, além é claro de sempre haver espaço para a criatividade do governo em transformar despesas em receitas ou simplesmente sumir com elas. Não deixa de ser irônico notar que, a medida que a situação fiscal do Brasil piora, o governo anuncia um ajuste mais suave. Isso já mostra bem o preparo e os objetivos desse governo. Um governo sério estaria alarmado com nossa situação fiscal. Tal como já avisei bilhões de vezes, em 2015 o ajuste será severo. Aliás, eu avisava disso quando ainda era possível evitar o desastre.

Tal como ocorreu nos outros anos, e sempre ocorre para os que esperam a visita do papai noel ou do coelhinho da páscoa, alguma decepção e incredulidade fica no horizonte. Para começo de conversa é bem pouco provável que um governo que não economiza dinheiro em tempos normais irá economizar em tempos de eleição. Além disso, devemos lembrar que é remota a possibilidade dos governos estaduais cumprirem suas respectivas metas de superavit. No passado, a União era responsável por cobrir a parte dos estados (caso estes não conseguissem obter suas metas de superavit). Mas, desde o ano passado, o governo mudou essa regra. Isto é, a pressão que o governo federal irá exercer sobre os governos estaduais, para que esses economizem, será bem próxima de zero (isto se não for negativa, afinal em ano de eleição o governo pensa é em se reeleger a si e a seus aliados).

Aqui eu explico como se faz ajuste fiscal. Um dia, quem sabe, tenhamos um governo que compreenda isso. Enquanto isso acreditemos em papai noel e no coelhinho da páscoa. Alguns gostam de acreditar em Mantega.... eu ainda acho mais seguro ficarmos com o papai noel, mas temos que respeitar a religião deles.

Um comentário:

Anônimo disse...

Sachsida,
E tem quem acredita...
Veja, por exemplo, essa reportagem dizendo que o ano de 2014 "reserva boas oportunidades" p/ quem quer prestar concurso público.
http://g1.globo.com/concursos-e-emprego/noticia/2013/12/concursos-previstos-para-2014-devem-oferecer-412-mil-vagas.html
A pilantragem é tanta que eles esperam o ano eleitoral pra anunciar essa enxurrada de "vagas". Na verdade 89% é cadastro de reserva, situação de desmoralização (vide concursos do BNDES, q a cada dois anos "aprova 200" e não chama nem 50). Sobre isso, tem esse artigo bacana www.ambito-juridico.com.br/site/?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=10997&revista_caderno=4
Isso sem falar nos cargos existentes, mas que ficam amarrados, vide o último concurso do Tesouro e o de EPPGG.
Pra todo lado que olho vejo mentiras desse governo...
Papai Noel e coelho da Páscoa são muito mais confiáveis, que Dilma e seu alto escalão.

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email